Vacina contra Covid-19 pode chegar a SC até fevereiro, diz secretário de Saúde

Governo federal possui dois contratos de compra: um da AstraZeneca, de Oxford, e outro da CoronaVac, do Instituto Butantan

Por Dyessica Abadi

No mesmo dia em que a Anvisa pediu a liberação da vacina CoronaVac, o secretário de Saúde do Estado, André Motta Ribeiro, disse que a vacinação contra a Covid-19 pode começar entre o final de janeiro e início de fevereiro em Santa Catarina. A afirmação foi feita durante entrevista ao Jornal do Almoço, da NSC TV, nesta sexta-feira, 08.


O governo federal possui dois contratos de compra: um da AstraZeneca, de Oxford, e outro da CoronaVac, do Instituto Butantan. Inclusive o Ministério da Saúde já confirmou a compra de 100 milhões de doses da Coronavac, mas ainda não se sabe qual será realmente a primeira vacina disponibilizada para a população.


André Motta Ribeiro afirmou que o Estado já garantiu um estoque de insumos para a aplicação da primeira dose da vacina. "Nesse momento, o Estado já tem distribuído, inclusive para os municípios, insumos suficientes (agulhas, seringas, etc) para atender a todas as fases iniciais. A ideia é ter 100% dos brasileiros vacinados em 2021, esse é o programa nacional, e em SC não é diferente", pontuou.


Durante a entrevista, o secretário confirmou a possibilidade do Estado comprar doses da vacina por conta própria, utilizando os R$ 300 milhões que o governador Carlos Moisés afirmou ter reservado para esse fim, mas afirmou que a prioridade de compra é do Ministério da Saúde, que irá distribuir de forma igualitária no país. "Temos recursos em caso de necessidade ou dificuldade do ministério, mas é um momento de unidade nacional. Eu espero e acredito que isso [SC comprar diretamente] não será necessário", finalizou.


Fonte: NSC Total


 Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Por Dyessica Abadi

No mesmo dia em que a Anvisa pediu a liberação da vacina CoronaVac, o secretário de Saúde do Estado, André Motta Ribeiro, disse que a vacinação contra a Covid-19 pode começar entre o final de janeiro e início de fevereiro em Santa Catarina. A afirmação foi feita durante entrevista ao Jornal do Almoço, da NSC TV, nesta sexta-feira, 08.

O governo federal possui dois contratos de compra: um da AstraZeneca, de Oxford, e outro da CoronaVac, do Instituto Butantan. Inclusive o Ministério da Saúde já confirmou a compra de 100 milhões de doses da Coronavac, mas ainda não se sabe qual será realmente a primeira vacina disponibilizada para a população.

André Motta Ribeiro afirmou que o Estado já garantiu um estoque de insumos para a aplicação da primeira dose da vacina. “Nesse momento, o Estado já tem distribuído, inclusive para os municípios, insumos suficientes (agulhas, seringas, etc) para atender a todas as fases iniciais. A ideia é ter 100% dos brasileiros vacinados em 2021, esse é o programa nacional, e em SC não é diferente”, pontuou.

Durante a entrevista, o secretário confirmou a possibilidade do Estado comprar doses da vacina por conta própria, utilizando os R$ 300 milhões que o governador Carlos Moisés afirmou ter reservado para esse fim, mas afirmou que a prioridade de compra é do Ministério da Saúde, que irá distribuir de forma igualitária no país. “Temos recursos em caso de necessidade ou dificuldade do ministério, mas é um momento de unidade nacional. Eu espero e acredito que isso [SC comprar diretamente] não será necessário”, finalizou.

Fonte: NSC Total

 Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias