Maracajá reabre estabelecimentos na BR-101 e torna obrigatório uso de máscara

Mais duas medidas foram divulgadas e passam a valer a partir de amanhã, sexta-feira, 22, no município

Por Dyessica Abadi

Nos últimos dias, o município de Maracajá, no Extremo Sul de Santa Catarina, tem sido o epicentro da pandemia do Covid-19 na região. Somente nesta semana, foram confirmados mais 14 casos do vírus na cidade, totalizando 16. A Prefeitura Municipal de Maracajá vem adotando medidas mais intensas para conter a rápida proliferação do vírus, como a prisão para os casos positivados, suspeitos e monitorados que quebrarem a quarentena. Nesta quinta-feira, 21, mais duas medidas foram divulgadas e passam a valer a partir de amanhã no município.

O Boletim Epidemiológico Municipal, divulgado pela Vigilância Epidemiológica, mantém a mesma quantidade de casos confirmados do dia anterior. As principais mudanças são em relação ao número de casos "descartados" (de 19 para 22) e a redução da quantidade de monitorados (que baixou de 76 para 67). Na manhã desta quinta-feira, 21, a reportagem do Portal W3 investigou as especulações sobre os testes realizados no único laboratório da rede privada de Maracajá. Para saber mais, acesse a matéria: Laboratório Privado de Maracajá esclarece polêmicas sobre exames.

Estabelecimento às margens da BR-101 voltam a abrir


Reabre a partir desta sexta-feira, 22, um dos estabelecimentos comerciais às margens da BR-101, interditado na segunda-feira, 18, pela constatação de casos confirmados para Covid-19. Os locais passaram por desinfecção e sanitização para atendimento ao público. O segundo estabelecimento fechado para exigências sanitárias será reaberto apenas na segunda-feira, 25.

"Todos os protocolos foram cumpridos e há segurança total para que a atividade volte à normalidade; tivemos uma reunião com os empresários dos dois estabelecimentos e todos entenderam os protocolos técnicos seguidos e a importância da contribuição de todos para superarmos este momento difícil pelo qual passamos", disse o diretor de Saúde, Diogo Copetti.

Município torna uso de máscara obrigatório


A partir desta sexta-feira, 22, será exigido a utilização de máscaras de proteção contra a Covid-19 para qualquer pessoas que circular pelas vias públicas e ingressar em qualquer tipo de estabelecimento de Maracajá. A decisão foi tomada pelo Prefeito, Arlindo Rocha, em reunião de colegiado realizada na tarde desta quinta-feira, 21. A exigência também se estende a motoristas de transporte individual ou compartilhado com passageiros e em veículos particulares com dois ou mais ocupantes.

A máscara deverá ser utilizada, também, em ambientes abertos. O Decreto Municipal leva em consideração o aumento de casos confirmados no município e segue as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde. De acordo com o documento, é responsabilidade de cada estabelecimento garantir o cumprimento da medida, ficando sujeito a fiscalização dos órgãos públicos. O descumprimento constituirá infração sanitária grave, aplicando-se as sanções previstas na legislação sanitária municipal.

Serão aceitas máscaras de pano, confeccionadas de forma artesanal, desde que "estejam devidamente fixadas e ajustadas ao rosto do usuário, encobrindo totalmente a boca e o nariz", prevê a norma municipal. O Decreto não fixa multa pecuniária como sanção aos infratores, mas autoriza os órgãos de fiscalização e de poder de polícia a tomarem as atitudes necessárias ao fiel cumprimento da lei.

Por Dyessica Abadi

Nos últimos dias, o município de Maracajá, no Extremo Sul de Santa Catarina, tem sido o epicentro da pandemia do Covid-19 na região. Somente nesta semana, foram confirmados mais 14 casos do vírus na cidade, totalizando 16. A Prefeitura Municipal de Maracajá vem adotando medidas mais intensas para conter a rápida proliferação do vírus, como a prisão para os casos positivados, suspeitos e monitorados que quebrarem a quarentena. Nesta quinta-feira, 21, mais duas medidas foram divulgadas e passam a valer a partir de amanhã no município.

O Boletim Epidemiológico Municipal, divulgado pela Vigilância Epidemiológica, mantém a mesma quantidade de casos confirmados do dia anterior. As principais mudanças são em relação ao número de casos “descartados” (de 19 para 22) e a redução da quantidade de monitorados (que baixou de 76 para 67). Na manhã desta quinta-feira, 21, a reportagem do Portal W3 investigou as especulações sobre os testes realizados no único laboratório da rede privada de Maracajá. Para saber mais, acesse a matéria: Laboratório Privado de Maracajá esclarece polêmicas sobre exames.

Estabelecimento às margens da BR-101 voltam a abrir

Reabre a partir desta sexta-feira, 22, um dos estabelecimentos comerciais às margens da BR-101, interditado na segunda-feira, 18, pela constatação de casos confirmados para Covid-19. Os locais passaram por desinfecção e sanitização para atendimento ao público. O segundo estabelecimento fechado para exigências sanitárias será reaberto apenas na segunda-feira, 25.

“Todos os protocolos foram cumpridos e há segurança total para que a atividade volte à normalidade; tivemos uma reunião com os empresários dos dois estabelecimentos e todos entenderam os protocolos técnicos seguidos e a importância da contribuição de todos para superarmos este momento difícil pelo qual passamos”, disse o diretor de Saúde, Diogo Copetti.

Município torna uso de máscara obrigatório

A partir desta sexta-feira, 22, será exigido a utilização de máscaras de proteção contra a Covid-19 para qualquer pessoas que circular pelas vias públicas e ingressar em qualquer tipo de estabelecimento de Maracajá. A decisão foi tomada pelo Prefeito, Arlindo Rocha, em reunião de colegiado realizada na tarde desta quinta-feira, 21. A exigência também se estende a motoristas de transporte individual ou compartilhado com passageiros e em veículos particulares com dois ou mais ocupantes.

A máscara deverá ser utilizada, também, em ambientes abertos. O Decreto Municipal leva em consideração o aumento de casos confirmados no município e segue as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde. De acordo com o documento, é responsabilidade de cada estabelecimento garantir o cumprimento da medida, ficando sujeito a fiscalização dos órgãos públicos. O descumprimento constituirá infração sanitária grave, aplicando-se as sanções previstas na legislação sanitária municipal.

Serão aceitas máscaras de pano, confeccionadas de forma artesanal, desde que “estejam devidamente fixadas e ajustadas ao rosto do usuário, encobrindo totalmente a boca e o nariz”, prevê a norma municipal. O Decreto não fixa multa pecuniária como sanção aos infratores, mas autoriza os órgãos de fiscalização e de poder de polícia a tomarem as atitudes necessárias ao fiel cumprimento da lei.

Compartilhe

Voltar às notícias