Pais do CEI Maria e João buscam permanência de crianças na creche

Secretária de Educação esclarece que os pais devem matricular os seus filhos em outra unidade de ensino do município.

Todos sabem que mudanças repentinas não fazem bem ao público infantil, já que para uma adaptação a novas realidades, sempre levam um pouco mais de tempo.  Sejam elas em casa ou na escola, é preciso sempre ter um pouco de atenção neste assunto. É realmente isso que preocupa alguns pais do Centro de Educação Infantil (CEI) Maria e João, localizado no Centro de Araranguá.


Mesmo faltando ainda seis meses para o fim do ano letivo nas redes de ensino de Araranguá, o próximo ano, 2019 começa a ser uma incógnita. A reportagem do Grupo W3 recebeu informações que retratam a preocupação com o ano que se aproxima.


Atualmente a rede de ensino infantil de Araranguá disponibiliza vagas desde o Berçário até o Pré II, mas em algumas situações, crianças que concluem o Pré I em uma Creche devem buscar outra unidade de ensino para concluir a etapa formativa. Alguns pais do CEI Maria e João lutam contra esta determinação, dentre eles, Daniele e Djonatan, pais de Lourenço de 4 anos. “Hoje no Cei Maria e João há duas turmas do pré escolar I, mas no ano que vem só terá uma única turma nesta fase, então sobrará uma sala, por isso temos como reinvindicação a abertura do pré escolar II para 2019”, pontua o casal.


Pais do CEI Maria e João buscam permanência de crianças na creche-0

De acordo com eles, a mudança é desnecessária. “Não só nós, como tantos outros pais, até mesmo de outros Centros de Educação sofrem com isso. Por exemplo, nós no ano que vem, temos que tirar nosso filho de um lugar onde está adaptado e transferir para outra creche, bem como, no ano seguinte para uma escola, já que é o último ano antes de partir para uma escola. Hoje a adaptação de uma criança a uma nova realidade não é tão fácil”, comentam.


Segundo o casal, que procurou a secretaria de Educação e a orientação foi pela transferência da criança ao findar o ano. “Conversamos com a responsável pelo ensino infantil do município e segundo ela devemos transferir as crianças para o CEI na Barranca ou Urussanguinha. Isso é lamentável, há tanto pais que residem e trabalham nas proximidades do CEI Maria e João. Sem falar que não sabemos como as duas creches irão comportar as crianças, já que são 36 crianças, além daquelas que já estão nestes Centros de Educação”.


Pais do CEI Maria e João buscam permanência de crianças na creche-1

A secretaria de Educação de Araranguá, Ariane Almeida explicou a situação para a reportagem. “Quando nós assumimos a gestão não havia o pré-escolar II no CEI Maria e João, e sim em outras unidades de ensino. Para o próximo ano não irá sobrar salas, estamos planejando para abrir outra turma, de outra idade, para atender a demanda da fila de espera”.


Ariane ainda pontua que estes pais não precisarão ir à busca de vagas. “Os pais destas crianças que estão no Pré I, no Maria e João, serão comunicados por meio da secretaria, quanto aos locais com vagas disponíveis para o pré-escolar II, e eles terão preferência antes de matricularmos novos alunos”.

Todos sabem que mudanças repentinas não fazem bem ao público infantil, já que para uma adaptação a novas realidades, sempre levam um pouco mais de tempo.  Sejam elas em casa ou na escola, é preciso sempre ter um pouco de atenção neste assunto. É realmente isso que preocupa alguns pais do Centro de Educação Infantil (CEI) Maria e João, localizado no Centro de Araranguá.

Mesmo faltando ainda seis meses para o fim do ano letivo nas redes de ensino de Araranguá, o próximo ano, 2019 começa a ser uma incógnita. A reportagem do Grupo W3 recebeu informações que retratam a preocupação com o ano que se aproxima.

Atualmente a rede de ensino infantil de Araranguá disponibiliza vagas desde o Berçário até o Pré II, mas em algumas situações, crianças que concluem o Pré I em uma Creche devem buscar outra unidade de ensino para concluir a etapa formativa. Alguns pais do CEI Maria e João lutam contra esta determinação, dentre eles, Daniele e Djonatan, pais de Lourenço de 4 anos. “Hoje no Cei Maria e João há duas turmas do pré escolar I, mas no ano que vem só terá uma única turma nesta fase, então sobrará uma sala, por isso temos como reinvindicação a abertura do pré escolar II para 2019”, pontua o casal.

Pais do CEI Maria e João buscam permanência de crianças na creche-0

De acordo com eles, a mudança é desnecessária. “Não só nós, como tantos outros pais, até mesmo de outros Centros de Educação sofrem com isso. Por exemplo, nós no ano que vem, temos que tirar nosso filho de um lugar onde está adaptado e transferir para outra creche, bem como, no ano seguinte para uma escola, já que é o último ano antes de partir para uma escola. Hoje a adaptação de uma criança a uma nova realidade não é tão fácil”, comentam.

Segundo o casal, que procurou a secretaria de Educação e a orientação foi pela transferência da criança ao findar o ano. “Conversamos com a responsável pelo ensino infantil do município e segundo ela devemos transferir as crianças para o CEI na Barranca ou Urussanguinha. Isso é lamentável, há tanto pais que residem e trabalham nas proximidades do CEI Maria e João. Sem falar que não sabemos como as duas creches irão comportar as crianças, já que são 36 crianças, além daquelas que já estão nestes Centros de Educação”.

Pais do CEI Maria e João buscam permanência de crianças na creche-1

A secretaria de Educação de Araranguá, Ariane Almeida explicou a situação para a reportagem. “Quando nós assumimos a gestão não havia o pré-escolar II no CEI Maria e João, e sim em outras unidades de ensino. Para o próximo ano não irá sobrar salas, estamos planejando para abrir outra turma, de outra idade, para atender a demanda da fila de espera”.

Ariane ainda pontua que estes pais não precisarão ir à busca de vagas. “Os pais destas crianças que estão no Pré I, no Maria e João, serão comunicados por meio da secretaria, quanto aos locais com vagas disponíveis para o pré-escolar II, e eles terão preferência antes de matricularmos novos alunos”.

Compartilhe

Voltar às notícias