Sul de Santa Catarina segue em risco gravíssimo para Covid-19

AMESC segue em alerta máximo para três dos quatro quesitos de avaliação

Por Dyessica Abadi

A atualização da Matriz de Risco Potencial para Covid-19 em Santa Catarina desta semana revela que, depois de cinco semanas com todas as regiões em nível gravíssimo (vermelho), houve uma melhora na região de Xanxerê. As demais 15 regiões catarinenses continuam em nível gravíssimo pela sexta semana consecutiva, enquanto Xanxerê é a primeira a voltar ao nível grave (laranja). Os dados foram divulgados neste sábado, 03, pela secretaria de Estado da Saúde.

A AMESC segue em alerta máximo para três dos quatro quesitos de avaliação: ocorrência de óbitos por Covid-19 (4,0), percentual de positividade de exames (4,0) e ocupação de leitos de UTI (4,0). Apenas a taxa de transmissibilidade, variação no número de casos positivos e casos infectantes, registrou uma baixa, indo para o nível grave (laranja), com avaliação de 2,5.

De acordo com a cientista de dados Bianca Vieira, os números demonstram o reflexo da vacinação no Estado, que tem sido intensificada nas últimas semanas. “O padrão de melhora dos indicadores continua, com destaque para os de transmissibilidade, que estão mostrando queda em todas as regiões. Nenhuma região apresentou nota máxima pela primeira vez em bastante tempo, o que é um resultado positivo, mesmo que a capacidade de atenção permaneça em nível gravíssimo em todas as regiões”, destaca.



Fonte: Governo do Estado 

 Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Por Dyessica Abadi

A atualização da Matriz de Risco Potencial para Covid-19 em Santa Catarina desta semana revela que, depois de cinco semanas com todas as regiões em nível gravíssimo (vermelho), houve uma melhora na região de Xanxerê. As demais 15 regiões catarinenses continuam em nível gravíssimo pela sexta semana consecutiva, enquanto Xanxerê é a primeira a voltar ao nível grave (laranja). Os dados foram divulgados neste sábado, 03, pela secretaria de Estado da Saúde.

A AMESC segue em alerta máximo para três dos quatro quesitos de avaliação: ocorrência de óbitos por Covid-19 (4,0), percentual de positividade de exames (4,0) e ocupação de leitos de UTI (4,0). Apenas a taxa de transmissibilidade, variação no número de casos positivos e casos infectantes, registrou uma baixa, indo para o nível grave (laranja), com avaliação de 2,5.

De acordo com a cientista de dados Bianca Vieira, os números demonstram o reflexo da vacinação no Estado, que tem sido intensificada nas últimas semanas. “O padrão de melhora dos indicadores continua, com destaque para os de transmissibilidade, que estão mostrando queda em todas as regiões. Nenhuma região apresentou nota máxima pela primeira vez em bastante tempo, o que é um resultado positivo, mesmo que a capacidade de atenção permaneça em nível gravíssimo em todas as regiões”, destaca.

Fonte: Governo do Estado 

 Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias