Homem que estuprou crianças e adolescente no Sul do Estado é condenado a mais de 40 anos de prisão

Meninos entre 10 e 17 anos eram aliciados e sofriam abusos sexuais mediante ameaças do criminoso

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) obteve a condenação de um homem que estuprou três meninos - duas crianças e um adolescente - à pena de 40 anos e um mês de prisão, em regime inicial fechado. Os crimes ocorreram na Comarca de Criciúma entre 2015 e 2019.

A ação da 13ª Promotoria de Justiça da Comarca de Criciúma relata que o réu aliciava os meninos e os convidava a um sítio, onde abusava sexualmente deles. Dois eram crianças e foram abusados a partir de 10 e 11 anos. O terceiro era adolescente e foi violentado dos 14 aos 17 anos.

A ação, ajuizada pelo Promotor de Justiça Diógenes Viana Alves e aditada pela Promotora de Justiça Andréia Tonin, relata que, para garantir o silêncio das vítimas, o réu dizia que iria matar a família dos meninos. O adolescente era ameaçado, ainda, de ser entregue à polícia por consumir drogas, oferecidas pelo próprio criminoso. Além dos estupros, o réu também foi denunciado pela posse de material pornográfico envolvendo pedofilia.

A decisão é passível de recurso, porém, preso preventivamente desde janeiro de 2020, o criminoso não terá o direito de recorrer em liberdade.

Fonte: MPSC

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) obteve a condenação de um homem que estuprou três meninos – duas crianças e um adolescente – à pena de 40 anos e um mês de prisão, em regime inicial fechado. Os crimes ocorreram na Comarca de Criciúma entre 2015 e 2019.

A ação da 13ª Promotoria de Justiça da Comarca de Criciúma relata que o réu aliciava os meninos e os convidava a um sítio, onde abusava sexualmente deles. Dois eram crianças e foram abusados a partir de 10 e 11 anos. O terceiro era adolescente e foi violentado dos 14 aos 17 anos.

A ação, ajuizada pelo Promotor de Justiça Diógenes Viana Alves e aditada pela Promotora de Justiça Andréia Tonin, relata que, para garantir o silêncio das vítimas, o réu dizia que iria matar a família dos meninos. O adolescente era ameaçado, ainda, de ser entregue à polícia por consumir drogas, oferecidas pelo próprio criminoso. Além dos estupros, o réu também foi denunciado pela posse de material pornográfico envolvendo pedofilia.

A decisão é passível de recurso, porém, preso preventivamente desde janeiro de 2020, o criminoso não terá o direito de recorrer em liberdade.

Fonte: MPSC

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias