Mulheres que foram presas em flagrante na Operária por tráfico já estão soltas

Decisão foi da 2ª Vara Criminal da Comarca de Araranguá que não comentou sobre o caso

Por Dyessica Abadi

Duas mulheres que foram presas em flagrante suspeitas por tráfico de drogas na última segunda-feira, 15, já estão liberadas e voltaram a circular pelo bairro Operária, em Araranguá, onde foi realizada a apreensão. A operação foi realizada pela Polícia Civil, por meio da Divisão de Investigação Criminal de Araranguá (DIC), e resultou na apreensão de porções de Crack, Cocaína e Maconha, além de dinheiro proveniente do tráfico.

De acordo com o Delegado da Polícia Civil, Jair Duarte, as suspeitas foram liberadas por conta de uma decisão judicial.  O auto de prisão em flagrante foi distribuído para a 2ª Vara Criminal da Comarca de Araranguá. A assessoria de gabinete da juíza responsável pelo caso informou que não comentaria a decisão à reportagem.

O local era alvo de denúncias há alguns meses, sendo constatado que duas casas eram usadas para o comércio de entorpecentes. Uma das mulheres tem 28 anos e é réu primária e a segunda tem 33 anos e já teria sido presa em outra ocasião.

 

Por Dyessica Abadi

Duas mulheres que foram presas em flagrante suspeitas por tráfico de drogas na última segunda-feira, 15, já estão liberadas e voltaram a circular pelo bairro Operária, em Araranguá, onde foi realizada a apreensão. A operação foi realizada pela Polícia Civil, por meio da Divisão de Investigação Criminal de Araranguá (DIC), e resultou na apreensão de porções de Crack, Cocaína e Maconha, além de dinheiro proveniente do tráfico.

De acordo com o Delegado da Polícia Civil, Jair Duarte, as suspeitas foram liberadas por conta de uma decisão judicial.  O auto de prisão em flagrante foi distribuído para a 2ª Vara Criminal da Comarca de Araranguá. A assessoria de gabinete da juíza responsável pelo caso informou que não comentaria a decisão à reportagem.

O local era alvo de denúncias há alguns meses, sendo constatado que duas casas eram usadas para o comércio de entorpecentes. Uma das mulheres tem 28 anos e é réu primária e a segunda tem 33 anos e já teria sido presa em outra ocasião.

 

Compartilhe

Voltar às notícias