SÓ MAIS CINCO MINUTINHOS…

Quem nunca colocou o celular ou relógio do próprio aparelho pra despertar e acionou o modo soneca? Às vezes a gente confia na gente mesmo e vira pro lado, aquele lugarzinho que parece extremamente confortável e que procuramos a noite toda e... sono profundo. Quem nunca?

Aí acordamos esbaforidos, atrasados, sem noção de que dia é, que hora é... mas a certeza do atraso... E a jura de 'nunca mais'... E é claro que esquecemos  tal promessa e reincidimos no erro.

Ultimamente estou assim. Desde que iniciou a pandemia. Desde março. Viro pro lado, pois as noites nunca mais foram bem dormidas e... até sonho! E o colchão parece que nos abraça naquele ladinho perdido, aquele que procuramos antes de dormir...

Às vezes uns sonhos bem longos e elucidativos vêm à tona. Até soluciono problemas. O que eu teria de fazer no dia seguinte, realizo e com êxito... ou pelada, como na grande maioria das oportunidades. Quem nunca sonhou estar nu na rua? Descalço? Indo ao banheiro e todo mundo nos vendo? Ainda não me formei em Psicologia, porém creio que meus sonhos serão um grande objeto pra um TCC à luz de Freud.

E a gente dá aquela dormidinha de cinco minutos e acorda em 2021... espero que sem pandemia e antes do Natal. Porque o cansaço e o estresse são tão grandes, que nem tenho mais condições de saber ao certo quantas horas tenho dormido.

Há algum tempo falavam que oito horas de sono era o ideal. Contudo, Miguel Falabela, que considero um artista multi e extremamente talentoso, não dorme e utiliza suas noites de vigília pra produzir. E como produz grandes sucessos! Para ele a insônia é produtiva... Pra mim? Fico fazendo cover de urso panda involuntariamente.

Mas os cinco minutos são maravilhosos, assim como a tal sesta depois do almoço. Dizem que apenas quinze minutos fazem a diferença. Se eu ouso praticá-la, acordo sem saber nem quem sou e provavelmente com a noite alta.

Estudos comprovam que passamos 23 anos, 9 meses e 7 dias na cama! Contudo será que é dormindo? Com o advento séries, muita gente fica colada num tablet ou no celular e assistindo a maratonas intermináveis...

E hoje é domingo... vamos praticar a sesta que nos faz perder a memória???

Adeus!

Quem nunca colocou o celular ou relógio do próprio aparelho pra despertar e acionou o modo soneca? Às vezes a gente confia na gente mesmo e vira pro lado, aquele lugarzinho que parece extremamente confortável e que procuramos a noite toda e… sono profundo. Quem nunca?

Aí acordamos esbaforidos, atrasados, sem noção de que dia é, que hora é… mas a certeza do atraso… E a jura de ‘nunca mais’… E é claro que esquecemos  tal promessa e reincidimos no erro.

Ultimamente estou assim. Desde que iniciou a pandemia. Desde março. Viro pro lado, pois as noites nunca mais foram bem dormidas e… até sonho! E o colchão parece que nos abraça naquele ladinho perdido, aquele que procuramos antes de dormir…

Às vezes uns sonhos bem longos e elucidativos vêm à tona. Até soluciono problemas. O que eu teria de fazer no dia seguinte, realizo e com êxito… ou pelada, como na grande maioria das oportunidades. Quem nunca sonhou estar nu na rua? Descalço? Indo ao banheiro e todo mundo nos vendo? Ainda não me formei em Psicologia, porém creio que meus sonhos serão um grande objeto pra um TCC à luz de Freud.

E a gente dá aquela dormidinha de cinco minutos e acorda em 2021… espero que sem pandemia e antes do Natal. Porque o cansaço e o estresse são tão grandes, que nem tenho mais condições de saber ao certo quantas horas tenho dormido.

Há algum tempo falavam que oito horas de sono era o ideal. Contudo, Miguel Falabela, que considero um artista multi e extremamente talentoso, não dorme e utiliza suas noites de vigília pra produzir. E como produz grandes sucessos! Para ele a insônia é produtiva… Pra mim? Fico fazendo cover de urso panda involuntariamente.

Mas os cinco minutos são maravilhosos, assim como a tal sesta depois do almoço. Dizem que apenas quinze minutos fazem a diferença. Se eu ouso praticá-la, acordo sem saber nem quem sou e provavelmente com a noite alta.

Estudos comprovam que passamos 23 anos, 9 meses e 7 dias na cama! Contudo será que é dormindo? Com o advento séries, muita gente fica colada num tablet ou no celular e assistindo a maratonas intermináveis…

E hoje é domingo… vamos praticar a sesta que nos faz perder a memória???

Adeus!

Compartilhe

Voltar ao blog