Blog Rolando Christian Coelho: Não acredite na bondade do Congresso

Rolando Christian Coelho, 19/12/2019

Congresso Nacional aprovou Fundo Eleitoral de R$ 2 bilhões, conforme havia sido sugerido pelo Palácio do Planalto. Ano passado, o Fundo para bancar o pleito eleitoral nacional e estadual foi de R$ 1,7 bilhão, e o Congresso, através de 13 dos 17 partidos que lá estão, já havia feito um acordão para que ele fosse elevado para R$ 3,8 bilhões com vistas ao pleito de 2020. A diferença dos R$ 2 bilhões para os R$ 3,8 bilhões sairia de áreas como a saúde, educação e infraestrutura. O Congresso acabou voltando atrás e acatando a sugestão da equipe do presidente Jair Bolsonaro.


Em princípio isto pode parecer algo bom, mas não é. Restou-nos a prova cabal de que as ratazanas de Brasília estão se adaptando às situações, o que é um perigo. Não há nada pior do que malandro se moldando ao meio aonde vive. Em agindo assim, na maioria das vezes, o mandrião acaba passando desapercebido, e, não raro, é confundido com gente de boa índole.


Até pouco tempo os malandros da Capital Federal eram mais honestos consigo mesmos. Batiam no peito e empurravam goela abaixo do povo todo aquilo que lhes trouxesse algum proveito pessoal. Faziam isto na maior cara de pau, até que o povo resolveu tomar as ruas e expulsar mais da metade do Congresso. Muitos dos que foram enxotados, no entanto, se reconfiguraram e voltaram pessoalmente, ou através de asseclas, ao centro do poder. A cara destes é nova, mas as práticas são as mesmas. Observe pontualmente o caso do PSL de Bolsonaro. O partido elegeu 54 deputados federais. Quando o presidente anunciou sua saída da sigla, somente 26 disseram que o acompanhariam. Os demais preferiram o Fundo Eleitoral destinado ao partido. Na prática, metade daqueles que foram eleitos para ser o ápice da mudança, resistem a mudança. Imagine o resto.


Nosso Congresso Nacional infelizmente não é bom. Há muita gente boa, mas não é a maioria. É preciso se observar como cada um de nossos representantes vota, para que iniciemos um processo de depuração do parlamento nacional. A pressão popular fez o Fundo Eleitoral ser diminuído. A fiscalização popular, por sua vez, fará com que as ratazanas do Congresso também diminuam em eleições futuras.


Sasso confirma que ficará a disposição do PP para 2020


Presidente do Samae de Araranguá, José Hilson Sasso, confirmou que irá se desincompatibilizar de suas funções, em março, ou no início de abril, para ficar a disposição do Progressistas, com vistas ao pleito majoritário do ano que vem. Ontem à tarde ele promoveu um café com a imprensa, na sede da autarquia, para tratar de assuntos administrativos do órgão, mas paralelo ao encontro não se furtou em falar sobre política eleitoral. Sasso reconhece que o candidato preferencial do Progressistas para a disputa executiva de 2020 é o prefeito Mariano Mazzuco Neto, mas ressalta que “o partido precisa contar com nomes que estejam preparados para entrar em campo, por ocasião de alguma eventualidade”. Neste sentido, ele se refere especificamente ao fato de Mariano simplesmente não querer ir à reeleição, “o que também é um direito dele”.


Romanin diz que Tiago Zilli é o melhor nome para 2020


Líder emedebista de Turvo, Romanin Dagostin diz que partido não deve abrir mão de lançar o prefeito Tiago Zilli à reeleição. De acordo com ele, Tiago é o único nome capaz de unir totalmente a sigla no pleito do ano que vem. Nos últimos meses, Tiago vem dando a entender que não pretende disputar a reeleição, ressaltando que em meados de janeiro irá se pronunciar oficialmente sobre isto. Para Romanin, que já foi vice-prefeito do município, a disputa de 2020 deverá ser extremamente acirrada, por conta do acúmulo de três mandatos consecutivos do MDB e, por isto, o partido precisa entrar com o que tem de melhor em campo. No Progressista, os nomes de Carmem Olivo, Arlindo Manenti e Sandro Cirimbelli são os que mais se destacam como prováveis opositores do MDB ano que vem.


Loreni da Luz diz que Mariano precisar abrir espaço


Ex-vereador araranguaense Loreni da Luz, uma das principais lideranças do PSD do município, diz que apóia uma união entre seu partido e o Progressistas ano que vem, desde que o prefeito Mariano Mazzuco Neto (PP) não dispute a reeleição. De acordo com Loreni, “Mariano precisa abrir o partido para sangue novo na política”. Conforme ele, não há nada que desabone a conduta do prefeito da Cidade das Avenidas, “mas o povo cansou de votar sempre nos mesmos”. Questionado sobre sua intenção de disputar ou não à reeleição, Mariano disse que já se manifestou favoravelmente ao lançamento de outros nomes. “O partido é aberto e democrático. Quem desejar ser candidato tem que se manifestar. De minha parte apoio o nome que o Progressistas indicar sem nenhum problema”, comentou.


PSD e PP de Sombrio não se entendem para eleição da Câmara


Vereador sombriense Nano Freitas (PSD) diz que acordo entre seu partido e o Progressistas, para viabilizar a unidade das siglas de oposição na Câmara, com vistas a escolha da Mesa Diretora do legislativo para o ano de 2020, “já esteve mais próximo de ser viabilizado”. Conforme Nano, “alguns vereadores do Progressistas não aceitam abrir mão nem mesmo de alguns meses para que o PSD também comande a Câmara ano que vem”. De acordo com ele, isso vai acabar afastado os dois partidos, “e pode até mesmo comprometer o entendimento entre as siglas diante de uma possível união em 2020 para a disputa municipal”. Nano se mantém como candidato à presidência da Câmara. Em princípio, o Progressistas, que tem maioria na Câmara, anunciou que aceitava dividir o mandato, mas, conforme Nano, o assunto acabou sendo engavetado.


Quer receber notícias pelo Whatsapp? Clique aqui

Congresso Nacional aprovou Fundo Eleitoral de R$ 2 bilhões, conforme havia sido sugerido pelo Palácio do Planalto. Ano passado, o Fundo para bancar o pleito eleitoral nacional e estadual foi de R$ 1,7 bilhão, e o Congresso, através de 13 dos 17 partidos que lá estão, já havia feito um acordão para que ele fosse elevado para R$ 3,8 bilhões com vistas ao pleito de 2020. A diferença dos R$ 2 bilhões para os R$ 3,8 bilhões sairia de áreas como a saúde, educação e infraestrutura. O Congresso acabou voltando atrás e acatando a sugestão da equipe do presidente Jair Bolsonaro.

Em princípio isto pode parecer algo bom, mas não é. Restou-nos a prova cabal de que as ratazanas de Brasília estão se adaptando às situações, o que é um perigo. Não há nada pior do que malandro se moldando ao meio aonde vive. Em agindo assim, na maioria das vezes, o mandrião acaba passando desapercebido, e, não raro, é confundido com gente de boa índole.

Até pouco tempo os malandros da Capital Federal eram mais honestos consigo mesmos. Batiam no peito e empurravam goela abaixo do povo todo aquilo que lhes trouxesse algum proveito pessoal. Faziam isto na maior cara de pau, até que o povo resolveu tomar as ruas e expulsar mais da metade do Congresso. Muitos dos que foram enxotados, no entanto, se reconfiguraram e voltaram pessoalmente, ou através de asseclas, ao centro do poder. A cara destes é nova, mas as práticas são as mesmas. Observe pontualmente o caso do PSL de Bolsonaro. O partido elegeu 54 deputados federais. Quando o presidente anunciou sua saída da sigla, somente 26 disseram que o acompanhariam. Os demais preferiram o Fundo Eleitoral destinado ao partido. Na prática, metade daqueles que foram eleitos para ser o ápice da mudança, resistem a mudança. Imagine o resto.

Nosso Congresso Nacional infelizmente não é bom. Há muita gente boa, mas não é a maioria. É preciso se observar como cada um de nossos representantes vota, para que iniciemos um processo de depuração do parlamento nacional. A pressão popular fez o Fundo Eleitoral ser diminuído. A fiscalização popular, por sua vez, fará com que as ratazanas do Congresso também diminuam em eleições futuras.

Sasso confirma que ficará a disposição do PP para 2020

Presidente do Samae de Araranguá, José Hilson Sasso, confirmou que irá se desincompatibilizar de suas funções, em março, ou no início de abril, para ficar a disposição do Progressistas, com vistas ao pleito majoritário do ano que vem. Ontem à tarde ele promoveu um café com a imprensa, na sede da autarquia, para tratar de assuntos administrativos do órgão, mas paralelo ao encontro não se furtou em falar sobre política eleitoral. Sasso reconhece que o candidato preferencial do Progressistas para a disputa executiva de 2020 é o prefeito Mariano Mazzuco Neto, mas ressalta que “o partido precisa contar com nomes que estejam preparados para entrar em campo, por ocasião de alguma eventualidade”. Neste sentido, ele se refere especificamente ao fato de Mariano simplesmente não querer ir à reeleição, “o que também é um direito dele”.

Romanin diz que Tiago Zilli é o melhor nome para 2020

Líder emedebista de Turvo, Romanin Dagostin diz que partido não deve abrir mão de lançar o prefeito Tiago Zilli à reeleição. De acordo com ele, Tiago é o único nome capaz de unir totalmente a sigla no pleito do ano que vem. Nos últimos meses, Tiago vem dando a entender que não pretende disputar a reeleição, ressaltando que em meados de janeiro irá se pronunciar oficialmente sobre isto. Para Romanin, que já foi vice-prefeito do município, a disputa de 2020 deverá ser extremamente acirrada, por conta do acúmulo de três mandatos consecutivos do MDB e, por isto, o partido precisa entrar com o que tem de melhor em campo. No Progressista, os nomes de Carmem Olivo, Arlindo Manenti e Sandro Cirimbelli são os que mais se destacam como prováveis opositores do MDB ano que vem.

Loreni da Luz diz que Mariano precisar abrir espaço

Ex-vereador araranguaense Loreni da Luz, uma das principais lideranças do PSD do município, diz que apóia uma união entre seu partido e o Progressistas ano que vem, desde que o prefeito Mariano Mazzuco Neto (PP) não dispute a reeleição. De acordo com Loreni, “Mariano precisa abrir o partido para sangue novo na política”. Conforme ele, não há nada que desabone a conduta do prefeito da Cidade das Avenidas, “mas o povo cansou de votar sempre nos mesmos”. Questionado sobre sua intenção de disputar ou não à reeleição, Mariano disse que já se manifestou favoravelmente ao lançamento de outros nomes. “O partido é aberto e democrático. Quem desejar ser candidato tem que se manifestar. De minha parte apoio o nome que o Progressistas indicar sem nenhum problema”, comentou.

PSD e PP de Sombrio não se entendem para eleição da Câmara

Vereador sombriense Nano Freitas (PSD) diz que acordo entre seu partido e o Progressistas, para viabilizar a unidade das siglas de oposição na Câmara, com vistas a escolha da Mesa Diretora do legislativo para o ano de 2020, “já esteve mais próximo de ser viabilizado”. Conforme Nano, “alguns vereadores do Progressistas não aceitam abrir mão nem mesmo de alguns meses para que o PSD também comande a Câmara ano que vem”. De acordo com ele, isso vai acabar afastado os dois partidos, “e pode até mesmo comprometer o entendimento entre as siglas diante de uma possível união em 2020 para a disputa municipal”. Nano se mantém como candidato à presidência da Câmara. Em princípio, o Progressistas, que tem maioria na Câmara, anunciou que aceitava dividir o mandato, mas, conforme Nano, o assunto acabou sendo engavetado.

Quer receber notícias pelo Whatsapp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar ao blog