Governo propõe novo auxílio emergencial de R$ 150 a R$ 375 por quatro meses

Consultas poderão ser feitas no site Consulta Auxílio

Foto: Marcello Casal / Agência Brasil

Foi publicada no Diário Oficial da União medida provisória (MP 1.039/2021) para abre caminho para uma nova rodada do auxílio emergencial, a ser pago a partir de abril em quatro parcelas que variam de R$ 150 a R$ 375. O pagamento será feito aos inscritos do CadÚnico e do Bolsa Família. O senador Rogério Carvalho (PT-SE) antecipou mudanças à MP para aumentar o valor e o número de beneficiários. Já o senador Zequinha Marinho (PSC-PA) citou que o governo identificou fraudes, o que justifica uma quantidade menor de quem vai receber.

Informais poderão consultar auxílio emergencial a partir de abril


Os trabalhadores informais poderão consultar, a partir de 1º de abril, se receberão a nova rodada do auxílio emergencial, informou nesta sexta-feira, 19, a Dataprev, empresa estatal responsável por processar os pedidos.

As consultas poderão ser feitas no site Consulta Auxílio. Bastará o beneficiário digitar nome completo, Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), nome da mãe e data de nascimento.

Na recriação do benefício, o governo não reabriu os pedidos de auxílio emergencial. Foi aproveitada a base de dados do ano passado e a atualização do cadastro no aplicativo Caixa Tem, que começou a ser feita no último domingo, 14, e segue até o dia 31. A Dataprev apenas informará se o trabalhador informal que recebeu o auxílio em 2020 se enquadra nos novos critérios para continuar a ganhar o benefício neste ano.

Os participantes do Bolsa Família e os inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) não precisarão fazer a consulta. Eles receberão a nova rodada do auxílio emergencial automaticamente, desde que se encaixem nas exigências definidos pelo governo. Para o Bolsa Família, será pago o benefício de maior valor: o do programa social ou o auxílio emergencial.

Neste ano, as regras para o auxílio emergencial ficaram mais rígidas. O auxílio será pago em quatro parcelas a famílias com renda per capita (por pessoa) de até meio salário mínimo (R$ 550) e renda mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.300). Os benefícios terão três valores: R$ 150 para pessoa que mora sozinha, R$ 250 para famílias geridas por homens ou casais e R$ 375 para famílias geridas por mães solteiras.

Fonte: Agência Senado / Agência Brasil

 Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Foi publicada no Diário Oficial da União medida provisória (MP 1.039/2021) para abre caminho para uma nova rodada do auxílio emergencial, a ser pago a partir de abril em quatro parcelas que variam de R$ 150 a R$ 375. O pagamento será feito aos inscritos do CadÚnico e do Bolsa Família. O senador Rogério Carvalho (PT-SE) antecipou mudanças à MP para aumentar o valor e o número de beneficiários. Já o senador Zequinha Marinho (PSC-PA) citou que o governo identificou fraudes, o que justifica uma quantidade menor de quem vai receber.

Informais poderão consultar auxílio emergencial a partir de abril

Os trabalhadores informais poderão consultar, a partir de 1º de abril, se receberão a nova rodada do auxílio emergencial, informou nesta sexta-feira, 19, a Dataprev, empresa estatal responsável por processar os pedidos.

As consultas poderão ser feitas no site Consulta Auxílio. Bastará o beneficiário digitar nome completo, Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), nome da mãe e data de nascimento.

Na recriação do benefício, o governo não reabriu os pedidos de auxílio emergencial. Foi aproveitada a base de dados do ano passado e a atualização do cadastro no aplicativo Caixa Tem, que começou a ser feita no último domingo, 14, e segue até o dia 31. A Dataprev apenas informará se o trabalhador informal que recebeu o auxílio em 2020 se enquadra nos novos critérios para continuar a ganhar o benefício neste ano.

Os participantes do Bolsa Família e os inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) não precisarão fazer a consulta. Eles receberão a nova rodada do auxílio emergencial automaticamente, desde que se encaixem nas exigências definidos pelo governo. Para o Bolsa Família, será pago o benefício de maior valor: o do programa social ou o auxílio emergencial.

Neste ano, as regras para o auxílio emergencial ficaram mais rígidas. O auxílio será pago em quatro parcelas a famílias com renda per capita (por pessoa) de até meio salário mínimo (R$ 550) e renda mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.300). Os benefícios terão três valores: R$ 150 para pessoa que mora sozinha, R$ 250 para famílias geridas por homens ou casais e R$ 375 para famílias geridas por mães solteiras.

Fonte: Agência Senado / Agência Brasil

 Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias