Parque Belinzoni deve ser aberto para população no segundo semestre

Investimento é de R$1,5 mi no projeto que contará com espaço para caminhadas e visitação

Araranguá poderá contar com mais um espaço público de lazer nos próximos meses. Trata-se do Parque Belinzoni, assim chamado o espaço com ampla vegetação e muita beleza natural no bairro, Urussanguinha, e que margeia o Açude Belinzoni, um dos principais mananciais de abastecimento de água do município.

A beleza natural do parque é única e como a área pertence ao município, está sendo preparada para visitação que deve ser aberta no segundo semestre de acordo com o Samae, que responde pela obra orçada em R$1,5 milhão e que administrará o local.

A área de 20 hectares será cercada com muros, receberá dois portais para o acesso do público, e espaço para caminhadas. Um arquiteto também foi contratado para desenvolver um projeto que pode incluir mais áreas para atividades dos visitantes. “Estes espaços não estão em áreas de APP dentro do parque e próximas das vertentes e nascentes. O arquiteto também desenvolverá no projeto propostas para conscientizar os visitantes da preservação do local”, disse o diretor do Samae, José HilsonSasso.

O parque foi adquirido há 12 anos, ficou embargado por problemas judiciais entre os envolvidos e, na atual gestão municipal mais famílias moradoras daquela região foram indenizadas e mais áreas adquiridas possibilitando dar o encaminhamento ao projeto.

Segundo o serviço, também foram retiradas árvores exóticas que não fazem parte do bioma para o plantio de outras espécies. “Foram retiradas aproximadamente 300 árvores como pinos e eucaliptos, e vamos plantar no lugar mais 500 plantas nativas e frutíferas, plantas estas da nossa região e que acolhem o nosso clima”.

Parque pode sediar a FAMA

Dentro do parque existe ainda uma área de 3 hectares de propriedade privada. A ideia é ser adquirida também pelo município que pretende usar a casa que ali existe para servir de sede da fundação ambiental, a FAMA. De acordo com o Samae, o órgão poderia se instalar no parque e usar a estrutura para alguns de seus trabalhos, já que atualmente a sede não é própria.

Empresa privada também poderá explorar o espaço

O diretor do Samae, José Hilson Sasso, contou à reportagem que pode ser concedida a alguma empresa interessada o direito de cuidar do parque e ao mesmo tempo explorar serviços. “O projeto também pode contemplar uma praça, academia ao ar livre, espaço para lazer, quiosque, lixeiras, banheiros e que tudo isso seja administrado por uma empresa responsável que poderá dentro das limitações da lei implantar estes serviços. Mas isso são projetos futuros”, finalizou.

Araranguá poderá contar com mais um espaço público de lazer nos próximos meses. Trata-se do Parque Belinzoni, assim chamado o espaço com ampla vegetação e muita beleza natural no bairro, Urussanguinha, e que margeia o Açude Belinzoni, um dos principais mananciais de abastecimento de água do município.

A beleza natural do parque é única e como a área pertence ao município, está sendo preparada para visitação que deve ser aberta no segundo semestre de acordo com o Samae, que responde pela obra orçada em R$1,5 milhão e que administrará o local.

A área de 20 hectares será cercada com muros, receberá dois portais para o acesso do público, e espaço para caminhadas. Um arquiteto também foi contratado para desenvolver um projeto que pode incluir mais áreas para atividades dos visitantes. “Estes espaços não estão em áreas de APP dentro do parque e próximas das vertentes e nascentes. O arquiteto também desenvolverá no projeto propostas para conscientizar os visitantes da preservação do local”, disse o diretor do Samae, José HilsonSasso.

O parque foi adquirido há 12 anos, ficou embargado por problemas judiciais entre os envolvidos e, na atual gestão municipal mais famílias moradoras daquela região foram indenizadas e mais áreas adquiridas possibilitando dar o encaminhamento ao projeto.

Segundo o serviço, também foram retiradas árvores exóticas que não fazem parte do bioma para o plantio de outras espécies. “Foram retiradas aproximadamente 300 árvores como pinos e eucaliptos, e vamos plantar no lugar mais 500 plantas nativas e frutíferas, plantas estas da nossa região e que acolhem o nosso clima”.

Parque pode sediar a FAMA

Dentro do parque existe ainda uma área de 3 hectares de propriedade privada. A ideia é ser adquirida também pelo município que pretende usar a casa que ali existe para servir de sede da fundação ambiental, a FAMA. De acordo com o Samae, o órgão poderia se instalar no parque e usar a estrutura para alguns de seus trabalhos, já que atualmente a sede não é própria.

Empresa privada também poderá explorar o espaço

O diretor do Samae, José Hilson Sasso, contou à reportagem que pode ser concedida a alguma empresa interessada o direito de cuidar do parque e ao mesmo tempo explorar serviços. “O projeto também pode contemplar uma praça, academia ao ar livre, espaço para lazer, quiosque, lixeiras, banheiros e que tudo isso seja administrado por uma empresa responsável que poderá dentro das limitações da lei implantar estes serviços. Mas isso são projetos futuros”, finalizou.

Compartilhe

Voltar às notícias