Sul catarinense pode ter lockdown a partir de quinta-feira, 11

Prefeitos da AMREC, AMESC e AMUREL vão aguardar novo decreto do Estado para definir medidas de restrição

Por Dyessica Abadi

Um lockdown de sete dias a partir da próxima quinta-feira, 11, no Sul Catarinense é pauta entre os prefeitos das três associações de municípios que representam a região. Eles estiveram reunidos nesta segunda-feira, 08, para definir novos rumos e decisões que devem ser tomadas em conjunto frente à pandemia de Covid-19.

Durante o encontro que foi realizado de forma online, ficou estabelecido que os prefeitos da AMESC (Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense), AMREC (Associação dos Municípios da Região Carbonífera) e AMUREL (Associação de Municípios da Região de Laguna) irão aguardar a decisão do Estado para definir os rumos frente a um possível lockdown. O objetivo é unificar a tomada de decisões na região, para evitar a circulação de pessoas.

Segundo os chefes do executivo regional, apenas o sul tomar uma medida mais drástica seria insuficiente, pois os leitos de UTI Covid-19 são de regulação estadual. O último decreto do governo do Estado de enfrentamento à pandemia encerra na próxima quarta-feira, 10. A expectativa é que o governador Carlos Moisés publique novas regras ainda no mesmo dia. Dessa forma, os prefeitos agendaram um novo encontro para o próximo dia, na quinta-feira, 11, para discutir com todos os chefes do executivo regional a possibilidade do lockdown.

"A AMUREL se reuniu ontem no domingo (07) e tomou uma decisão: eles pretendem fazer um lockdown de sete dias, mas só irão faze-lo se a região da AMREC e AMESC estiverem juntas, pois não adianta eles fazerem e deixar livre a região de Criciúma e Araranguá para que haja circulação de pessoas entre os municípios", destaca o presidente da AMREC e prefeito de Orleans, Jorge Koch. Segundo ele, a preocupação de todos os prefeitos é que ocorra um colapso na saúde pública, principalmente na área hospitalar, frente à falta respiradores, medicamentos, profissionais e leitos de UTI.

"Vamos conversar na quinta-feira (07) para tomar uma decisão só. A decisão que está em pauta seria um lockdown de 7 dias já a partir da quinta-feira ou da sexta-feira à noite. Mas isso é uma discussão, não tem nada decidido", finaliza o presidente da AMREC. De qualquer forma, as decisões tomadas pelo grupo irão valer para todas as três associações da região Sul de Santa Catarina.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Por Dyessica Abadi

Um lockdown de sete dias a partir da próxima quinta-feira, 11, no Sul Catarinense é pauta entre os prefeitos das três associações de municípios que representam a região. Eles estiveram reunidos nesta segunda-feira, 08, para definir novos rumos e decisões que devem ser tomadas em conjunto frente à pandemia de Covid-19.

Durante o encontro que foi realizado de forma online, ficou estabelecido que os prefeitos da AMESC (Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense), AMREC (Associação dos Municípios da Região Carbonífera) e AMUREL (Associação de Municípios da Região de Laguna) irão aguardar a decisão do Estado para definir os rumos frente a um possível lockdown. O objetivo é unificar a tomada de decisões na região, para evitar a circulação de pessoas.

Segundo os chefes do executivo regional, apenas o sul tomar uma medida mais drástica seria insuficiente, pois os leitos de UTI Covid-19 são de regulação estadual. O último decreto do governo do Estado de enfrentamento à pandemia encerra na próxima quarta-feira, 10. A expectativa é que o governador Carlos Moisés publique novas regras ainda no mesmo dia. Dessa forma, os prefeitos agendaram um novo encontro para o próximo dia, na quinta-feira, 11, para discutir com todos os chefes do executivo regional a possibilidade do lockdown.

“A AMUREL se reuniu ontem no domingo (07) e tomou uma decisão: eles pretendem fazer um lockdown de sete dias, mas só irão faze-lo se a região da AMREC e AMESC estiverem juntas, pois não adianta eles fazerem e deixar livre a região de Criciúma e Araranguá para que haja circulação de pessoas entre os municípios”, destaca o presidente da AMREC e prefeito de Orleans, Jorge Koch. Segundo ele, a preocupação de todos os prefeitos é que ocorra um colapso na saúde pública, principalmente na área hospitalar, frente à falta respiradores, medicamentos, profissionais e leitos de UTI.

“Vamos conversar na quinta-feira (07) para tomar uma decisão só. A decisão que está em pauta seria um lockdown de 7 dias já a partir da quinta-feira ou da sexta-feira à noite. Mas isso é uma discussão, não tem nada decidido”, finaliza o presidente da AMREC. De qualquer forma, as decisões tomadas pelo grupo irão valer para todas as três associações da região Sul de Santa Catarina.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias