SAMAE estuda contratar empresa para fiscalizar ligação residencial a rede de esgoto

Araranguá intensifica as ações orientando a população para a campanha "Se Liga na Rede"

Foto: Assessoria de imprensa

Ao mesmo tempo em que analisa a possibilidade de contratar uma empresa para realizar a fiscalização quanto a ligação na rede de esgoto, o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (SAMAE) de Araranguá intensifica ações orientando a população. Nesse sentido existe a campanha "Se Liga na Rede".


Hoje, aproximadamente 40% da cidade, que corresponde a aproximadamente 63 quilômetros de rede, dispõe de acesso à rede de esgotamento sanitário, mas milhares de residências não providenciam esta ligação.


O diretor geral do SAMAE, Jairo do Canto Costa, Jairinho, observa que, entre outros benefícios, a eventual contratação de uma empresa para executar o serviço de monitoramento ajudaria a corrigir distorções, também contribuindo para a formulação de uma espécie de mapeamento da situação quanto às ligações feitas na rede de esgotamento sanitário. "Caso realmente seja concretizada, esta medida possibilitaria, por exemplo, a elaboração de um completo diagnóstico municipal, além de permitir que a Vigilância Sanitária Municipal possa autuar aqueles que não respeitam às regras, causando prejuízos à coletividade, especialmente ao meio ambiente. Frequentemente, as pessoas adquirem residências e não sabem que devem providenciar a ligação na rede do SAMAE".


O SAMAE de Araranguá mantém duas Estações de Tratamento de Esgoto (ETE's), situadas junto aos bairros Urussanguinha e Parque Alvorada. No modelo de tratamento executado pela autarquia, o esgoto captado por tanques é submetido a uma série de etapas que incluem processos como floculação, separação de impurezas e filtragens, até que a água poluída esteja apta a ser devolvida a natureza sem representar uma ameaça à saúde e ao meio ambiente.


DIFERENTES RESÍDUOS FORMAM OS ESGOTOS:


Depois do uso da água, seja no banho, na limpeza de roupas, de louças ou na descarga do vaso sanitário, o esgoto começa a ser formado.


Os resíduos são divididos em três tipos diferentes: os que vêm das residências formam os esgotos domésticos, os das águas da chuva são chamados de esgotos pluviais e os formados em fábricas recebem o nome de esgotos industriais.


Cada tipo possui substâncias diferentes, e são necessários sistemas específicos para o tratamento dos resíduos. Os sistemas de coleta e tratamento de esgotos são importantes para a saúde pública porque evitam a contaminação e transmissão de doenças, além de preservar o meio ambiente.


O QUE DEVE IR PARA A REDE DE ESGOTO:


- Água de banho e descarga;


- Água de lavatórios, como pia de cozinha, banheiro, tanque;


- Ralos de escoamento de banheiros, cozinha, área de serviço;


- Água de máquinas de lavar roupas e louças;


- Água utilizada por quaisquer outros equipamentos geradores de esgotos domésticos.


O QUE NÃO DEVE IR PARA A REDE DE ESGOTO:


- Água da chuva;


- Papéis e panos;


- Restos de comida;


- Óleo de cozinha;


- Cigarros;


- Plásticos;


- Cabelo;


- Fraldas, absorventes e preservativos;


- Outros objetos que possam entupir o encanamento.


 

A ligação da rede de esgoto é obrigatória, conforme estabelece a Lei Federal nº 11.445/07, também conhecida como Lei do Saneamento Básico.


Fonte: Assessoria de imprensa SAMAE

Ao mesmo tempo em que analisa a possibilidade de contratar uma empresa para realizar a fiscalização quanto a ligação na rede de esgoto, o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (SAMAE) de Araranguá intensifica ações orientando a população. Nesse sentido existe a campanha “Se Liga na Rede”.

Hoje, aproximadamente 40% da cidade, que corresponde a aproximadamente 63 quilômetros de rede, dispõe de acesso à rede de esgotamento sanitário, mas milhares de residências não providenciam esta ligação.

O diretor geral do SAMAE, Jairo do Canto Costa, Jairinho, observa que, entre outros benefícios, a eventual contratação de uma empresa para executar o serviço de monitoramento ajudaria a corrigir distorções, também contribuindo para a formulação de uma espécie de mapeamento da situação quanto às ligações feitas na rede de esgotamento sanitário. “Caso realmente seja concretizada, esta medida possibilitaria, por exemplo, a elaboração de um completo diagnóstico municipal, além de permitir que a Vigilância Sanitária Municipal possa autuar aqueles que não respeitam às regras, causando prejuízos à coletividade, especialmente ao meio ambiente. Frequentemente, as pessoas adquirem residências e não sabem que devem providenciar a ligação na rede do SAMAE”.

O SAMAE de Araranguá mantém duas Estações de Tratamento de Esgoto (ETE’s), situadas junto aos bairros Urussanguinha e Parque Alvorada. No modelo de tratamento executado pela autarquia, o esgoto captado por tanques é submetido a uma série de etapas que incluem processos como floculação, separação de impurezas e filtragens, até que a água poluída esteja apta a ser devolvida a natureza sem representar uma ameaça à saúde e ao meio ambiente.

DIFERENTES RESÍDUOS FORMAM OS ESGOTOS:

Depois do uso da água, seja no banho, na limpeza de roupas, de louças ou na descarga do vaso sanitário, o esgoto começa a ser formado.

Os resíduos são divididos em três tipos diferentes: os que vêm das residências formam os esgotos domésticos, os das águas da chuva são chamados de esgotos pluviais e os formados em fábricas recebem o nome de esgotos industriais.

Cada tipo possui substâncias diferentes, e são necessários sistemas específicos para o tratamento dos resíduos. Os sistemas de coleta e tratamento de esgotos são importantes para a saúde pública porque evitam a contaminação e transmissão de doenças, além de preservar o meio ambiente.

O QUE DEVE IR PARA A REDE DE ESGOTO:

– Água de banho e descarga;

– Água de lavatórios, como pia de cozinha, banheiro, tanque;

– Ralos de escoamento de banheiros, cozinha, área de serviço;

– Água de máquinas de lavar roupas e louças;

– Água utilizada por quaisquer outros equipamentos geradores de esgotos domésticos.

O QUE NÃO DEVE IR PARA A REDE DE ESGOTO:

– Água da chuva;

– Papéis e panos;

– Restos de comida;

– Óleo de cozinha;

– Cigarros;

– Plásticos;

– Cabelo;

– Fraldas, absorventes e preservativos;

– Outros objetos que possam entupir o encanamento.

 

A ligação da rede de esgoto é obrigatória, conforme estabelece a Lei Federal nº 11.445/07, também conhecida como Lei do Saneamento Básico.

Fonte: Assessoria de imprensa SAMAE

Compartilhe

Voltar às notícias