OMS recomenda a abertura de escolas

Santa Catarina tem 14 regiões ainda em estado grave na classificação de risco para contágio de Covid-19

Foto: Arquivo/Seduc RS

Por Dyessica Abadi

Na última segunda-feira, 14, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou novas orientações atualizadas sobre a reabertura de escolas. Em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e Cultura (UNESCO), a nova cartilha substitui a divulgada no dia 10 de maio e trata sobre a priorização da educação à medida que os governos voltem a reabrir instituições.

O Portal W3 procurou a assessoria de comunicação da Organização Pan-Americana da Saúde (PAHO), que representa a OMS no Brasil, para saber mais sobre as recomendações. “É preciso que as escolas sejam priorizadas, mas não sem preparação de segurança e prevenção”, informa a organização.

Para maiores esclarecimentos, foi sugerido que acessamos a nota informativa no site da organização, na sessão de “Perguntas e Respostas”. Bem no final da página, no último item destacado, havia o tópico: “Qual a orientação da OMS sobre a reabertura de escolas?”.

A justificativa encontrada no texto seria que: “dadas as consequências devastadoras para crianças, jovens e sociedades como um todo, as decisões sobre o fechamento de escolas devem ser consideradas como um último recurso, de forma temporária e apenas em nível local, se o surto ainda não tiver sido manejado”.

Além disso, a PAHO defende que as mesmas medidas preventivas tomadas para reduzir o risco em uma comunidade também podem ser aplicadas para reduzir o risco nas escolas. “Não há risco zero, mas as medidas preventivas tomadas para reduzir a transmissão de COVID-19 podem ser vantajosas para toda a sociedade, com a melhoria das práticas que reduzem a propagação de doenças (lavagem das mãos, higiene respiratória e uso de máscara quando apropriado para a idade) e esforço por maior acesso à educação para todas as crianças”, diz a nota.

A organização ainda afirma que “é fundamental a consulta e coordenação dentro da comunidade escolar, bem como com os pais, para construir confiança e tranquilizar a família sobre a segurança das escolas”.

> Para ler o texto na íntegra, clique aqui e vá até o último tópico da página.

Este é um país de hipócritas. Tudo abriu menos as escolas”, diz deputado


Durante sessão plenário desta terça-feira, 15, da Câmara dos Deputados, Bruno Souza (Novo) afirmou que é uma hipocrisia o Governo de Santa Catarina defender a reabertura de bares, shoppings, academias e do transporte, mas manter as escolas fechadas. O parlamentar alegou que a própria Organização Mundial da Saúde recomenda o retorno imediato das aulas presenciais. 

Governo do Estado estuda retomada de eventos


O deputado fez a alegação baseada na notícia do NSC Total de que o Governo de Santa Catarina estará divulgando ainda nesta semana novas normas para a retomada de eventos no Estado. Conforme apurado pela matéria, o presidente da Santur, Leandro Mané Ferrari, afirma que a retomada dependerá das condições de risco para Covid-19 que serão avaliadas pelas equipes técnicas da Secretaria da Saúde e Vigilância Sanitária. Os eventos foram agrupados em três categorias: feiras, congressos e shows.

> Leia a matéria completa do NSC Total clicando aqui.

Santa Catarina tem 14 regiões ainda em estado grave


Até a tarde desta quarta-feira, 16, Santa Catarina possuía 14 regiões em estado grave na classificação de risco para contágio de Covid-19, uma em alto e apenas o Nordeste em gravíssimo. O levantamento é realizado pela Central de Operações de Emergência em Saúde (COES) da Secretaria de Estado.

> A região do Extremo Sul continua em estado grave. Saiba mais lendo a matéria completa.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Foto: Arquivo/Seduc RS

Por Dyessica Abadi

Na última segunda-feira, 14, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou novas orientações atualizadas sobre a reabertura de escolas. Em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e Cultura (UNESCO), a nova cartilha substitui a divulgada no dia 10 de maio e trata sobre a priorização da educação à medida que os governos voltem a reabrir instituições.

O Portal W3 procurou a assessoria de comunicação da Organização Pan-Americana da Saúde (PAHO), que representa a OMS no Brasil, para saber mais sobre as recomendações. “É preciso que as escolas sejam priorizadas, mas não sem preparação de segurança e prevenção”, informa a organização.

Para maiores esclarecimentos, foi sugerido que acessamos a nota informativa no site da organização, na sessão de “Perguntas e Respostas”. Bem no final da página, no último item destacado, havia o tópico: “Qual a orientação da OMS sobre a reabertura de escolas?”.

A justificativa encontrada no texto seria que: “dadas as consequências devastadoras para crianças, jovens e sociedades como um todo, as decisões sobre o fechamento de escolas devem ser consideradas como um último recurso, de forma temporária e apenas em nível local, se o surto ainda não tiver sido manejado”.

Além disso, a PAHO defende que as mesmas medidas preventivas tomadas para reduzir o risco em uma comunidade também podem ser aplicadas para reduzir o risco nas escolas. “Não há risco zero, mas as medidas preventivas tomadas para reduzir a transmissão de COVID-19 podem ser vantajosas para toda a sociedade, com a melhoria das práticas que reduzem a propagação de doenças (lavagem das mãos, higiene respiratória e uso de máscara quando apropriado para a idade) e esforço por maior acesso à educação para todas as crianças”, diz a nota.

A organização ainda afirma que “é fundamental a consulta e coordenação dentro da comunidade escolar, bem como com os pais, para construir confiança e tranquilizar a família sobre a segurança das escolas”.

> Para ler o texto na íntegra, clique aqui e vá até o último tópico da página.

Este é um país de hipócritas. Tudo abriu menos as escolas”, diz deputado

Durante sessão plenário desta terça-feira, 15, da Câmara dos Deputados, Bruno Souza (Novo) afirmou que é uma hipocrisia o Governo de Santa Catarina defender a reabertura de bares, shoppings, academias e do transporte, mas manter as escolas fechadas. O parlamentar alegou que a própria Organização Mundial da Saúde recomenda o retorno imediato das aulas presenciais. 

Governo do Estado estuda retomada de eventos

O deputado fez a alegação baseada na notícia do NSC Total de que o Governo de Santa Catarina estará divulgando ainda nesta semana novas normas para a retomada de eventos no Estado. Conforme apurado pela matéria, o presidente da Santur, Leandro Mané Ferrari, afirma que a retomada dependerá das condições de risco para Covid-19 que serão avaliadas pelas equipes técnicas da Secretaria da Saúde e Vigilância Sanitária. Os eventos foram agrupados em três categorias: feiras, congressos e shows.

> Leia a matéria completa do NSC Total clicando aqui.

Santa Catarina tem 14 regiões ainda em estado grave

Até a tarde desta quarta-feira, 16, Santa Catarina possuía 14 regiões em estado grave na classificação de risco para contágio de Covid-19, uma em alto e apenas o Nordeste em gravíssimo. O levantamento é realizado pela Central de Operações de Emergência em Saúde (COES) da Secretaria de Estado.

> A região do Extremo Sul continua em estado grave. Saiba mais lendo a matéria completa.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias