Região registra três mortes por afogamento

Óbitos foram registrados todos em rios sem a presença de guarda-vidas


Em dias mais quentes é comum buscar se refrescar na água, seja ela doce ou salgada. Mas o Corpo de Bombeiro emite um alerta para quem gosta dos banhos de rios e de mar, referente aos cuidados com os riscos de afogamentos.


Somente nesta temporada, que teve início em outubro de 2018, já foram contabilizados três mortes por afogamentos no Extremo Sul Catarinense. Todos os óbitos ocorreram em rios, em Turvo, Meleiro e Passo de Torres, onde não há o apoio de guarda-vidas.


Também foram registrados 13 afogamentos com salvamentos em rios da região. Já no mar, apenas um afogamento foi contabilizado. Segundo o Corpo de Bombeiros, algumas medidas podem deixar os banhos mais seguros, mesmo sem a presença de uma guarda-vidas:


- Não se banhe em locais onde a profundidade ultrapasse a linha da cintura;


- Mantenha supervisão constante das crianças, mesmo elas não estando na água;


- Não tente salvar alguém que esteja se afogando, caso você não tenha habilidades;


- Não se banhe logo após ter se alimentado ou ingerido bebidas alcoólicas;


- Nunca pule "de cabeça" na água, pois poderá ter sérias lesões;


- Tome cuidado com os locais onde enchem muito rápido, devido às fortes chuvas, podendo ser arrastado pela força das águas ou até mesmo ficar ilhado.

Em dias mais quentes é comum buscar se refrescar na água, seja ela doce ou salgada. Mas o Corpo de Bombeiro emite um alerta para quem gosta dos banhos de rios e de mar, referente aos cuidados com os riscos de afogamentos.

Somente nesta temporada, que teve início em outubro de 2018, já foram contabilizados três mortes por afogamentos no Extremo Sul Catarinense. Todos os óbitos ocorreram em rios, em Turvo, Meleiro e Passo de Torres, onde não há o apoio de guarda-vidas.

Também foram registrados 13 afogamentos com salvamentos em rios da região. Já no mar, apenas um afogamento foi contabilizado. Segundo o Corpo de Bombeiros, algumas medidas podem deixar os banhos mais seguros, mesmo sem a presença de uma guarda-vidas:

– Não se banhe em locais onde a profundidade ultrapasse a linha da cintura;

– Mantenha supervisão constante das crianças, mesmo elas não estando na água;

– Não tente salvar alguém que esteja se afogando, caso você não tenha habilidades;

– Não se banhe logo após ter se alimentado ou ingerido bebidas alcoólicas;

– Nunca pule “de cabeça” na água, pois poderá ter sérias lesões;

– Tome cuidado com os locais onde enchem muito rápido, devido às fortes chuvas, podendo ser arrastado pela força das águas ou até mesmo ficar ilhado.

Compartilhe

Voltar às notícias