Três escolas fechadas por casos de Covid-19 e uma com atividades parcialmente suspensas na regional de Araranguá

As escolas são de Araranguá, Balneário Arroio do Silva e Praia Grande

As aulas mal retornaram na rede estadual de ensino e quatro escolas da Regional de Araranguá já estão com os encontros presenciais suspensos. Trata-se da Escola de Educação Básica de Araranguá, ou Colégio Estadual como é conhecida, em que 14 casos de Covid-19 estão sendo acompanhados, a Apolônio Ireno Cardoso no Balneário Arroio do Silva e a Bulcão Viana, em Praia Grande. Parte dos alunos também foram dispensados na EEB, Maria Garcia Pessi em Araranguá a partir desta segunda, 15.

De acordo com a gerente regional de Educação, Rosane Castelan, na EEB Araranguá três alunos, um professor e um servente positivaram para Covid-19. Outros 8 alunos e um professor são suspeitos aguardando o resultado de exames.

Na Apolônio Ireno Cardoso, no Balneário Arroio do Silva o número de casos positivos do novo vírus entre alunos e funcionários não foram divulgados, mas o suficiente para que fossem dispensados até que a situação normalize.

Em Praia Grande, as aulas da Bulcão Viana, também estão suspensas. Por lá, os casos se referem a três serventes afastadas por suspeita e uma confirmação da doença. Como elas eram responsáveis pela higienização da escola, a direção entendeu que as atividades presenciais ficaram comprometidas.

As aulas de todas as escolas passam a ser virtuais. ”As demais seguem monitorando casos confirmados e suspeitos isolando uma ou outra turma com critérios estabelecidos no Plano de contingência e com aval da vigilância epidemiológica de cada município”, disse, Rosane.

Já no caso da EEB Maria Garcia Pessi em Araranguá, a situação foi diferente. Nesta semana, os alunos do ensino fundamental II e do ensino médio diurno voltaram a estudar de casa. Tudo porque na semana passada três professores foram afastados com sintomas gripais e aguardam o resultado dos exames. Além disso, segundo a diretora, Sandra Regina, outro aluno que estava com sintomas da doença, passou pela UPA para realização de exames e os pais não comunicaram a escola sobre a suspeita permitindo que ele frequentasse a escola e tivesse contato com funcionários, professores e colegas de aula. “O Plano de contingência prevê o afastamento das pessoas e tirar do convívio. O fundamental dois e médio inviabilizou as aulas presenciais. Fundamental um mantem aula e ensino médio noturno que não tiveram contato com este aluno”, explicou a diretora.

As aulas mal retornaram na rede estadual de ensino e quatro escolas da Regional de Araranguá já estão com os encontros presenciais suspensos. Trata-se da Escola de Educação Básica de Araranguá, ou Colégio Estadual como é conhecida, em que 14 casos de Covid-19 estão sendo acompanhados, a Apolônio Ireno Cardoso no Balneário Arroio do Silva e a Bulcão Viana, em Praia Grande. Parte dos alunos também foram dispensados na EEB, Maria Garcia Pessi em Araranguá a partir desta segunda, 15.

De acordo com a gerente regional de Educação, Rosane Castelan, na EEB Araranguá três alunos, um professor e um servente positivaram para Covid-19. Outros 8 alunos e um professor são suspeitos aguardando o resultado de exames.

Na Apolônio Ireno Cardoso, no Balneário Arroio do Silva o número de casos positivos do novo vírus entre alunos e funcionários não foram divulgados, mas o suficiente para que fossem dispensados até que a situação normalize.

Em Praia Grande, as aulas da Bulcão Viana, também estão suspensas. Por lá, os casos se referem a três serventes afastadas por suspeita e uma confirmação da doença. Como elas eram responsáveis pela higienização da escola, a direção entendeu que as atividades presenciais ficaram comprometidas.

As aulas de todas as escolas passam a ser virtuais. ”As demais seguem monitorando casos confirmados e suspeitos isolando uma ou outra turma com critérios estabelecidos no Plano de contingência e com aval da vigilância epidemiológica de cada município”, disse, Rosane.

Já no caso da EEB Maria Garcia Pessi em Araranguá, a situação foi diferente. Nesta semana, os alunos do ensino fundamental II e do ensino médio diurno voltaram a estudar de casa. Tudo porque na semana passada três professores foram afastados com sintomas gripais e aguardam o resultado dos exames. Além disso, segundo a diretora, Sandra Regina, outro aluno que estava com sintomas da doença, passou pela UPA para realização de exames e os pais não comunicaram a escola sobre a suspeita permitindo que ele frequentasse a escola e tivesse contato com funcionários, professores e colegas de aula. “O Plano de contingência prevê o afastamento das pessoas e tirar do convívio. O fundamental dois e médio inviabilizou as aulas presenciais. Fundamental um mantem aula e ensino médio noturno que não tiveram contato com este aluno”, explicou a diretora.

Compartilhe

Voltar às notícias