Blog Rolando Christian Coelho: Moisés quer fortalecer PSL em 2020

Rolando Christian Coelho, 18/12/2019

Governador Carlos Moisés da Silva (PSL) não tem se feito de rogado, e quer que o PSL catarinense mostre a sua cara nas urnas em 2020, não obstante a saída do presidente Jair Bolsonaro da sigla. Aos mais próximos, o governador já disse que irá disputar a reeleição em 2022 e, para isto, precisará de base eleitoral, configurada na eleição de prefeitos, vices e vereadores ano que vem. Para facilitar o projeto, o presidente do partido, deputado federal Fábio Schiochet, tem acelerado o processo de reconfiguração da sigla nos municípios em que os diretórios ou comissões provisórias ainda não foram restituídos.


A tarefa do PSL catarinense não é das mais fácies, justamente por conta da saída de Bolsonaro. Em que pese um discurso convincente em defesa do governador, o fato é que o PSL terá que bater de frente com verdadeiras hierarquias da política estadual, configuradas por siglas como o MDB, Progressistas, PSD e PSDB. Trata-se de um jogo pesadíssimo, que poderia ser facilitado diante de um apelo ao bolsonarismo direto.


No entanto, Carlos Moisés não tem muito o que fazer. Mesmo que migre para outro partido em 2022, como se comenta, é preciso constituir um grupo próprio de imediato, e isto pode ser feito no pleito do ano que vem. Se o resultado das urnas for convincente, de repente ele nem precise deixar seu partido para tentar um outro mandato.


PP de Sombrio dever escolher seu candidato em março


Progressista de Sombrio marcou para março prazo final para definir quem será o candidato do partido ao executivo municipal. Em princípio, o vereador Peri Soares e o empresário e bioquímico Cristian da Rosa são os nomes da sigla para a disputa majoritária. O partido tem preocupação quanto a demora na escolha, pois foi justamente isto que depôs francamente contra a sigla nos pleitos de 2008, 2012 e 2016. Num primeiro momento, chegou a ser cogitada a possibilidade do nome do candidato progressista a prefeitura de Sombrio ser lançado em outubro do ano passado. A data foi adiada para março que vem, ocasião em que o indicado será anunciado depois de esforços para que prevaleça o consenso dentro do partido.


Unido à esquerda, MDB de Araranguá pode levar vantagem


Diante de um provável quadro de tripolarização entre os partidos de centro-direita em Araranguá, cenário este representado pelas prováveis candidaturas do Progressistas, PL e PSL, será natural que o MDB se aproxime dos partidos de centro-esquerda do município, por mais contraditório que isto possa parecer diante do atual momento político nacional e estadual. No entanto, o MDB da Cidade das Avenidas tem a chance de liderar aquelas siglas que não fecham com os chamados conservadores, que, por sua vez, deverão se dividir, justamente porque o conservadorismo está em alta e as pretensões são muitas. Se o MDB conseguir aglutinar um grupo político de centro-esquerda, terá grandes chances de se ressaltar em 2020, por conta da natural divisão dos partidos de centro-direita, que, por incrível que pareça, terão mais dificuldades em achar um ponto de convergência comum com vistas a próximo pleito municipal.


Sasso reunirá imprensa hoje para avaliação e projeção de 2020


Presidente do Samae de Araranguá, José Hilson Sasso, promoverá café com a imprensa regional na tarde de hoje, na sede da entidade. Objetivo é fazer um levantamento dos trabalhos realizados em 2019 e também ressaltar as projeções para 2020, ainda que Sasso deva permanecer à frente da autarquia somente até o início de abril. Em princípio, ele irá se desincompatibilizar de suas funções públicas para ficar a disposição do Progressistas, com vistas ao pleito municipal do ano que vem. Caso o prefeito Mariano Mazzuco Neto (PP) não opte por disputar a reeleição, Hilson Sasso é um dos nomes fortes da sigla para substituí-lo no certame. O outro é o presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Daniel Viriato Afonso (PP).


Depois de adiamento, MDB de Gaivota se reúne amanhã


MDB de Balneário Gaivota deverá se reunir amanhã, para oficializar sua disposição de lançar candidato a prefeito no pleito municipal do ano que vem. Na ocasião, o empresário Joaci Silva de Oliveira deverá comunicar ao partido que não tem mais a pretensão de disputar o executivo municipal, manifestando apoio às pré-candidaturas de Mano Godinho e de João Carlos Porto. Em princípio, um dos dois deverá ser o nome da sigla para a disputa majoritária de 2020. Paralelo a isto, lideranças do MDB têm conversado com líderes do PSDB, PSL, Podemos e PSB objetivando a formação de uma ampla frente de oposição no município, e a expectativa é a de que esse G-5 aumente a sua robustez no primeiro trimestre do ano que vem. Dentre as siglas que poderão estar na oposição, também estão o PDT e o PTB. Nos bastidores, o que se comenta é que o candidato a prefeito e a vice deste grande grupo deverá ser escolhido por pesquisa.


Quer receber notícias pelo Whatsapp? Clique aqui

Governador Carlos Moisés da Silva (PSL) não tem se feito de rogado, e quer que o PSL catarinense mostre a sua cara nas urnas em 2020, não obstante a saída do presidente Jair Bolsonaro da sigla. Aos mais próximos, o governador já disse que irá disputar a reeleição em 2022 e, para isto, precisará de base eleitoral, configurada na eleição de prefeitos, vices e vereadores ano que vem. Para facilitar o projeto, o presidente do partido, deputado federal Fábio Schiochet, tem acelerado o processo de reconfiguração da sigla nos municípios em que os diretórios ou comissões provisórias ainda não foram restituídos.

A tarefa do PSL catarinense não é das mais fácies, justamente por conta da saída de Bolsonaro. Em que pese um discurso convincente em defesa do governador, o fato é que o PSL terá que bater de frente com verdadeiras hierarquias da política estadual, configuradas por siglas como o MDB, Progressistas, PSD e PSDB. Trata-se de um jogo pesadíssimo, que poderia ser facilitado diante de um apelo ao bolsonarismo direto.

No entanto, Carlos Moisés não tem muito o que fazer. Mesmo que migre para outro partido em 2022, como se comenta, é preciso constituir um grupo próprio de imediato, e isto pode ser feito no pleito do ano que vem. Se o resultado das urnas for convincente, de repente ele nem precise deixar seu partido para tentar um outro mandato.

PP de Sombrio dever escolher seu candidato em março

Progressista de Sombrio marcou para março prazo final para definir quem será o candidato do partido ao executivo municipal. Em princípio, o vereador Peri Soares e o empresário e bioquímico Cristian da Rosa são os nomes da sigla para a disputa majoritária. O partido tem preocupação quanto a demora na escolha, pois foi justamente isto que depôs francamente contra a sigla nos pleitos de 2008, 2012 e 2016. Num primeiro momento, chegou a ser cogitada a possibilidade do nome do candidato progressista a prefeitura de Sombrio ser lançado em outubro do ano passado. A data foi adiada para março que vem, ocasião em que o indicado será anunciado depois de esforços para que prevaleça o consenso dentro do partido.

Unido à esquerda, MDB de Araranguá pode levar vantagem

Diante de um provável quadro de tripolarização entre os partidos de centro-direita em Araranguá, cenário este representado pelas prováveis candidaturas do Progressistas, PL e PSL, será natural que o MDB se aproxime dos partidos de centro-esquerda do município, por mais contraditório que isto possa parecer diante do atual momento político nacional e estadual. No entanto, o MDB da Cidade das Avenidas tem a chance de liderar aquelas siglas que não fecham com os chamados conservadores, que, por sua vez, deverão se dividir, justamente porque o conservadorismo está em alta e as pretensões são muitas. Se o MDB conseguir aglutinar um grupo político de centro-esquerda, terá grandes chances de se ressaltar em 2020, por conta da natural divisão dos partidos de centro-direita, que, por incrível que pareça, terão mais dificuldades em achar um ponto de convergência comum com vistas a próximo pleito municipal.

Sasso reunirá imprensa hoje para avaliação e projeção de 2020

Presidente do Samae de Araranguá, José Hilson Sasso, promoverá café com a imprensa regional na tarde de hoje, na sede da entidade. Objetivo é fazer um levantamento dos trabalhos realizados em 2019 e também ressaltar as projeções para 2020, ainda que Sasso deva permanecer à frente da autarquia somente até o início de abril. Em princípio, ele irá se desincompatibilizar de suas funções públicas para ficar a disposição do Progressistas, com vistas ao pleito municipal do ano que vem. Caso o prefeito Mariano Mazzuco Neto (PP) não opte por disputar a reeleição, Hilson Sasso é um dos nomes fortes da sigla para substituí-lo no certame. O outro é o presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Daniel Viriato Afonso (PP).

Depois de adiamento, MDB de Gaivota se reúne amanhã

MDB de Balneário Gaivota deverá se reunir amanhã, para oficializar sua disposição de lançar candidato a prefeito no pleito municipal do ano que vem. Na ocasião, o empresário Joaci Silva de Oliveira deverá comunicar ao partido que não tem mais a pretensão de disputar o executivo municipal, manifestando apoio às pré-candidaturas de Mano Godinho e de João Carlos Porto. Em princípio, um dos dois deverá ser o nome da sigla para a disputa majoritária de 2020. Paralelo a isto, lideranças do MDB têm conversado com líderes do PSDB, PSL, Podemos e PSB objetivando a formação de uma ampla frente de oposição no município, e a expectativa é a de que esse G-5 aumente a sua robustez no primeiro trimestre do ano que vem. Dentre as siglas que poderão estar na oposição, também estão o PDT e o PTB. Nos bastidores, o que se comenta é que o candidato a prefeito e a vice deste grande grupo deverá ser escolhido por pesquisa.

Quer receber notícias pelo Whatsapp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar ao blog