ONG Alemã Plant-for-the-Planet forma 40 jovens em Arroio do Silva

As crianças participaram de uma oficina de empoderamento ambiental e plantaram 100 árvores no Camping e Pousada Serra e Mar

Em um momento em que a preocupação com o desmatamento da Amazônia e o número de enchentes, secas e outros eventos climáticos extremos só têm aumentado, a Plant-for-the-Planet – organização sem fins lucrativos fundada na Alemanha – realizou no Balneário Arroio do Silva em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina, a sua quinta oficina de empoderamento ambiental com crianças no sul do Brasil. A oficina, chamada de Academia, aconteceu na terça-feira, 2, entre 8h30 e 17h horas, no Camping e Pousada Serra.


Os jovens das escolas municipais de Ensino Fundamental Jardim Atlântico e de Ensino Básico Apolônio Ireno Cardoso receberam uma camiseta da Plant-for-the-Planet. Na sequência, o Embaixador de Justiça Climática, Dionatan Patel fez uma palestra sobre os desafios da crise climática ao redor do mundo: enchentes, secas e furacões são algumas das consequências das mudanças climáticas que resultam da alta concentração do dióxido de carbono (CO2). A nossa melhor ferramenta para vencer este desafio são árvores. Elas podem captar este excesso de CO2 na atmosfera, diminuindo os efeitos negativos para as gerações futuras em todo planeta.


Após a apresentação, os jovens foram divididos em grupos para jogar o “Jogo do Mundo”. De uma maneira interativa com uso do Mapa Mundi, eles aprenderam em quais continentes vivem mais pessoas, quais emitem mais CO2 e onde há maior concentração de riqueza no mundo. Por meio do jogo, fica clara a injustiça entre os continentes: aqueles que emitem menos e têm menor riqueza sofrerão mais consequências das mudanças climáticas. De fato, os problemas climáticos atingem todos os países no mundo, entretanto, alguns países têm mais facilidade de se adaptar do que outros, por isto é importante o trabalho conjunto!



Para levar a mensagem da Plant-for-the-Planet no mundo, o próximo passo da Academia foi um treinamento retórico ao ar livre e sob a sombra de uma grande árvore. Perguntas como: “Como fazer uma boa apresentação e como dar “feedback” para seus colegas? O que é crítica construtiva?” foram discutidas e as crianças praticaram apresentações.


Depois da teoria e um bom almoço, todos colocaram em prática o lema da ONG alemã: “Pare de Falar e Começa a Plantar!”. Orientados pelos professores e voluntários, as crianças e jovens receberam mudas e ferramentas e saíram em grupos para ampliar as áreas verdes do camping. Bonés da Universidade Federal de Santa Catarina Araranguá (UFSC) protegeram os alunos contra o sol. Em meia hora 100 pés foram plantados.


Na fase final da Academia os jovens e crianças dividiram-se em grupos e desenvolveram projetos ambientais para suas escolas: “Como nós chamamos a atenção da mídia, adultos e outras crianças?” “Quais objetivos queremos atingir?” “Quantas árvores queremos plantar e para quem fazemos palestras?” “O que precisamos para um mutirão de plantio e quem fica encarregado pelo quê e até quando?” Aqui os jovens aprenderam sobre a importância da cooperação e do trabalho em equipe para alcançar impactos positivos nas suas comunidades.


Em paralelo, um grupo se preparou para fazer a palestra final para as convidadas: as secretarias municipais de educação e de ensino da Prefeitura Balneário Arroio do Silva.


No final do evento toda criança recebeu o seu certificado e se tornou Embaixador de Justiça Climática, um título que a capacita para realizar palestras e organizar plantios. Os estudantes passaram a fazer parte da rede internacional de mais de 67.000 Embaixadores da Plant-for-the-Planet em 70 países do mundo.


Em nome da Associação Plant-for-the-Planet gostaríamos de agradecer o apoio e parceria de Ubaldo Pinheiro da Rosa e Juselaine Ballico, proprietários do camping que disponibilizam o espaço físico para a Academia, o plantio e o almoço dos alunos, a equipe da Secretaria de Obras, Viação e Serviços Urbanos pelo apoio no plantio, a Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte da prefeitura do Balneário Arroio do Silva pelo transporte escolar e visita a Academia, a professora municipal Ruana Tomaz que alinhou com a prefeitura municipal a participação de 40 alunos, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Araranguá pelas mudas, a professora doutora Kátia Madrugada UFSC Araranguá pelo apoio logístico por meio da participação dos estudantes, bolsistas e voluntários, que apoiaram as atividades através o projeto de extensão “Plant-for-the-Planet UFSC Araranguá” e o Clube Rotary de Araranguá pelo apoio em rede.



Plant-for-the-Planet


A Plant-for- the-Planet foi fundada em 2007 por Felix Finkbeiner. Na época, ele tinha nove anos e fez uma apresentação sobre a crise climática na sua sala de aula. Durante a sua pesquisa, ele inspirou-se na vencedora do Prêmio Nobel da Paz, Wangari Maathai, nascida no Quênia, que juntamente com outras mulheres, plantaram 30 milhões de árvores ao longo de 30 anos.


Felix terminou a sua apresentação propondo que as crianças de todo o mundo plantassem 1 milhão de árvores por país e lutassem por um futuro mais justo como uma grande família global. Pouco tempo após a sua apresentação, aconteceu o primeiro plantio. As escolas das regiões vizinhas aceitaram o desafio e também começaram a plantar. Em maio de 2010, a milionésima árvore foi plantada na Alemanha. Hoje, a Plant-for- the-Planet está em mais de 193 países e já capacitou mais de 75 mil crianças a tornarem-se Embaixadoras da Justiça Climática em 71 países.


Em um momento em que a preocupação com o desmatamento da Amazônia e o número de enchentes, secas e outros eventos climáticos extremos só têm aumentado, a Plant-for-the-Planet – organização sem fins lucrativos fundada na Alemanha – realizou no Balneário Arroio do Silva em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina, a sua quinta oficina de empoderamento ambiental com crianças no sul do Brasil. A oficina, chamada de Academia, aconteceu na terça-feira, 2, entre 8h30 e 17h horas, no Camping e Pousada Serra.

Os jovens das escolas municipais de Ensino Fundamental Jardim Atlântico e de Ensino Básico Apolônio Ireno Cardoso receberam uma camiseta da Plant-for-the-Planet. Na sequência, o Embaixador de Justiça Climática, Dionatan Patel fez uma palestra sobre os desafios da crise climática ao redor do mundo: enchentes, secas e furacões são algumas das consequências das mudanças climáticas que resultam da alta concentração do dióxido de carbono (CO2). A nossa melhor ferramenta para vencer este desafio são árvores. Elas podem captar este excesso de CO2 na atmosfera, diminuindo os efeitos negativos para as gerações futuras em todo planeta.

Após a apresentação, os jovens foram divididos em grupos para jogar o “Jogo do Mundo”. De uma maneira interativa com uso do Mapa Mundi, eles aprenderam em quais continentes vivem mais pessoas, quais emitem mais CO2 e onde há maior concentração de riqueza no mundo. Por meio do jogo, fica clara a injustiça entre os continentes: aqueles que emitem menos e têm menor riqueza sofrerão mais consequências das mudanças climáticas. De fato, os problemas climáticos atingem todos os países no mundo, entretanto, alguns países têm mais facilidade de se adaptar do que outros, por isto é importante o trabalho conjunto!

Para levar a mensagem da Plant-for-the-Planet no mundo, o próximo passo da Academia foi um treinamento retórico ao ar livre e sob a sombra de uma grande árvore. Perguntas como: “Como fazer uma boa apresentação e como dar “feedback” para seus colegas? O que é crítica construtiva?” foram discutidas e as crianças praticaram apresentações.

Depois da teoria e um bom almoço, todos colocaram em prática o lema da ONG alemã: “Pare de Falar e Começa a Plantar!”. Orientados pelos professores e voluntários, as crianças e jovens receberam mudas e ferramentas e saíram em grupos para ampliar as áreas verdes do camping. Bonés da Universidade Federal de Santa Catarina Araranguá (UFSC) protegeram os alunos contra o sol. Em meia hora 100 pés foram plantados.

Na fase final da Academia os jovens e crianças dividiram-se em grupos e desenvolveram projetos ambientais para suas escolas: “Como nós chamamos a atenção da mídia, adultos e outras crianças?” “Quais objetivos queremos atingir?” “Quantas árvores queremos plantar e para quem fazemos palestras?” “O que precisamos para um mutirão de plantio e quem fica encarregado pelo quê e até quando?” Aqui os jovens aprenderam sobre a importância da cooperação e do trabalho em equipe para alcançar impactos positivos nas suas comunidades.

Em paralelo, um grupo se preparou para fazer a palestra final para as convidadas: as secretarias municipais de educação e de ensino da Prefeitura Balneário Arroio do Silva.

No final do evento toda criança recebeu o seu certificado e se tornou Embaixador de Justiça Climática, um título que a capacita para realizar palestras e organizar plantios. Os estudantes passaram a fazer parte da rede internacional de mais de 67.000 Embaixadores da Plant-for-the-Planet em 70 países do mundo.

Em nome da Associação Plant-for-the-Planet gostaríamos de agradecer o apoio e parceria de Ubaldo Pinheiro da Rosa e Juselaine Ballico, proprietários do camping que disponibilizam o espaço físico para a Academia, o plantio e o almoço dos alunos, a equipe da Secretaria de Obras, Viação e Serviços Urbanos pelo apoio no plantio, a Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte da prefeitura do Balneário Arroio do Silva pelo transporte escolar e visita a Academia, a professora municipal Ruana Tomaz que alinhou com a prefeitura municipal a participação de 40 alunos, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Araranguá pelas mudas, a professora doutora Kátia Madrugada UFSC Araranguá pelo apoio logístico por meio da participação dos estudantes, bolsistas e voluntários, que apoiaram as atividades através o projeto de extensão “Plant-for-the-Planet UFSC Araranguá” e o Clube Rotary de Araranguá pelo apoio em rede.

Plant-for-the-Planet

A Plant-for- the-Planet foi fundada em 2007 por Felix Finkbeiner. Na época, ele tinha nove anos e fez uma apresentação sobre a crise climática na sua sala de aula. Durante a sua pesquisa, ele inspirou-se na vencedora do Prêmio Nobel da Paz, Wangari Maathai, nascida no Quênia, que juntamente com outras mulheres, plantaram 30 milhões de árvores ao longo de 30 anos.

Felix terminou a sua apresentação propondo que as crianças de todo o mundo plantassem 1 milhão de árvores por país e lutassem por um futuro mais justo como uma grande família global. Pouco tempo após a sua apresentação, aconteceu o primeiro plantio. As escolas das regiões vizinhas aceitaram o desafio e também começaram a plantar. Em maio de 2010, a milionésima árvore foi plantada na Alemanha. Hoje, a Plant-for- the-Planet está em mais de 193 países e já capacitou mais de 75 mil crianças a tornarem-se Embaixadoras da Justiça Climática em 71 países.

Compartilhe

Voltar às notícias