HOHOHO O ANO TODO

Coluna Rosane, 16/12/2019

Simone cantando, Roberto Carlos já aparecendo fazendo as chamadas de seu especial de final de ano... só faltou a Xuxa, mas está em outra emissora, claro, sabe-se lá se terá algum especial...


As rabanadas abusadas se exibindo nas vitrines da padaria do mercado próximo e fazendo com que as calorias se acumulem antes do evento natalino. Os panetones presentes em nossas mesas desde antes do esperado... e eu que não gostava deles!!!!!!!!!!!!


As férias chegando e muitos movimentos em prol dos mais carentes: idosos, crianças, pessoas em vulnerabilidade social. Certa vez ouvi: ah, mas eles não comem só no Natal. Temos que ter em mente o seguinte: o apelo que a mídia faz em torno dessa data, faz com que desejemos ter algo diferente, algo que signifique realmente festa! Todo mundo deseja isso. Portanto, temos que nos empenhar em ajudar de alguma forma.


Imaginem uma criança passando o Natal sem um presente? E não precisa ser nada caro, mas algo que seja para ela, algo que a faça continuar acreditando que coisas boas podem vir a acontecer.


Participei de um evento da Casa da Infância e me emocionei demais com a reação das crianças ao entregarmos os brinquedos. A felicidade com uma boneca, os carrinhos que faziam os olhinhos dos meninos brilharem. Não sei dizer o que eu senti. Eu fiquei feliz, comovida, triste...


Sei que existem pessoas que não têm praticamente nada, contudo ver ao vivo as suas necessidades... é muito marcante. Estar presente num momento assim, perceber que ainda há uma magia em torno dos festejos natalinos, que por mais humildes que sejam e saibam das suas privações, os pais e responsáveis não tiram essa doce ilusão dos pequenos.


Eu digo que gosto mais de bicho do que gente, todavia há um tipo de gente que eu gosto ainda: gosto das pessoas que continuam sonhando, que lutam para que os que amam tenham uma vida descente, uma vida confortável na medida do possível.


Não digo que seja o espírito natalino que tenha me tocado, porque o que me toca realmente é saber que podemos fazer qualquer coisa, mesmo que pareça pouco. Podemos ajudar de alguma forma.


Num dia quente sair com uma garrafinha de água e um potinho de plástico e matar a sede de algum cachorrinho em situação de rua. Doar pra locais que são reconhecidos por arrecadarem, não apenas dinheiro, mas leite, roupas... um pouquinho de cada um de nós faz tanta diferença!


Podemos sim fazer com que este 'hohoho' seja também entoado e sentido por nós o ano inteiro. Desta forma, tenho certeza que teremos um 2020 bem melhor e que conseguiremos fazer a diferença na vida de alguém.


E mais uma coisa: quando nos doamos, ajudamos, acarinhamos um bichinho na rua, a serotonina é produzida e temos um dos 4 hormônios da felicidade correndo por nosso corpo! A sensação de bem-estar se faz presente. Não estamos apenas ajudando alguém (criança, idoso, adulto, bichinho...) estamos ajudando a nós mesmos.


Quer receber notícias pelo Whatsapp? Clique aqui

Simone cantando, Roberto Carlos já aparecendo fazendo as chamadas de seu especial de final de ano… só faltou a Xuxa, mas está em outra emissora, claro, sabe-se lá se terá algum especial…

As rabanadas abusadas se exibindo nas vitrines da padaria do mercado próximo e fazendo com que as calorias se acumulem antes do evento natalino. Os panetones presentes em nossas mesas desde antes do esperado… e eu que não gostava deles!!!!!!!!!!!!

As férias chegando e muitos movimentos em prol dos mais carentes: idosos, crianças, pessoas em vulnerabilidade social. Certa vez ouvi: ah, mas eles não comem só no Natal. Temos que ter em mente o seguinte: o apelo que a mídia faz em torno dessa data, faz com que desejemos ter algo diferente, algo que signifique realmente festa! Todo mundo deseja isso. Portanto, temos que nos empenhar em ajudar de alguma forma.

Imaginem uma criança passando o Natal sem um presente? E não precisa ser nada caro, mas algo que seja para ela, algo que a faça continuar acreditando que coisas boas podem vir a acontecer.

Participei de um evento da Casa da Infância e me emocionei demais com a reação das crianças ao entregarmos os brinquedos. A felicidade com uma boneca, os carrinhos que faziam os olhinhos dos meninos brilharem. Não sei dizer o que eu senti. Eu fiquei feliz, comovida, triste…

Sei que existem pessoas que não têm praticamente nada, contudo ver ao vivo as suas necessidades… é muito marcante. Estar presente num momento assim, perceber que ainda há uma magia em torno dos festejos natalinos, que por mais humildes que sejam e saibam das suas privações, os pais e responsáveis não tiram essa doce ilusão dos pequenos.

Eu digo que gosto mais de bicho do que gente, todavia há um tipo de gente que eu gosto ainda: gosto das pessoas que continuam sonhando, que lutam para que os que amam tenham uma vida descente, uma vida confortável na medida do possível.

Não digo que seja o espírito natalino que tenha me tocado, porque o que me toca realmente é saber que podemos fazer qualquer coisa, mesmo que pareça pouco. Podemos ajudar de alguma forma.

Num dia quente sair com uma garrafinha de água e um potinho de plástico e matar a sede de algum cachorrinho em situação de rua. Doar pra locais que são reconhecidos por arrecadarem, não apenas dinheiro, mas leite, roupas… um pouquinho de cada um de nós faz tanta diferença!

Podemos sim fazer com que este ‘hohoho’ seja também entoado e sentido por nós o ano inteiro. Desta forma, tenho certeza que teremos um 2020 bem melhor e que conseguiremos fazer a diferença na vida de alguém.

E mais uma coisa: quando nos doamos, ajudamos, acarinhamos um bichinho na rua, a serotonina é produzida e temos um dos 4 hormônios da felicidade correndo por nosso corpo! A sensação de bem-estar se faz presente. Não estamos apenas ajudando alguém (criança, idoso, adulto, bichinho…) estamos ajudando a nós mesmos.

Quer receber notícias pelo Whatsapp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar ao blog