Nenhuma organização para fiscalização de festas e eventos no final de semana na AMESC

Toque de recolher deve ser decretado ainda nesta sexta-feira, 04

Por Dyessica Abadi

Nesta semana, o governador Carlos Moisés (PSL) decidiu implantar um toque de recolher em todo o estado de Santa Catarina durante 15 dias, a partir da validação do Decreto — que deve ser publicado ainda nesta sexta-feira, 04. Na região do Extremo Sul Catarinense, não há nenhuma ação programada para fiscalização de festas e eventos na região.

O toque de recolher poderá prever que os estabelecimentos deverão fechar as portas até as 23h, com a possibilidade de atender os clientes que já se encontrarem no recinto até meia-noite, e que as pessoas não poderão circular nas ruas entre a meia-noite e às 5 horas da manhã — para evitar a proliferação da doença em festas irregulares.

O Governo do Estado informa que a fiscalização cabe às instituições de segurança pública, como Polícias Militar e Civil, e que pode ser reforçada pelos municípios, através das guardas municipais e fiscais de vigilância sanitária. O atual presidente do CER Covid-19 AMESC, secretário de Saúde de Jacinto Machado, Adilson Piva, afirma que não foram definidas ações exclusivas da AMESC na reunião desta semana.

Em Araranguá, a secretária de saúde, Evelyn Elias, através da assessoria de imprensa, informa que a fiscalização será feita exclusivamente pela segurança pública. "Nós vamos aguardar o decreto estadual dito pelo governador Moisés. O toque de recolher será fiscalizado pela segurança pública, não pela vigilância sanitária. As festas em Araranguá estarão proibidas das 23h às 6h da manhã, e os restaurantes terão até às 24 horas para atender seus cliente e encerrar. Na região, não é de nossa responsabilidade", declara a secretária.

Polícia Militar deverá seguir protocolo e realizar fiscalizações


De acordo com o tenente Felipe Silva, do 19º Batalhão de Polícia Militar de Araranguá, a PM seguirá o protocolo já estabelecido e realizar as fiscalizações. "A Polícia Militar atuará com base na legalidade, cumprindo as determinações das normas estaduais em vigor e preservando a ordem pública, seja no tocante à segurança, à tranquilidade ou salubridade pública", declara.

Como denunciar


O telefone de contato da 19ª Delegacia Regional de Polícia de Araranguá é o (48) 3529-0242. Já para realizar a denúncia à Polícia Militar, ligue para 0800-48-1717 ou acesse https://www.pm.sc.gov.br/denuncia.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Por Dyessica Abadi

Nesta semana, o governador Carlos Moisés (PSL) decidiu implantar um toque de recolher em todo o estado de Santa Catarina durante 15 dias, a partir da validação do Decreto — que deve ser publicado ainda nesta sexta-feira, 04. Na região do Extremo Sul Catarinense, não há nenhuma ação programada para fiscalização de festas e eventos na região.

O toque de recolher poderá prever que os estabelecimentos deverão fechar as portas até as 23h, com a possibilidade de atender os clientes que já se encontrarem no recinto até meia-noite, e que as pessoas não poderão circular nas ruas entre a meia-noite e às 5 horas da manhã — para evitar a proliferação da doença em festas irregulares.

O Governo do Estado informa que a fiscalização cabe às instituições de segurança pública, como Polícias Militar e Civil, e que pode ser reforçada pelos municípios, através das guardas municipais e fiscais de vigilância sanitária. O atual presidente do CER Covid-19 AMESC, secretário de Saúde de Jacinto Machado, Adilson Piva, afirma que não foram definidas ações exclusivas da AMESC na reunião desta semana.

Em Araranguá, a secretária de saúde, Evelyn Elias, através da assessoria de imprensa, informa que a fiscalização será feita exclusivamente pela segurança pública. “Nós vamos aguardar o decreto estadual dito pelo governador Moisés. O toque de recolher será fiscalizado pela segurança pública, não pela vigilância sanitária. As festas em Araranguá estarão proibidas das 23h às 6h da manhã, e os restaurantes terão até às 24 horas para atender seus cliente e encerrar. Na região, não é de nossa responsabilidade”, declara a secretária.

Polícia Militar deverá seguir protocolo e realizar fiscalizações

De acordo com o tenente Felipe Silva, do 19º Batalhão de Polícia Militar de Araranguá, a PM seguirá o protocolo já estabelecido e realizar as fiscalizações. “A Polícia Militar atuará com base na legalidade, cumprindo as determinações das normas estaduais em vigor e preservando a ordem pública, seja no tocante à segurança, à tranquilidade ou salubridade pública”, declara.

Como denunciar

O telefone de contato da 19ª Delegacia Regional de Polícia de Araranguá é o (48) 3529-0242. Já para realizar a denúncia à Polícia Militar, ligue para 0800-48-1717 ou acesse https://www.pm.sc.gov.br/denuncia.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias