Saúde e educação são prioridades para prefeito de Maracajá

Anibal Brambila revela que atendimentos de saúde à população estavam prejudicados

O prefeito de Maracajá, Anibal Brambila (PSD), é o terceiro entrevistado  da série de reportagens do Portal W3 com os 15 gestores eleitos do extremo sul catarinense. O objetivo é avaliar os primeiros projetos dos prefeitos e descobrir a real situação em que se encontram as administrações dos municípios. 

As ações da nova administração estão focadas para os setores da Saúde e Educação, revela Anibal Brambila. Recentemente, Maracajá deixou de fazer parte do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Amesc (CisAmesc), pois a organização já não cumpria mais com seus deveres junto ao município. Logo, sair do consórcio era uma das prioridades de início de gestão para o prefeito Anibal Brambila. "Assim que iniciamos a gestão, já realizamos um levantamento da situação da Saúde de Maracajá, especificamente do CisAmesc, que nos mostrou sua ineficiência, pois já não resultava em economia e o atendimento era muito precário, tanto na contratação de medicamentos, quanto de serviços médicos", explica.

O gestor ainda salienta que os atendimentos à população estavam prejudicados, pois o CisAmesc não honrou o pagamento de fornecedores — o que gerou falta de medicamentos, exames e laudos retidos nas clínicas. Para Brambila, a Saúde é prioridade e, portanto, a preocupação para não deixar os maracajaenses desassistidos.

A alternativa levantada pela administração foi a adesão ao Consórcio Público Intermunicipal de Saúde da AMREC (CisAmrec). Dessa forma, encaminharam à Câmara de Vereadores o Projeto de Lei nº 001/2021, que solicitava a adesão de Maracajá ao CisAmrec. "Os vereadores entenderam a necessidade da mudança e votaram pela aprovação. Com isso, vamos aos poucos colocando a Saúde de Maracajá nos eixos", revela.

Outro desafio neste início de mandato está relacionado à pandemia, principalmente em manter o sistema de saúde funcionando, com assistência médica e com orientações. "A liberação da vacina contra a Covid-19 deu esperança a todos nós, mas sabemos que as medidas de segurança seguem, pois o processo de imunização ainda será longo e deve acontecer no decorrer do ano", enfatiza o prefeito.

Aulas começam em março em Maracajá


Em relação à educação, Brambila destaca que já foram feito os encaminhamentos para o retorno das aulas. Frente ao cenário de pandemia, o município deverá seguir um Plano de Contingência, visando a segurança dos estudantes e também dos educadores. As matrículas nas três escolas municipais e no CEI já estão acontecendo e a previsão de início das aulas é para março.

Maquinário guardado em lugar impróprio


Atualmente, os maquinários da prefeitura estão guardados em um terreno alugado e que não oferece condições adequadas de armazenamento. "Já estamos buscando orçamentos para a aquisição de um terreno para fazer uma parque de máquinas adequado, evitando assim a deterioração dos equipamentos", revela. Além disso, o prefeito tem o objetivo de adquirir novas máquinas para o município.

Parque Industrial


Visando o crescimento de Maracajá, entre as principais ações de início de mandato está a aquisição de um local para a instalação do Parque Industrial. "Com a conclusão da Rodovia Jacob Westrup e a liberação da Serra da Rocinha (BR-285) teremos grandes chances de atrair novas empresas para o município, por isso a importância de já adquirir uma área para a instalação destas empresas", destaca o prefeito.

Situação atual da Prefeitura de Maracajá


De acordo com Brambila, a gestão Arlindo Rocha (PSDB) e seu vice-prefeito Ademir de Oliveira (In Memorian), foi organizada. “As dívidas existentes são de financiamentos que passaram pela aprovação da Câmara de Vereadores, no valor de cerca de 8,4 milhões, investidos em pavimentações nos acessos da cidade pela administração anterior. No mais, está equilibrada financeiramente”, revela. O prefeito explica que a transição de governo foi tranquila e a nova equipe foi bem recebida: “antes mesmo de assumir, pudemos conhecer e se inteirar do funcionamento dos setores que integram a Administração”.

 Recado à população


Nossa Administração será voltada para as comunidades. Queremos que Maracajá se desenvolva com inovação e transparência. Nossa administração será popular, pois queremos a participação de todos da sociedade em debates e decisões, e aberta ao diálogo". Prefeito de Maracajá, Anibal Brambila.

 Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

O prefeito de Maracajá, Anibal Brambila (PSD), é o terceiro entrevistado  da série de reportagens do Portal W3 com os 15 gestores eleitos do extremo sul catarinense. O objetivo é avaliar os primeiros projetos dos prefeitos e descobrir a real situação em que se encontram as administrações dos municípios. 

As ações da nova administração estão focadas para os setores da Saúde e Educação, revela Anibal Brambila. Recentemente, Maracajá deixou de fazer parte do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Amesc (CisAmesc), pois a organização já não cumpria mais com seus deveres junto ao município. Logo, sair do consórcio era uma das prioridades de início de gestão para o prefeito Anibal Brambila. “Assim que iniciamos a gestão, já realizamos um levantamento da situação da Saúde de Maracajá, especificamente do CisAmesc, que nos mostrou sua ineficiência, pois já não resultava em economia e o atendimento era muito precário, tanto na contratação de medicamentos, quanto de serviços médicos”, explica.

O gestor ainda salienta que os atendimentos à população estavam prejudicados, pois o CisAmesc não honrou o pagamento de fornecedores — o que gerou falta de medicamentos, exames e laudos retidos nas clínicas. Para Brambila, a Saúde é prioridade e, portanto, a preocupação para não deixar os maracajaenses desassistidos.

A alternativa levantada pela administração foi a adesão ao Consórcio Público Intermunicipal de Saúde da AMREC (CisAmrec). Dessa forma, encaminharam à Câmara de Vereadores o Projeto de Lei nº 001/2021, que solicitava a adesão de Maracajá ao CisAmrec. “Os vereadores entenderam a necessidade da mudança e votaram pela aprovação. Com isso, vamos aos poucos colocando a Saúde de Maracajá nos eixos”, revela.

Outro desafio neste início de mandato está relacionado à pandemia, principalmente em manter o sistema de saúde funcionando, com assistência médica e com orientações. “A liberação da vacina contra a Covid-19 deu esperança a todos nós, mas sabemos que as medidas de segurança seguem, pois o processo de imunização ainda será longo e deve acontecer no decorrer do ano”, enfatiza o prefeito.

Aulas começam em março em Maracajá

Em relação à educação, Brambila destaca que já foram feito os encaminhamentos para o retorno das aulas. Frente ao cenário de pandemia, o município deverá seguir um Plano de Contingência, visando a segurança dos estudantes e também dos educadores. As matrículas nas três escolas municipais e no CEI já estão acontecendo e a previsão de início das aulas é para março.

Maquinário guardado em lugar impróprio

Atualmente, os maquinários da prefeitura estão guardados em um terreno alugado e que não oferece condições adequadas de armazenamento. “Já estamos buscando orçamentos para a aquisição de um terreno para fazer uma parque de máquinas adequado, evitando assim a deterioração dos equipamentos”, revela. Além disso, o prefeito tem o objetivo de adquirir novas máquinas para o município.

Parque Industrial

Visando o crescimento de Maracajá, entre as principais ações de início de mandato está a aquisição de um local para a instalação do Parque Industrial. “Com a conclusão da Rodovia Jacob Westrup e a liberação da Serra da Rocinha (BR-285) teremos grandes chances de atrair novas empresas para o município, por isso a importância de já adquirir uma área para a instalação destas empresas”, destaca o prefeito.

Situação atual da Prefeitura de Maracajá

De acordo com Brambila, a gestão Arlindo Rocha (PSDB) e seu vice-prefeito Ademir de Oliveira (In Memorian), foi organizada. “As dívidas existentes são de financiamentos que passaram pela aprovação da Câmara de Vereadores, no valor de cerca de 8,4 milhões, investidos em pavimentações nos acessos da cidade pela administração anterior. No mais, está equilibrada financeiramente”, revela. O prefeito explica que a transição de governo foi tranquila e a nova equipe foi bem recebida: “antes mesmo de assumir, pudemos conhecer e se inteirar do funcionamento dos setores que integram a Administração”.

 Recado à população

Nossa Administração será voltada para as comunidades. Queremos que Maracajá se desenvolva com inovação e transparência. Nossa administração será popular, pois queremos a participação de todos da sociedade em debates e decisões, e aberta ao diálogo”. Prefeito de Maracajá, Anibal Brambila.

 Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias