Plantão Coronavírus: médica araranguaense encabeça campanha para doação de máscaras

Além da médica que emplaca pedido para doação de máscaras para profissionais da saúde grupos se mobilizam para doação de alimentos aos necessitados

A desinformação da maioria das pessoas que desesperadas esvaziaram as prateleiras das farmácias e lojas especializadas em produtos de saúde nas últimas semanas, provocou não apenas a falta do álcool em gel 70%, mas também de máscaras cirúrgicas descartáveis, usadas para evitar o contágio de doenças infecciosas, como é o caso do Coronavírus.

Mas em tempos de decretação do isolamento social, a falta de um tipo específico de máscara descartável – normalmente na cor azul com o filtro mais resistente - tem provocado preocupação dos profissionais da saúde que estão em serviço atendendo a população e, em contato direto com pacientes em condição de suspeita ou confirmados para a doença. Os serviços de saúde privados e públicos também encontram dificuldades de comprar estes insumos pela falta no mercado. Eles protegem a proliferação do vírus e as condições de saúde dos próprios médicos, enfermeiros e assistentes que estão em contato direto com os todo o tipo de pacientes.

Pensando nisso, a médica araranguaense, Samara Paes, que atende na secretaria municipal de Saúde, emplacou na noite de domingo,  22, nas suas redes sociais uma campanha para chamar a atenção das pessoas para a doação de máscaras descartáveis que adquiriam em grandes quantidades e sem necessidade.  “Estava pensando uma forma de ajudar, e nós estamos com dificuldade de comprar máscaras. As secretarias de Saúde também. As pessoas estocaram em casa e a máscara N95 é exclusiva para os profissionais de saúde, fundamental para nosso trabalho. Quem está confinado ao sair de casa pode usar as máscaras descartáveis simples. Nós estamos em falta”, contou.

Em um dia depois de publicar um vídeo, Dra. Samara, já recebeu  algumas doações. “As pessoas precisam se sensibilizar. Quem comprou mais de uma e tem em casa pode doar para algum profissional da saúde. A maioria das pessoas tem um vizinho enfermeiro, conhece um médico, algum técnico da área e pode fazer a doação. Faço apelo para não estocarem estes insumos que são importantes para quem está na rua atendendo a população. Sem este material a probabilidade da área da saúde ficar doente é enorme, e estamos de plantão, convocados para atender toda a demanda que surgir”, complementou.

Como a ideia é recente, a médica pretende se reunir com alguns colegas de trabalho para estudar formas de coletar essas doações dos interessados, já que não é recomendada a criação de um ponto específico para evitar a aglomeração das pessoas. No Instagram, quem quiser colaborar, só procurar o perfil @_samara.paes.

Conheça outras campanhas que chamam a atenção:

Médicos atendem de graça pela rede social

- Também vem da classe médica a campanha que identifica no perfil pessoal a sua profissão. Vários médicos de diferentes especialidades postaram no final de semana o recado dizendo que qualquer dúvida dos usuários de suas redes sociais sobre o Coronavírus, podem ser feitos, sem custo algum por mensagem no particular. A mensagem diz que “Essa é uma iniciativa dos profissionais da saúde para evitar saturar o nosso sistema”.

#desafioSerhumano

- Um grupo de amigos, envolvendo empresários, jogador de futebol e personalidades locais da região de Araranguá, começou uma campanha chamada #desafioSerHUMANO, nesta segunda, 23, mobilizando a população para a doação de alimentos às família carentes enquanto durar a pandemia. Os idealizadores dizem que a ideia é fazer com que as doações sejam deixadas nos supermercados participantes. “Depois da arrecadação entregaremos com a ajuda de voluntários e dos órgãos competentes que tem o cadastro das famílias carentes. Importante lembrar que as doações chegarão nas casas das pessoas, não é necessário procurar o serviço sercial. Nossa intenção é evitar aglomerações e manifestar nossa solidariedade”, disseram. Informações através do telefone (48) 9 9837-1000.

Máscaras artesanais

No Balneário Arroio do Silva, a empresária, Selma Hilário, que tem uma empresa de roupas de banho, está fabricando gratuitamente máscaras de proteção. “Adquiri TNT numa papelaria e estamos fazendo oitenta máscaras, mas se tivermos doação do material podemos produzir mais, com capacidade de até 100 máscaras por dia”, explicou. O contato pode ser feito através do número (48) 9-96330583. A primeira remessa do material produzido foi destinado a secretaria de Saúde do Município.

Projeto Cem Carência no Boxe

Entrega de cestas básicas às famílias em situação de risco também são o foco do projeto de Araranguá, Cem Carência no Boxe, coordenado pelo professor de boxe, Ricardo Bert. “As ligações para doações não param. Se as pessoas não querem sair de suas casas para entregar os donativos, podem entrar em contato comigo, que eu mesmo faço. Temos muitas famílias necessitadas e que neste período vão sentir mais a situação”, disse. O telefone para contato com o projeto é (48) 9 9164-1969.

Casa da fraternidade

“Meus amigos, queremos esclarecer que estamos nos organizando para criar um protocolo de higienização e distribuição das cestas básicas arrecadadas para nossas famílias, para que a ação não seja risco para quem doa e nem para quem recebe. Pois lembre-se não  podemos gerar aglomerações de pessoas e devemos tomar todas as providências de prevenção”, diz a mensagem da presidente da casa, Cátia Hanh, que atende em torno de 200 crianças nos projetos realizados pela instituição e que estará fechada por conta da quarentena. “Se você deseja fazer parte deste grupo nos avise pelo celular 9.96928497 que faremos um grupo via whats”, continua a mensagem encaminhada por Cátia a uma lista de contatos que colabora com a causa.

A desinformação da maioria das pessoas que desesperadas esvaziaram as prateleiras das farmácias e lojas especializadas em produtos de saúde nas últimas semanas, provocou não apenas a falta do álcool em gel 70%, mas também de máscaras cirúrgicas descartáveis, usadas para evitar o contágio de doenças infecciosas, como é o caso do Coronavírus.

Mas em tempos de decretação do isolamento social, a falta de um tipo específico de máscara descartável – normalmente na cor azul com o filtro mais resistente – tem provocado preocupação dos profissionais da saúde que estão em serviço atendendo a população e, em contato direto com pacientes em condição de suspeita ou confirmados para a doença. Os serviços de saúde privados e públicos também encontram dificuldades de comprar estes insumos pela falta no mercado. Eles protegem a proliferação do vírus e as condições de saúde dos próprios médicos, enfermeiros e assistentes que estão em contato direto com os todo o tipo de pacientes.

Pensando nisso, a médica araranguaense, Samara Paes, que atende na secretaria municipal de Saúde, emplacou na noite de domingo,  22, nas suas redes sociais uma campanha para chamar a atenção das pessoas para a doação de máscaras descartáveis que adquiriam em grandes quantidades e sem necessidade.  “Estava pensando uma forma de ajudar, e nós estamos com dificuldade de comprar máscaras. As secretarias de Saúde também. As pessoas estocaram em casa e a máscara N95 é exclusiva para os profissionais de saúde, fundamental para nosso trabalho. Quem está confinado ao sair de casa pode usar as máscaras descartáveis simples. Nós estamos em falta”, contou.

Em um dia depois de publicar um vídeo, Dra. Samara, já recebeu  algumas doações. “As pessoas precisam se sensibilizar. Quem comprou mais de uma e tem em casa pode doar para algum profissional da saúde. A maioria das pessoas tem um vizinho enfermeiro, conhece um médico, algum técnico da área e pode fazer a doação. Faço apelo para não estocarem estes insumos que são importantes para quem está na rua atendendo a população. Sem este material a probabilidade da área da saúde ficar doente é enorme, e estamos de plantão, convocados para atender toda a demanda que surgir”, complementou.

Como a ideia é recente, a médica pretende se reunir com alguns colegas de trabalho para estudar formas de coletar essas doações dos interessados, já que não é recomendada a criação de um ponto específico para evitar a aglomeração das pessoas. No Instagram, quem quiser colaborar, só procurar o perfil @_samara.paes.

Conheça outras campanhas que chamam a atenção:

Médicos atendem de graça pela rede social

– Também vem da classe médica a campanha que identifica no perfil pessoal a sua profissão. Vários médicos de diferentes especialidades postaram no final de semana o recado dizendo que qualquer dúvida dos usuários de suas redes sociais sobre o Coronavírus, podem ser feitos, sem custo algum por mensagem no particular. A mensagem diz que “Essa é uma iniciativa dos profissionais da saúde para evitar saturar o nosso sistema”.

#desafioSerhumano

– Um grupo de amigos, envolvendo empresários, jogador de futebol e personalidades locais da região de Araranguá, começou uma campanha chamada #desafioSerHUMANO, nesta segunda, 23, mobilizando a população para a doação de alimentos às família carentes enquanto durar a pandemia. Os idealizadores dizem que a ideia é fazer com que as doações sejam deixadas nos supermercados participantes. “Depois da arrecadação entregaremos com a ajuda de voluntários e dos órgãos competentes que tem o cadastro das famílias carentes. Importante lembrar que as doações chegarão nas casas das pessoas, não é necessário procurar o serviço sercial. Nossa intenção é evitar aglomerações e manifestar nossa solidariedade”, disseram. Informações através do telefone (48) 9 9837-1000.

Máscaras artesanais

No Balneário Arroio do Silva, a empresária, Selma Hilário, que tem uma empresa de roupas de banho, está fabricando gratuitamente máscaras de proteção. “Adquiri TNT numa papelaria e estamos fazendo oitenta máscaras, mas se tivermos doação do material podemos produzir mais, com capacidade de até 100 máscaras por dia”, explicou. O contato pode ser feito através do número (48) 9-96330583. A primeira remessa do material produzido foi destinado a secretaria de Saúde do Município.

Projeto Cem Carência no Boxe

Entrega de cestas básicas às famílias em situação de risco também são o foco do projeto de Araranguá, Cem Carência no Boxe, coordenado pelo professor de boxe, Ricardo Bert. “As ligações para doações não param. Se as pessoas não querem sair de suas casas para entregar os donativos, podem entrar em contato comigo, que eu mesmo faço. Temos muitas famílias necessitadas e que neste período vão sentir mais a situação”, disse. O telefone para contato com o projeto é (48) 9 9164-1969.

Casa da fraternidade

“Meus amigos, queremos esclarecer que estamos nos organizando para criar um protocolo de higienização e distribuição das cestas básicas arrecadadas para nossas famílias, para que a ação não seja risco para quem doa e nem para quem recebe. Pois lembre-se não  podemos gerar aglomerações de pessoas e devemos tomar todas as providências de prevenção”, diz a mensagem da presidente da casa, Cátia Hanh, que atende em torno de 200 crianças nos projetos realizados pela instituição e que estará fechada por conta da quarentena. “Se você deseja fazer parte deste grupo nos avise pelo celular 9.96928497 que faremos um grupo via whats”, continua a mensagem encaminhada por Cátia a uma lista de contatos que colabora com a causa.

Compartilhe

Voltar às notícias