Saiba quem pode se vacinar a partir desta quinta-feira

Nesta quinta-feira, 16, inicia a segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Nos próximos dias, serão imunizados os idosos e profissionais da saúde que não conseguiram ser vacinados na primeira fase, caminhoneiros, motoristas de transporte coletivo e de órgãos públicos, policiais, bombeiros, presidiários, funcionários do sistema prisional, povos indígenas e pessoas com doenças crônicas não transmissíveis.

O estimado é que na região da AMESC, aproximadamente 70 mil pessoas recebam a vacina. Segundo a técnica do Setor de Imunização da Gerência Regional de Saúde, Bárbara Cristiano Monteiro, mesmo com a falta de doses em alguns municípios, a cobertura de idosos está em 103% e a de profissionais da saúde está em 89%.

É importante lembrar que a vacina contra a gripe não previne o coronavírus, mas serve para facilitar o diagnóstico. Os sintomas da gripe comum e da COVID-19, são semelhantes em casos não agudos. A campanha foi antecipada por causa da pandemia e vai até 22 de maio. O Dia D, quando os postos de saúde ficam abertos no sábado, será em 9 de maio.

Situação em Araranguá

Em Araranguá, segundo o porta-voz da administração e secretário de Planejamento, Indústria e Comércio, Francisco Diello, as vacinas já estão distribuídas entre as Unidades Básicas de Saúde e Bom Pastor. “A vacinação ocorre no município das 7h às 13h, se houver doses. Na primeira fase acabou muito rápido, mas de acordo com os quantitativos recebidos e a procura menor - já que boa parte dos idosos e profissionais da saúde já foram imunizados, a situação está mais tranquila”.

Situação em Balneário Arroio do Silva

No Arroio do Silva, as vacinas estão sendo realizadas no Salão Paroquial da Igreja Matriz Nossa Senhora dos Navegantes. A equipe de vacinação da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde entra na reta final da primeira fase, com a vacinação dos idosos acima de 60 anos. E no mesmo dia, será dado início à segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe A (H1N1), seguindo o calendário padrão.

Situação em Maracajá

Em Maracajá, diante da previsão de insuficiência de doses, critérios estão estabelecidos para garantir a imunização. Segundo o diretor do Departamento de Saúde, Diogo Copetti. A previsão de falta se dá pela base utilizada pelo Ministério da Saúde para distribuir as vacinas aos municípios, o Censo do IBGE de 2012; já faltou vacina para idosos, pois temos cerca de 200 idosos a mais que os 660 previsto pelo Ministério”, enfatiza. “Temos informações que vamos receber uma nova remessa no final da tarde de quinta-feira e estamos preocupados com a situação”, informa a coordenadora da Sala de Vacinas, Silvana Bilésimo.

Em maracajá, os motoristas que buscarem pela imunização, terão que comprovar que estão em atividade como empregados com carteira de trabalho, contra cheque atual de salário ou declaração da empresa e apresentar CNH (C,D,E) com descrição EAR. Já os portadores de doenças crônicas respiratórias, cardíacas, renais, hepáticas, ou neurológicas, diabetes, imunossupressão, obesos em grau III, transplantados (órgão sólidos e medula óssea) e portadores de trissomias (Dow e Klinefelter entre outras) deverão comprovar a situação com atestados, declarações ou receitas de medicamentos utilizados.

Nesta quinta-feira, 16, inicia a segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Nos próximos dias, serão imunizados os idosos e profissionais da saúde que não conseguiram ser vacinados na primeira fase, caminhoneiros, motoristas de transporte coletivo e de órgãos públicos, policiais, bombeiros, presidiários, funcionários do sistema prisional, povos indígenas e pessoas com doenças crônicas não transmissíveis.

O estimado é que na região da AMESC, aproximadamente 70 mil pessoas recebam a vacina. Segundo a técnica do Setor de Imunização da Gerência Regional de Saúde, Bárbara Cristiano Monteiro, mesmo com a falta de doses em alguns municípios, a cobertura de idosos está em 103% e a de profissionais da saúde está em 89%.

É importante lembrar que a vacina contra a gripe não previne o coronavírus, mas serve para facilitar o diagnóstico. Os sintomas da gripe comum e da COVID-19, são semelhantes em casos não agudos. A campanha foi antecipada por causa da pandemia e vai até 22 de maio. O Dia D, quando os postos de saúde ficam abertos no sábado, será em 9 de maio.

Situação em Araranguá

Em Araranguá, segundo o porta-voz da administração e secretário de Planejamento, Indústria e Comércio, Francisco Diello, as vacinas já estão distribuídas entre as Unidades Básicas de Saúde e Bom Pastor. “A vacinação ocorre no município das 7h às 13h, se houver doses. Na primeira fase acabou muito rápido, mas de acordo com os quantitativos recebidos e a procura menor – já que boa parte dos idosos e profissionais da saúde já foram imunizados, a situação está mais tranquila”.

Situação em Balneário Arroio do Silva

No Arroio do Silva, as vacinas estão sendo realizadas no Salão Paroquial da Igreja Matriz Nossa Senhora dos Navegantes. A equipe de vacinação da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde entra na reta final da primeira fase, com a vacinação dos idosos acima de 60 anos. E no mesmo dia, será dado início à segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe A (H1N1), seguindo o calendário padrão.

Situação em Maracajá

Em Maracajá, diante da previsão de insuficiência de doses, critérios estão estabelecidos para garantir a imunização. Segundo o diretor do Departamento de Saúde, Diogo Copetti. A previsão de falta se dá pela base utilizada pelo Ministério da Saúde para distribuir as vacinas aos municípios, o Censo do IBGE de 2012; já faltou vacina para idosos, pois temos cerca de 200 idosos a mais que os 660 previsto pelo Ministério”, enfatiza. “Temos informações que vamos receber uma nova remessa no final da tarde de quinta-feira e estamos preocupados com a situação”, informa a coordenadora da Sala de Vacinas, Silvana Bilésimo.

Em maracajá, os motoristas que buscarem pela imunização, terão que comprovar que estão em atividade como empregados com carteira de trabalho, contra cheque atual de salário ou declaração da empresa e apresentar CNH (C,D,E) com descrição EAR. Já os portadores de doenças crônicas respiratórias, cardíacas, renais, hepáticas, ou neurológicas, diabetes, imunossupressão, obesos em grau III, transplantados (órgão sólidos e medula óssea) e portadores de trissomias (Dow e Klinefelter entre outras) deverão comprovar a situação com atestados, declarações ou receitas de medicamentos utilizados.

Compartilhe

Voltar às notícias