Policiais Civis realizam maior manifestação da história de SC

Da região de Araranguá participaram em torno de 80 profissionais da Segurança Pública

Profissionais da Segurança Pública entre eles policiais civis, policiais penais, agentes socioeducativos e profissionais do IGP fizeram na tarde desta terça, 20, o considerado maior protesto unificado da história catarinense. Da região de Araranguá um grupo de oitenta profissionais marcaram presença.
A pauta da manifestação que contou com o apoio da categoria de todas as regiões de Santa Catarina foi contra o projeto de lei que propõe a Reforma da Previdência dos servidores estaduais. De acordo com o SINPOL-SC, a proposta não atende os apelos da categoria. Em nota, o sindicato diz que é importante pressionar o Governo do Estado. “Ainda estamos na mesa de negociação, no entanto, até o momento não houve por parte dos representantes do Governo qualquer aceno em aceitar os pleitos da categoria”.

Os manifestantes lotaram algumas ruas da capital, e o maior movimento foi em frente da Assembleia Legislativa. O projeto será encaminhado na próxima semana para as comissões e deve ser votado em seguida.
O Instituto da Previdência (IPREV) alega que que tem mais servidores aposentados no estado que na ativa, o que onera os cofres públicos de maneira demasiada. Ontem, 19, foi realizada uma audiência na Alesc para discutir o assunto, com a participação de trinta entidades representativas no território estadual.
Segundo o delegado, Jair Duarte, porta-voz dos agentes do Extremo-Sul e que atua na Central de Polícia de Araranguá, os participantes aproveitaram as horas-extras contabilizadas para irem à manifestação. “Estes policiais não faltaram serviço, foi descontado do banco de horas. Alguns, como trabalham muito, tem até mil horas para descontar”, disse.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Profissionais da Segurança Pública entre eles policiais civis, policiais penais, agentes socioeducativos e profissionais do IGP fizeram na tarde desta terça, 20, o considerado maior protesto unificado da história catarinense. Da região de Araranguá um grupo de oitenta profissionais marcaram presença.
A pauta da manifestação que contou com o apoio da categoria de todas as regiões de Santa Catarina foi contra o projeto de lei que propõe a Reforma da Previdência dos servidores estaduais. De acordo com o SINPOL-SC, a proposta não atende os apelos da categoria. Em nota, o sindicato diz que é importante pressionar o Governo do Estado. “Ainda estamos na mesa de negociação, no entanto, até o momento não houve por parte dos representantes do Governo qualquer aceno em aceitar os pleitos da categoria”.

Os manifestantes lotaram algumas ruas da capital, e o maior movimento foi em frente da Assembleia Legislativa. O projeto será encaminhado na próxima semana para as comissões e deve ser votado em seguida.
O Instituto da Previdência (IPREV) alega que que tem mais servidores aposentados no estado que na ativa, o que onera os cofres públicos de maneira demasiada. Ontem, 19, foi realizada uma audiência na Alesc para discutir o assunto, com a participação de trinta entidades representativas no território estadual.
Segundo o delegado, Jair Duarte, porta-voz dos agentes do Extremo-Sul e que atua na Central de Polícia de Araranguá, os participantes aproveitaram as horas-extras contabilizadas para irem à manifestação. “Estes policiais não faltaram serviço, foi descontado do banco de horas. Alguns, como trabalham muito, tem até mil horas para descontar”, disse.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias