Pacientes de toda a Amrec podem receber atendimento no Ambulatório de Feridas da Unesc

Clínicas Integradas contam agora com convênio com o Consórcio Intermunicipal de Saúde da região

Fotos: Divulgação

As portas do Ambulatório de Feridas, das Clínicas Integradas da Unesc, estão abertas para pacientes de todas as cidades que integram a Associação de Municípios da Região Carbonífera (Amrec). Ao longo dos últimos dias, em nome da coordenação das clínicas, as professoras Mágada Tessmann e Maria Madalena Santiago visitaram cada um dos municípios com foco na confirmação da parceria por meio do Consórcio Intermunicipal de Saúde da região e orientações acerca dos encaminhamentos necessários para o acolhimento dos munícipes.


Conforme Mágada, todos os pacientes que apresentarem ferida de elevado grau de gravidade poderão ser encaminhados das suas Unidades Básicas de Saúde para o Ambulatório da Unesc. "Esses pacientes irão agendar seus atendimentos, serão avaliados e acompanhados até que a ferida já esteja em estágio no qual possa ser novamente tratada na Unidade Básica, neste caso sob orientação também da equipe da Unesc, que dará todas as diretrizes no encaminhamento", explica.


Esse serviço é importante, de acordo com Mágada, para o tratamento efetivo de complexas, crônicas ou agudas de difícil cicatrização. "Por meio dos protocolos específicos adotados no serviço da Universidade temos uma efetividade muito grande nestes tratamentos, muitas vezes conseguindo curar feridas que vinham sendo motivo de dor e sofrimento ao longo de anos", completa.



Anos de experiência e serviços prestados à comunidade


Inaugurado em julho de 2016, o Ambulatório de Feridas é fruto de uma parceria entre a Universidade e a prefeitura de Criciúma, agora estendida aos demais municípios da Amrec.  No local são atendidas pessoas com lesões agudas ou crônicas, simples ou complexas. O Ambulatório funciona nas Clínicas Integradas da Unesc e realiza em média dez atendimentos ao dia. Até 2019, foram 210 pacientes com alta.


A equipe interdisciplinar do Ambulatório conta com enfermeiros e profissionais especializados em estomaterapia.












Fonte: Unesc

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

As portas do Ambulatório de Feridas, das Clínicas Integradas da Unesc, estão abertas para pacientes de todas as cidades que integram a Associação de Municípios da Região Carbonífera (Amrec). Ao longo dos últimos dias, em nome da coordenação das clínicas, as professoras Mágada Tessmann e Maria Madalena Santiago visitaram cada um dos municípios com foco na confirmação da parceria por meio do Consórcio Intermunicipal de Saúde da região e orientações acerca dos encaminhamentos necessários para o acolhimento dos munícipes.

Conforme Mágada, todos os pacientes que apresentarem ferida de elevado grau de gravidade poderão ser encaminhados das suas Unidades Básicas de Saúde para o Ambulatório da Unesc. “Esses pacientes irão agendar seus atendimentos, serão avaliados e acompanhados até que a ferida já esteja em estágio no qual possa ser novamente tratada na Unidade Básica, neste caso sob orientação também da equipe da Unesc, que dará todas as diretrizes no encaminhamento”, explica.

Esse serviço é importante, de acordo com Mágada, para o tratamento efetivo de complexas, crônicas ou agudas de difícil cicatrização. “Por meio dos protocolos específicos adotados no serviço da Universidade temos uma efetividade muito grande nestes tratamentos, muitas vezes conseguindo curar feridas que vinham sendo motivo de dor e sofrimento ao longo de anos”, completa.

Anos de experiência e serviços prestados à comunidade

Inaugurado em julho de 2016, o Ambulatório de Feridas é fruto de uma parceria entre a Universidade e a prefeitura de Criciúma, agora estendida aos demais municípios da Amrec.  No local são atendidas pessoas com lesões agudas ou crônicas, simples ou complexas. O Ambulatório funciona nas Clínicas Integradas da Unesc e realiza em média dez atendimentos ao dia. Até 2019, foram 210 pacientes com alta.

A equipe interdisciplinar do Ambulatório conta com enfermeiros e profissionais especializados em estomaterapia.

Fonte: Unesc

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias