Moradores protestam contra carros apreendidos depositados na rua Hildebrando Pessi

Av. Sete de Setembro também foi trancada em forma de protesto

Na manhã desta terça-feira, 18, um protesto dos moradores da rua Hildebrando Pessi no bairro Cidade Alta parou a Avenida Sete de Setembro por volta das 10h. Os populares afirmam que a rua está sendo utilizada como "depósito de carros" da Polícia Civil, no momento 8 carros estão ocupando a rua.

Segundo Gislaine Stecanela de Oliveira, futura moradora da rua, com um casa em construção no local, há três meses busca soluções para esse problema. Ela afirma que os carros ali descartados impedem a passagem de caminhões que teriam que levar materiais para que a construção de sua casa continue em andamento. "Esse problema não é de agora, ja faz aproximadamente 1 ano que isso acontece, já fui buscar soluções com alguns departamentos da prefeitura, porém não obtive êxito. Eles alegam que é responsabilidade do estado a resolução desse problema" finaliza.

Em entrevista o secretário de Planejamento, Indústria e Comércio, Francisco Diello, esclarece. "Quanto ao uso do espaço público está sendo utilizado pelo Polícia Civil, o Departamento de Trânsito ia fazer a demarcação. Todos os carros são objetos de investigação, então é preciso acesso aos veículos. A Polícia Civil é um órgão do estado, eles nos pediram ajuda e estamos verificando se conseguimos alocar em um depósito. Estamos buscando junto ao delegado regional as informações sobre o que o estado irá fazer em relação a essa questão".









Quer receber notícias pelo Whatsapp? Clique aqui

Na manhã desta terça-feira, 18, um protesto dos moradores da rua Hildebrando Pessi no bairro Cidade Alta parou a Avenida Sete de Setembro por volta das 10h. Os populares afirmam que a rua está sendo utilizada como “depósito de carros” da Polícia Civil, no momento 8 carros estão ocupando a rua.

Segundo Gislaine Stecanela de Oliveira, futura moradora da rua, com um casa em construção no local, há três meses busca soluções para esse problema. Ela afirma que os carros ali descartados impedem a passagem de caminhões que teriam que levar materiais para que a construção de sua casa continue em andamento. “Esse problema não é de agora, ja faz aproximadamente 1 ano que isso acontece, já fui buscar soluções com alguns departamentos da prefeitura, porém não obtive êxito. Eles alegam que é responsabilidade do estado a resolução desse problema” finaliza.

Em entrevista o secretário de Planejamento, Indústria e Comércio, Francisco Diello, esclarece. “Quanto ao uso do espaço público está sendo utilizado pelo Polícia Civil, o Departamento de Trânsito ia fazer a demarcação. Todos os carros são objetos de investigação, então é preciso acesso aos veículos. A Polícia Civil é um órgão do estado, eles nos pediram ajuda e estamos verificando se conseguimos alocar em um depósito. Estamos buscando junto ao delegado regional as informações sobre o que o estado irá fazer em relação a essa questão”.

Quer receber notícias pelo Whatsapp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias