Plantão Coronavírus: atestado médico por coronavírus não é verdadeiro

Um documento indicando um suposto caso de coronavírus em Araranguá tem circulado nas redes sociais nesta segunda-feira, 23. A imagem que viralizou, mostra um atestado médico de um homem que deu entrada hoje, por volta das 8h30, no Hospital de Araranguá e foi diagnosticado com COVID-19, recomendando o afastamento dele por 14 dias.

O HRA emitiu uma nota no final da tarde de hoje, explicando que o atestado  não passa de um mal-entendido. O paciente procurou pelo atendimento sob a suspeita de contágio por coronavírus, mas após a análise do histórico de viagens e avaliação clínica, foi constatado que se tratava apenas de uma gripe comum, cujo o tratamento poderia ser realizado em casa.

Nota completa da instituição

O Instituto Maria Schmitt- IMAS, em respeito à sociedade e à imprensa, vem a público esclarecer sobre o atestado médico emitido a um paciente que recebeu atendimento nesta segunda-feira, 23, no Hospital Regional de Araranguá, que está circulando nas redes sociais.
Cumpre informar que no ato foi realizada a avaliação clínica inicial do paciente, onde o médico além de observar o histórico de viagem nos últimos 14 dias (período de incubação) ou contato com caso suspeito/e ou confirmado, investigou sinais de gravidade conforme preconiza o fluxograma de atendimento do Covid-19 estabelecido pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica da secretaria de Estado da Saúde, que por sua vez segue à risca as definições e orientações do Ministério da Saúde.

É importante ressaltar que diante da não confirmação de sinais graves e apresentação apenas de sintomas leves, conforme PORTARIA Nº 454 do Ministério de Saúde, o paciente foi medicado e dispensado com sintomas de gripe comum para tratamento em casa.
O Instituto Maria Schmitt-IMAS lamenta a postura de algumas pessoas que espalham notícias falsas ou sem confirmação com a finalidade de tornar ainda mais complexo um período dramático como este que vive o país e o mundo.

Cabe observar que o momento é delicado e que as equipes de profissionais de saúde que atuam na linha de frente no combate a pandemia, estão sob forte influência de pressão psicológica. Reconhecemos a atuação corajosa e comprometida de nossa equipe de profissionais que não medem esforços para doar seu tempo e dedicação em prol da vida da população.

A instituição portanto informa que segue todos os protocolos e orientações do Ministério da Saúde, avisando, primeiramente, as vigilâncias epidemiológicas Municipal e Estadual sobre os casos suspeitos, do novo coronavírus/COVID-19 e que jamais se furtará a esta finalidade.
Por fim, cabe ressaltar que apesar da importância da divulgação de dados oficiais, a prevenção continua sendo a melhor arma no combate a esta pandemia e a nossa recomendação é para que seja mantido o isolamento social. Somente a união e a conscientização das pessoas será capaz de vencer o Coronavírus. Faça sua parte, atenda às recomendações e siga as orientações dos órgãos oficiais de Saúde.

Instituto Maria Schmitt-IMAS
Gestor do Hospital Regional de Araranguá

Um documento indicando um suposto caso de coronavírus em Araranguá tem circulado nas redes sociais nesta segunda-feira, 23. A imagem que viralizou, mostra um atestado médico de um homem que deu entrada hoje, por volta das 8h30, no Hospital de Araranguá e foi diagnosticado com COVID-19, recomendando o afastamento dele por 14 dias.

O HRA emitiu uma nota no final da tarde de hoje, explicando que o atestado  não passa de um mal-entendido. O paciente procurou pelo atendimento sob a suspeita de contágio por coronavírus, mas após a análise do histórico de viagens e avaliação clínica, foi constatado que se tratava apenas de uma gripe comum, cujo o tratamento poderia ser realizado em casa.

Nota completa da instituição

O Instituto Maria Schmitt- IMAS, em respeito à sociedade e à imprensa, vem a público esclarecer sobre o atestado médico emitido a um paciente que recebeu atendimento nesta segunda-feira, 23, no Hospital Regional de Araranguá, que está circulando nas redes sociais.
Cumpre informar que no ato foi realizada a avaliação clínica inicial do paciente, onde o médico além de observar o histórico de viagem nos últimos 14 dias (período de incubação) ou contato com caso suspeito/e ou confirmado, investigou sinais de gravidade conforme preconiza o fluxograma de atendimento do Covid-19 estabelecido pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica da secretaria de Estado da Saúde, que por sua vez segue à risca as definições e orientações do Ministério da Saúde.

É importante ressaltar que diante da não confirmação de sinais graves e apresentação apenas de sintomas leves, conforme PORTARIA Nº 454 do Ministério de Saúde, o paciente foi medicado e dispensado com sintomas de gripe comum para tratamento em casa.
O Instituto Maria Schmitt-IMAS lamenta a postura de algumas pessoas que espalham notícias falsas ou sem confirmação com a finalidade de tornar ainda mais complexo um período dramático como este que vive o país e o mundo.

Cabe observar que o momento é delicado e que as equipes de profissionais de saúde que atuam na linha de frente no combate a pandemia, estão sob forte influência de pressão psicológica. Reconhecemos a atuação corajosa e comprometida de nossa equipe de profissionais que não medem esforços para doar seu tempo e dedicação em prol da vida da população.

A instituição portanto informa que segue todos os protocolos e orientações do Ministério da Saúde, avisando, primeiramente, as vigilâncias epidemiológicas Municipal e Estadual sobre os casos suspeitos, do novo coronavírus/COVID-19 e que jamais se furtará a esta finalidade.
Por fim, cabe ressaltar que apesar da importância da divulgação de dados oficiais, a prevenção continua sendo a melhor arma no combate a esta pandemia e a nossa recomendação é para que seja mantido o isolamento social. Somente a união e a conscientização das pessoas será capaz de vencer o Coronavírus. Faça sua parte, atenda às recomendações e siga as orientações dos órgãos oficiais de Saúde.

Instituto Maria Schmitt-IMAS
Gestor do Hospital Regional de Araranguá

Compartilhe

Voltar às notícias