Blog Rolando Christian Coelho: região tem 41 candidatos a prefeito homologados  

Nada menos do que 41 candidatos a prefeito disputarão as 15 prefeituras de nossa região no pleito eleitoral deste ano. Este número, tradicionalmente, ficava na casa das 35 candidaturas, mas, neste ano, foi inflacionado, principalmente por conta do aurorescer de novas candidaturas de direita em nossa região, surgidas, em grande parte, por conta da Onda Bolsonaro.


Os municípios com mais candidatos são Araranguá e Balneário Gaivota, com cinco postulantes ao comando do executivo cada um. Com três candidaturas a prefeito, ficaram Sombrio, Turvo, Passo de Torres, Meleiro e Balneário Arroio do Silva. Já os municípios de Praia Grande, São João do sul, Santa Rosa do Sul, Jacinto Machado, Ermo, Timbé do Sul, Morro Grande e Maracajá terão dois candidatos cada.


O PRTB é o partido não tradicional com mais candidaturas a prefeito neste ano, postulando os executivos de Araranguá, Sombrio e Balneário Gaivota. Há também partidos cuja sonoridade ainda não é familiar à política regional, mas que terão candidatos ao comando das prefeituras, como é o caso do Republicanos, em São João do Sul e do Avante, em Gaivota. Em toda região, a esquerda será representada apenas por duas candidaturas ao executivo: uma do Psol, em Araranguá, e outra do PDT em Arroio do Silva. O PT, que já chegou a comandar no mesmo mandato três prefeituras em nossa região, neste ano terá apenas um candidato a vice-prefeito, em Arroio.


Meleiro confirma três candidaturas a prefeito neste ano 


Em Meleiro só mesmo as convenções fizeram com que o cenário majoritário deste ano se acomodasse. O município foi marcado, ao longo das últimas semanas, por uma série de desdobramentos, alguns inusitados, como foi o fato do PDT ter rompido, aos 45 do segundo tempo, com o prefeito Eder Mattos (PL), e se aliado ao Progressistas, do ex-prefeito Vitor Hugo Coral. Ao término das convenções, restaram as candidaturas de Eder Mattos (PL) à reeleição, tendo Pedro Luiz, o Cotoco (PL), como candidato a vice, como também as dobradinhas compostas por Vitor Hugo Coral (PP) e Santina Izé (PDT), e ainda Rogildo Bordignon (PSDB) e Reginaldo Ghellere (MDB).


Progressistas será o partido com mais candidato a prefeito  


Progressistas será o partido que mais terá candidatos a prefeito neste ano aqui no Extremo Sul: 12 no total. O MDB vem na segunda colocação, com dez candidaturas. O PSDB ocupa a terceira colocação, com seis candidatos, seguido do PRTB e do PL, que terão três candidaturas cada. Com apenas uma candidatura, disputarão prefeituras o PSD, PSC, PDT, Psol, PSL, Republicanos e Avante. Os partidos que mais se enfrentarão diretamente pelo comando dos executivos serão Progressistas e MDB, fruto da velha rivalidade entre as duas siglas em Santa Catarina. Interessante observar que o PSD terá apenas uma candidatura, situação totalmente antagônica a ultima eleição, quando a sigla elegeu cinco prefeitos no Extremo Sul.


MDB de Morro Grande permanece dividido  


Em Morro Grande, ainda que as convenções já tenham sido encerradas, há uma série de dúvidas em relação ao futuro dos dois grupos políticos que pretendem disputar a eleição. Em princípio, o ex-prefeito Clélio Daniel Olivo (PP) vai tentar voltar ao comando da prefeitura tendo como candidato a vice Juracir Favarim, o Tatin (MDB). O MDB, no entanto, não está unido em torno desta tese, e uma forte ala do partido promete se aliar a candidatura de Oscar Coral (PSDB), que deverá ter como seu candidato a vice Édio Tomazi (PL), ou Volnei Favarim (PL). O grupo dos emedebistas descontentes é liderado pelo ex-prefeito Ênio Zuchinalli.


Rivalidade entre PP e MDB ainda é grande em nossa região  


Progressistas e MDB disputarão as prefeituras de todos os municípios onde os partidos já as administram na atual gestão. Todavia, o MDB não estará sequer na composição majoritária, como candidato a vice, no município de Arroio do Silva, que já foi comando pela sigla em duas ocasiões. Já o Progressistas não será sequer vice em Maracajá, que já foi administrado diversas vezes pela sigla. De um modo geral, pelas candidaturas postas depois do encerramento das convenções, o que se percebe é a manutenção da velha rivalidade entre Progressistas e MDB em nossa região, o crescimento de legendas como o PSDB, PRTB e PL, e também a solidificação de projetos ligados a partidos de direita, espraiados em vários pontos do Extremo Sul.


Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Nada menos do que 41 candidatos a prefeito disputarão as 15 prefeituras de nossa região no pleito eleitoral deste ano. Este número, tradicionalmente, ficava na casa das 35 candidaturas, mas, neste ano, foi inflacionado, principalmente por conta do aurorescer de novas candidaturas de direita em nossa região, surgidas, em grande parte, por conta da Onda Bolsonaro.

Os municípios com mais candidatos são Araranguá e Balneário Gaivota, com cinco postulantes ao comando do executivo cada um. Com três candidaturas a prefeito, ficaram Sombrio, Turvo, Passo de Torres, Meleiro e Balneário Arroio do Silva. Já os municípios de Praia Grande, São João do sul, Santa Rosa do Sul, Jacinto Machado, Ermo, Timbé do Sul, Morro Grande e Maracajá terão dois candidatos cada.

O PRTB é o partido não tradicional com mais candidaturas a prefeito neste ano, postulando os executivos de Araranguá, Sombrio e Balneário Gaivota. Há também partidos cuja sonoridade ainda não é familiar à política regional, mas que terão candidatos ao comando das prefeituras, como é o caso do Republicanos, em São João do Sul e do Avante, em Gaivota. Em toda região, a esquerda será representada apenas por duas candidaturas ao executivo: uma do Psol, em Araranguá, e outra do PDT em Arroio do Silva. O PT, que já chegou a comandar no mesmo mandato três prefeituras em nossa região, neste ano terá apenas um candidato a vice-prefeito, em Arroio.

Meleiro confirma três candidaturas a prefeito neste ano 

Em Meleiro só mesmo as convenções fizeram com que o cenário majoritário deste ano se acomodasse. O município foi marcado, ao longo das últimas semanas, por uma série de desdobramentos, alguns inusitados, como foi o fato do PDT ter rompido, aos 45 do segundo tempo, com o prefeito Eder Mattos (PL), e se aliado ao Progressistas, do ex-prefeito Vitor Hugo Coral. Ao término das convenções, restaram as candidaturas de Eder Mattos (PL) à reeleição, tendo Pedro Luiz, o Cotoco (PL), como candidato a vice, como também as dobradinhas compostas por Vitor Hugo Coral (PP) e Santina Izé (PDT), e ainda Rogildo Bordignon (PSDB) e Reginaldo Ghellere (MDB).

Progressistas será o partido com mais candidato a prefeito  

Progressistas será o partido que mais terá candidatos a prefeito neste ano aqui no Extremo Sul: 12 no total. O MDB vem na segunda colocação, com dez candidaturas. O PSDB ocupa a terceira colocação, com seis candidatos, seguido do PRTB e do PL, que terão três candidaturas cada. Com apenas uma candidatura, disputarão prefeituras o PSD, PSC, PDT, Psol, PSL, Republicanos e Avante. Os partidos que mais se enfrentarão diretamente pelo comando dos executivos serão Progressistas e MDB, fruto da velha rivalidade entre as duas siglas em Santa Catarina. Interessante observar que o PSD terá apenas uma candidatura, situação totalmente antagônica a ultima eleição, quando a sigla elegeu cinco prefeitos no Extremo Sul.

MDB de Morro Grande permanece dividido  

Em Morro Grande, ainda que as convenções já tenham sido encerradas, há uma série de dúvidas em relação ao futuro dos dois grupos políticos que pretendem disputar a eleição. Em princípio, o ex-prefeito Clélio Daniel Olivo (PP) vai tentar voltar ao comando da prefeitura tendo como candidato a vice Juracir Favarim, o Tatin (MDB). O MDB, no entanto, não está unido em torno desta tese, e uma forte ala do partido promete se aliar a candidatura de Oscar Coral (PSDB), que deverá ter como seu candidato a vice Édio Tomazi (PL), ou Volnei Favarim (PL). O grupo dos emedebistas descontentes é liderado pelo ex-prefeito Ênio Zuchinalli.

Rivalidade entre PP e MDB ainda é grande em nossa região  

Progressistas e MDB disputarão as prefeituras de todos os municípios onde os partidos já as administram na atual gestão. Todavia, o MDB não estará sequer na composição majoritária, como candidato a vice, no município de Arroio do Silva, que já foi comando pela sigla em duas ocasiões. Já o Progressistas não será sequer vice em Maracajá, que já foi administrado diversas vezes pela sigla. De um modo geral, pelas candidaturas postas depois do encerramento das convenções, o que se percebe é a manutenção da velha rivalidade entre Progressistas e MDB em nossa região, o crescimento de legendas como o PSDB, PRTB e PL, e também a solidificação de projetos ligados a partidos de direita, espraiados em vários pontos do Extremo Sul.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar ao blog