Sicoob Credisulca dá destino correto para papel descartado

Cooperativa contribui com a sustentabilidade, por meio da reciclagem

Produzido a partir da celulose, fibra encontrada em diversas espécies de árvores, o papel possui importância ímpar em toda sociedade. Da produção, que movimenta 1% do PIB brasileiro, à utilização em escolas, empresas e no meio publicitário, ele está presente em todos os espaços e serve principalmente como documento.

No Sicoob Credisulca não é diferente. Apesar do avanço digital, o papel ainda possui grande importância em nosso cotidiano e por se tratar de uma instituição financeira, o seu descarte requer ainda mais cuidados. Foi a partir desta necessidade que a cooperativa aproveitou uma ótima oportunidade para cooperar com a natureza e se tornar ainda mais sustentável.

O diretor Administrativo, Nelson Gabriel, explica que nos últimos meses houve uma importante mudança no processo interno de descarte do papel, com a aquisição de uma máquina fragmentadora.

“Ao invés de ser jogado no lixo comum, todo papel utilizado e descartado em nossa sede e agências vai para um setor específico, que processa todo esse papel na máquina fragmentadora. Desta forma, a cooperativa garante a mais alta segurança, visto que estes documentos normalmente possuem informações sigilosas, e ao mesmo tempo contribui com um mundo mais sustentável”, comentou.



Etapas da reciclagem

Por semana, a Credisulca produz em média 20 sacos de papel picado, resultando em quase 500 quilos por mês. Mas o processo da reciclagem não acaba dentro da cooperativa. Segundo o auxiliar Administrativo, Luan Camargo da Rosa, após todo o material ser processado na máquina fragmentadora e ensacado, o papel é doado para a Associação dos Trabalhadores de Materiais Recicláveis do Município de Turvo.

“Além de ser uma prática ambientalmente correta, ainda contribuímos com a coleta seletiva, entregando os papeis separados do lixo comum e prontos para a reciclagem”, destaca Luan.



Associação detalha o dia-a-dia da coleta seletiva

Todo lixo produzido em Turvo, é encaminhado para o aterro sanitário. No local, atua uma associação de trabalhadores, que desempenham um importante papel: o da separação e classificação do lixo. Materiais como papel, vidro e plástico são separados e quando acumulados em toneladas, são revendidos para empresas especializadas em reciclagem.

A Presidente da Associação, Celeste Senger, informou que 50% do lixo é reaproveitado e revendido para três fornecedores, localizados em Criciúma. “Hoje recebemos muitas doações, mas poucas têm o cuidado que a Credisulca possui e isso para nós é ótimo, pois facilita nosso trabalho”, disse.

Celeste ainda convida as pessoas que não possuem coleta seletiva em seus bairros a fazer uma separação básica do lixo. “O principal é evitar misturar vidro e plástico com lixo de banheiro ou de comida. O restante pode ser colocado junto (vidro, papel e plástico). Se puder limpar o plástico, como pote de margarina, por exemplo, melhor ainda”, detalhou.

O diretor de Meio Ambiente de Turvo, Gustavo Simon, reforçou o pedido da Associação e parabenizou o trabalho da Credisulca em prol da destinação correta do papel. “É muito importante as empresas fazerem essa separação. O ideal é que todas fizessem e a Credisulca está de parabéns por já ter adotado essa postura.”

Reciclar também é cooperar. Faça sua parte e separe o seu lixo. É um gesto simples, mas muito significativo para o meio ambiente.

Produzido a partir da celulose, fibra encontrada em diversas espécies de árvores, o papel possui importância ímpar em toda sociedade. Da produção, que movimenta 1% do PIB brasileiro, à utilização em escolas, empresas e no meio publicitário, ele está presente em todos os espaços e serve principalmente como documento.

No Sicoob Credisulca não é diferente. Apesar do avanço digital, o papel ainda possui grande importância em nosso cotidiano e por se tratar de uma instituição financeira, o seu descarte requer ainda mais cuidados. Foi a partir desta necessidade que a cooperativa aproveitou uma ótima oportunidade para cooperar com a natureza e se tornar ainda mais sustentável.

O diretor Administrativo, Nelson Gabriel, explica que nos últimos meses houve uma importante mudança no processo interno de descarte do papel, com a aquisição de uma máquina fragmentadora.

“Ao invés de ser jogado no lixo comum, todo papel utilizado e descartado em nossa sede e agências vai para um setor específico, que processa todo esse papel na máquina fragmentadora. Desta forma, a cooperativa garante a mais alta segurança, visto que estes documentos normalmente possuem informações sigilosas, e ao mesmo tempo contribui com um mundo mais sustentável”, comentou.

Etapas da reciclagem

Por semana, a Credisulca produz em média 20 sacos de papel picado, resultando em quase 500 quilos por mês. Mas o processo da reciclagem não acaba dentro da cooperativa. Segundo o auxiliar Administrativo, Luan Camargo da Rosa, após todo o material ser processado na máquina fragmentadora e ensacado, o papel é doado para a Associação dos Trabalhadores de Materiais Recicláveis do Município de Turvo.

“Além de ser uma prática ambientalmente correta, ainda contribuímos com a coleta seletiva, entregando os papeis separados do lixo comum e prontos para a reciclagem”, destaca Luan.

Associação detalha o dia-a-dia da coleta seletiva

Todo lixo produzido em Turvo, é encaminhado para o aterro sanitário. No local, atua uma associação de trabalhadores, que desempenham um importante papel: o da separação e classificação do lixo. Materiais como papel, vidro e plástico são separados e quando acumulados em toneladas, são revendidos para empresas especializadas em reciclagem.

A Presidente da Associação, Celeste Senger, informou que 50% do lixo é reaproveitado e revendido para três fornecedores, localizados em Criciúma. “Hoje recebemos muitas doações, mas poucas têm o cuidado que a Credisulca possui e isso para nós é ótimo, pois facilita nosso trabalho”, disse.

Celeste ainda convida as pessoas que não possuem coleta seletiva em seus bairros a fazer uma separação básica do lixo. “O principal é evitar misturar vidro e plástico com lixo de banheiro ou de comida. O restante pode ser colocado junto (vidro, papel e plástico). Se puder limpar o plástico, como pote de margarina, por exemplo, melhor ainda”, detalhou.

O diretor de Meio Ambiente de Turvo, Gustavo Simon, reforçou o pedido da Associação e parabenizou o trabalho da Credisulca em prol da destinação correta do papel. “É muito importante as empresas fazerem essa separação. O ideal é que todas fizessem e a Credisulca está de parabéns por já ter adotado essa postura.”

Reciclar também é cooperar. Faça sua parte e separe o seu lixo. É um gesto simples, mas muito significativo para o meio ambiente.

Compartilhe

Voltar às notícias