Mais de 57 mil pessoas devem ser vacinadas contra a gripe na região

Fazem parte do grupo prioritário idosos, crianças, gestantes, profissionais da saúde, puérperas, professores e portadores de doenças crônicas.

Já está em andamento em todo o país, desde a última segunda-feira, 24, a campanha de vacinação contra a gripe. O procedimento que leva apenas alguns minutos pode salvar vidas, principalmente daqueles que fazem parte do grupo de risco e tem maior dificuldade para a recuperação.


A Campanha de Vacinação vai até o dia 1º de junho, tendo o dia D (mobilização Nacional) no dia 12 de maio. A única contraindicação é para que tem alergia severa a ovos, os demais devem se dirigir as unidades de saúde mais próxima para obter imunização, pois a vacina leva cerca de 15 dias para garantir a proteção contra o vírus da gripe.


Segundo a Técnica de Imunizações da Gerência de Saúde de Araranguá, Bárbara Cristiano Monteiro, na região da AMESC a expectativa é que sejam vacinadas cerca de 57,4 mil pessoas do grupo prioritário.


Observe abaixo que faz parte deste grupo e a meta de pessoas vacinadas em cada um deles:


crianças de 6 meses a menores de 5 anos = 11.249
Profissionais de Saúde = 2.791
Gestantes = 1.977
Puérperas (mulheres que deram à luz recentemente) = 326
Idosos = 21.374
Portadores de doenças crônicas = 16.349
Professores = 2992


A vacina aplicada neste ano é trivalente, ou seja, protege contra três tipos de vírus: H3N2, vírus que teve muitos casos no último inverno na América do Norte, e os mais comuns no país: influenza B e H1N1, que trazem maiores ricos a pessoas mais suscetíveis como idosos e crianças.


Os efeitos colaterais da vacina são raros, pois contém o vírus morto e são geralmente bem toleradas. As queixas mais comuns são de dores no local da aplicação. Entre os efeitos adversos e raramente encontrados até agora estão: dores de cabeça, febre, náuseas, tosse, irritação no olhos e dor muscular.

Já está em andamento em todo o país, desde a última segunda-feira, 24, a campanha de vacinação contra a gripe. O procedimento que leva apenas alguns minutos pode salvar vidas, principalmente daqueles que fazem parte do grupo de risco e tem maior dificuldade para a recuperação.

A Campanha de Vacinação vai até o dia 1º de junho, tendo o dia D (mobilização Nacional) no dia 12 de maio. A única contraindicação é para que tem alergia severa a ovos, os demais devem se dirigir as unidades de saúde mais próxima para obter imunização, pois a vacina leva cerca de 15 dias para garantir a proteção contra o vírus da gripe.

Segundo a Técnica de Imunizações da Gerência de Saúde de Araranguá, Bárbara Cristiano Monteiro, na região da AMESC a expectativa é que sejam vacinadas cerca de 57,4 mil pessoas do grupo prioritário.

Observe abaixo que faz parte deste grupo e a meta de pessoas vacinadas em cada um deles:

crianças de 6 meses a menores de 5 anos = 11.249
Profissionais de Saúde = 2.791
Gestantes = 1.977
Puérperas (mulheres que deram à luz recentemente) = 326
Idosos = 21.374
Portadores de doenças crônicas = 16.349
Professores = 2992

A vacina aplicada neste ano é trivalente, ou seja, protege contra três tipos de vírus: H3N2, vírus que teve muitos casos no último inverno na América do Norte, e os mais comuns no país: influenza B e H1N1, que trazem maiores ricos a pessoas mais suscetíveis como idosos e crianças.

Os efeitos colaterais da vacina são raros, pois contém o vírus morto e são geralmente bem toleradas. As queixas mais comuns são de dores no local da aplicação. Entre os efeitos adversos e raramente encontrados até agora estão: dores de cabeça, febre, náuseas, tosse, irritação no olhos e dor muscular.

Compartilhe

Voltar às notícias