Mesmo no inverno, reclamações por pernilongos disparam

Matéria conversou com o coordenador do Programa de Controle a Dengue de Araranguá, Joelcio Anastácio, que explicou o fenômeno

É no mínimo incomum avistar tanto mosquitos nesta época do ano. Mesmo com a queda de temperatura no último final de semana, ficando por volta dos 15°C, ainda é possível ouvir os zunidos por aí.

Quem explica o fenômeno, é o coordenador do Programa de Controle a Dengue de Araranguá, Joelcio Anastácio. “A maior intensidade de mosquito adulto nesta época do ano, se dá porque nós tivemos um período de estiagem bem grande. No verão, período quente em que existe um grande volume de mosquito, eles acasalaram e colocaram seus ovos em depósitos dispersos no meio ambiente, terrenos baldios, quintais e jardins. Os ovos não eclodiram até que tivesse condições para isso. No caso, até que houvesse umidade suficiente no ar já que em fevereiro e março foi um período seco”, salienta.

No final de maio e começo de junho as chuvas voltaram a cair e junto delas vieram também os dias quentes em pleno inverno. “O calor nesta época do ano e a umidade do ar facilitou o cumprimento do ciclo de crescimento do mosquito que é em média sete dias”, destaca.
Como controlar os mosquitos

O ciclo de vida de um mosquito adulto é de 30 dias, mas Anastácio explica que o fim deste surto pode depender de alguns fatores. O primeiro deles é a queda da temperatura. Os mosquitos não sobrevivem em baixas temperaturas e começam a morrer quando ela cai por volta dos 15°C. Além de contar com o tempo, Anastácio reforça que as ações individuais podem ser tomadas. “Também é necessário a eliminação dos depósitos artificiais - na zona urbana os principais criadouros são os recipientes artificiais descartados indiscriminadamente a céu aberto pela população e que servem como locais de acúmulo da água da chuva - e isso pode ser feito a partir da iniciativa de cada cidadão”, finaliza.

É no mínimo incomum avistar tanto mosquitos nesta época do ano. Mesmo com a queda de temperatura no último final de semana, ficando por volta dos 15°C, ainda é possível ouvir os zunidos por aí.

Quem explica o fenômeno, é o coordenador do Programa de Controle a Dengue de Araranguá, Joelcio Anastácio. “A maior intensidade de mosquito adulto nesta época do ano, se dá porque nós tivemos um período de estiagem bem grande. No verão, período quente em que existe um grande volume de mosquito, eles acasalaram e colocaram seus ovos em depósitos dispersos no meio ambiente, terrenos baldios, quintais e jardins. Os ovos não eclodiram até que tivesse condições para isso. No caso, até que houvesse umidade suficiente no ar já que em fevereiro e março foi um período seco”, salienta.

No final de maio e começo de junho as chuvas voltaram a cair e junto delas vieram também os dias quentes em pleno inverno. “O calor nesta época do ano e a umidade do ar facilitou o cumprimento do ciclo de crescimento do mosquito que é em média sete dias”, destaca.
Como controlar os mosquitos

O ciclo de vida de um mosquito adulto é de 30 dias, mas Anastácio explica que o fim deste surto pode depender de alguns fatores. O primeiro deles é a queda da temperatura. Os mosquitos não sobrevivem em baixas temperaturas e começam a morrer quando ela cai por volta dos 15°C. Além de contar com o tempo, Anastácio reforça que as ações individuais podem ser tomadas. “Também é necessário a eliminação dos depósitos artificiais – na zona urbana os principais criadouros são os recipientes artificiais descartados indiscriminadamente a céu aberto pela população e que servem como locais de acúmulo da água da chuva – e isso pode ser feito a partir da iniciativa de cada cidadão”, finaliza.

Compartilhe

Voltar às notícias