W3 ao Vivo: Infusores da Alegria projetam conquistar novos voluntários

Trabalho acontece há sete anos e percorre os hospitais da região

Levar esperança de maneira bem humorada aos pacientes acamados dos hospitais da região é o objetivo dos voluntários do “Infusores da Alegria”, projeto que nasceu há sete anos no Hospital Regional de Araranguá, e que conta com aproximadamente cinquenta voluntários.

A coordenadora do grupo, Jeanie Leal Costa, foi a convidada desta sexta, 20, do W3 ao Vivo, para contar a experiência do trabalho realizado. Além de atuar nos hospitais da região, e no Asilo São Vicente de Paulo, um representante já foi em missão a África em 2018. “Foi uma experiência maravilhosa e é importante nos colocarmos no lugar do outro. A partir disso, conseguimos levar alegria e a esperança que vem de Deus”, disse.

Segundo Jeanie, que adotou o nome de Dra. Spirulina, as apresentações foram suspensas durante a pandemia, mas a ideia é atrair mais voluntários para retomar os trabalhos. “Estamos também em outros municípios e precisamos de mais voluntários que possam levar alegria as pessoas. Claro que nossos argumentos são baseados no cristianismo, mas pessoas de todas igrejas são aceitas para participar dos treinamentos”.

Confira a entrevista completa em:

Levar esperança de maneira bem humorada aos pacientes acamados dos hospitais da região é o objetivo dos voluntários do “Infusores da Alegria”, projeto que nasceu há sete anos no Hospital Regional de Araranguá, e que conta com aproximadamente cinquenta voluntários.

A coordenadora do grupo, Jeanie Leal Costa, foi a convidada desta sexta, 20, do W3 ao Vivo, para contar a experiência do trabalho realizado. Além de atuar nos hospitais da região, e no Asilo São Vicente de Paulo, um representante já foi em missão a África em 2018. “Foi uma experiência maravilhosa e é importante nos colocarmos no lugar do outro. A partir disso, conseguimos levar alegria e a esperança que vem de Deus”, disse.

Segundo Jeanie, que adotou o nome de Dra. Spirulina, as apresentações foram suspensas durante a pandemia, mas a ideia é atrair mais voluntários para retomar os trabalhos. “Estamos também em outros municípios e precisamos de mais voluntários que possam levar alegria as pessoas. Claro que nossos argumentos são baseados no cristianismo, mas pessoas de todas igrejas são aceitas para participar dos treinamentos”.

Confira a entrevista completa em:

Compartilhe

Voltar às notícias