Ocorreu essa semana 1ª Oficina da Revisão do Plano Diretor de Maracajá

Objetivo da oficina é construir de forma comunitária a visão de futuro do município

Foto: Divulgação

O Governo do Município de Maracajá, em parceria com técnicos da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc) e do Parque Científico e Tecnológico (Iparque), promoveram na noite desta quarta-feira, dia 22/09, no Salão Comunitário da Garajuva, a 1ª Oficina do Plano diretor Participativo.


Com a presença do prefeito Anibal Brambila, primeira-dama, Claudete Rocha Brambila, presidente da Câmara de Vereadores, Matias José Matias, secretária de Administração e Finanças, Edilane Rocha Nicoleite, diretor de Obras, engenheiro João Pedro Rizzotto, engenheiro Flávio Scheffer, vereadores Rodriguinho, Valmir (Pita), João Rocha e Alex Cichella, entre outras lideranças e moradores, foi aberta a discussão para a revisão do Plano Diretor.


Segundo o prefeito Anibal Brambila, a proposta é construir de forma comunitária a visão de futuro do município, que irá auxiliar na atualização do Plano Diretor para os próximos 10 anos. "Estamos elaborando um novo plano pensando no futuro de Maracajá, por isso é muito importante a participação popular, pois nestes encontros definimos o planejamento da cidade", disse.


Durante a oficina de Leitura Comunitária, onde foram reunidos representantes das localidades de Cedro e Garajuva, os moradores puderam contribuir com informações muito importantes para o processo de atualização do Plano Diretor. "A vivência, bem como a percepção de cada um, pode ser exposta através de formulários individuais, com perguntas voltadas às suas propriedades e também ao município", explica a arquiteta da Unesc, Renata Moretto Urbano.


Num segundo momento, os moradores foram reunidos para elencarem pontos positivos e negativos, bem como as sugestões para melhorias nas localidades e no município.


Demandas


Dentre as colocações foi pontuada a demanda da comunidade da Garajuva, a criação de um espaço de lazer, com campo de futebol e um espaço para realização de clubes de mães e outras atividades, assim como a criação de ciclovias com foco no turismo, conectando o município de Maracajá à outras cidades do entorno.


Na localidade do Cedro, a pavimentação da via de acesso foi pontuada como uma demanda muito importante, em decorrência do grande fluxo de escoamento da produção, por se tratarem de localidades com grande produção agropecuária.


Dentre estes, outros assuntos foram abordados, como educação, saúde e saneamento, Ordenamento territorial e uso do solo, que posteriormente serão avaliados e incorporados ao processo de atualização do Plano Diretor de Maracajá.


Fonte: Assessoria de Imprensa Maracajá

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

O Governo do Município de Maracajá, em parceria com técnicos da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc) e do Parque Científico e Tecnológico (Iparque), promoveram na noite desta quarta-feira, dia 22/09, no Salão Comunitário da Garajuva, a 1ª Oficina do Plano diretor Participativo.

Com a presença do prefeito Anibal Brambila, primeira-dama, Claudete Rocha Brambila, presidente da Câmara de Vereadores, Matias José Matias, secretária de Administração e Finanças, Edilane Rocha Nicoleite, diretor de Obras, engenheiro João Pedro Rizzotto, engenheiro Flávio Scheffer, vereadores Rodriguinho, Valmir (Pita), João Rocha e Alex Cichella, entre outras lideranças e moradores, foi aberta a discussão para a revisão do Plano Diretor.

Segundo o prefeito Anibal Brambila, a proposta é construir de forma comunitária a visão de futuro do município, que irá auxiliar na atualização do Plano Diretor para os próximos 10 anos. “Estamos elaborando um novo plano pensando no futuro de Maracajá, por isso é muito importante a participação popular, pois nestes encontros definimos o planejamento da cidade”, disse.

Durante a oficina de Leitura Comunitária, onde foram reunidos representantes das localidades de Cedro e Garajuva, os moradores puderam contribuir com informações muito importantes para o processo de atualização do Plano Diretor. “A vivência, bem como a percepção de cada um, pode ser exposta através de formulários individuais, com perguntas voltadas às suas propriedades e também ao município”, explica a arquiteta da Unesc, Renata Moretto Urbano.

Num segundo momento, os moradores foram reunidos para elencarem pontos positivos e negativos, bem como as sugestões para melhorias nas localidades e no município.

Demandas

Dentre as colocações foi pontuada a demanda da comunidade da Garajuva, a criação de um espaço de lazer, com campo de futebol e um espaço para realização de clubes de mães e outras atividades, assim como a criação de ciclovias com foco no turismo, conectando o município de Maracajá à outras cidades do entorno.

Na localidade do Cedro, a pavimentação da via de acesso foi pontuada como uma demanda muito importante, em decorrência do grande fluxo de escoamento da produção, por se tratarem de localidades com grande produção agropecuária.

Dentre estes, outros assuntos foram abordados, como educação, saúde e saneamento, Ordenamento territorial e uso do solo, que posteriormente serão avaliados e incorporados ao processo de atualização do Plano Diretor de Maracajá.

Fonte: Assessoria de Imprensa Maracajá

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias