Federação repensa papel dos municípios

Em artigo o diretor da executivo da FECAM, Rui Braun fala das novas tarefas nas cidades. Confira:

Uma das tarefas inerentes a uma entidade de representação como a FECAM é promover o debate sobre o “ethos de vida e coletividade da urbe”, ou seja, pensar e repensar o papel dos municípios na construção de espaços de vida saudáveis, inteligentes, integradores e sensíveis para as pessoas.


A Federação Catarinense de Municípios (FECAM) está em fase de reposicionamento do seu papel estratégico como instituição de interesse público, responsável pelo alinhamento dos municípios catarinenses frente aos desafios. Passa a considerar fortemente os influxos de perspectiva tecnológica, as dinâmicas de inovação e, no plano corporativo, a gestão eficiente dos espaços municipais.


A atual fase do municipalismo é de “avaliar posições, pensar mais além e fora da caixa”. Com isso, estabelecemos nossa própria tríplice hélice operacional de atuação e alinhamento: empoderar prefeitos no seu papel estratégico, aprofundar as técnicas e metodologias de gestão eficiente e transformar cidades, reconhecendo e investindo em automação e em inteligência artificial.


Federação repensa papel dos municípios-0

Em nossa tarefa de ajuste estratégico, constatamos que os municípios já estão fortemente inseridos na dinâmica da inovação: cerca de 100 boas práticas colhidas dentre a rede municipalista demonstram que os municípios exercem forte ação criativa e colaborativa que muda formas de administrar. São soluções locais, caseiras e que enfrentam os problemas da gestão e administração da vida das cidades. E melhor, há um grande interesse dos municípios em entender e incorporar técnicas e soluções eficientes no dia a dia da administração.


Em síntese, os administradores das cidades, como parte de uma sociedade que se move para um mundo cada vez mais tecnificado e digitalizado, bebem do mesmo cálice da sociedade: o gosto e sede da vontade social de evoluir em direção a um clima favorável, em que pensar inteligência e eficiência faz parte da estratégia integradora que nos levará a refundar a forma de administrar e cuidar da base da vida das pessoas, mudando profundamente o jeito de viver em cidades.


O municipalismo catarinense assume seu papel: “Cidades para pessoas, soluções para municípios”. Com este norte, a Fecam promove o maior evento municipalista de SC, o Congresso de Prefeitos, de 11 a 14 de junho. Estimamos dividir o pensamento com mais 1.500 gestores municipais, no CentroSul em Florianópolis, além de aguardar a sociedade para conhecer propostas e ideias. Um evento aberto, gratuito e cheio de soluções tecnológicas – esse é o futuro.

Uma das tarefas inerentes a uma entidade de representação como a FECAM é promover o debate sobre o “ethos de vida e coletividade da urbe”, ou seja, pensar e repensar o papel dos municípios na construção de espaços de vida saudáveis, inteligentes, integradores e sensíveis para as pessoas.

A Federação Catarinense de Municípios (FECAM) está em fase de reposicionamento do seu papel estratégico como instituição de interesse público, responsável pelo alinhamento dos municípios catarinenses frente aos desafios. Passa a considerar fortemente os influxos de perspectiva tecnológica, as dinâmicas de inovação e, no plano corporativo, a gestão eficiente dos espaços municipais.

A atual fase do municipalismo é de “avaliar posições, pensar mais além e fora da caixa”. Com isso, estabelecemos nossa própria tríplice hélice operacional de atuação e alinhamento: empoderar prefeitos no seu papel estratégico, aprofundar as técnicas e metodologias de gestão eficiente e transformar cidades, reconhecendo e investindo em automação e em inteligência artificial.

Federação repensa papel dos municípios-0

Em nossa tarefa de ajuste estratégico, constatamos que os municípios já estão fortemente inseridos na dinâmica da inovação: cerca de 100 boas práticas colhidas dentre a rede municipalista demonstram que os municípios exercem forte ação criativa e colaborativa que muda formas de administrar. São soluções locais, caseiras e que enfrentam os problemas da gestão e administração da vida das cidades. E melhor, há um grande interesse dos municípios em entender e incorporar técnicas e soluções eficientes no dia a dia da administração.

Em síntese, os administradores das cidades, como parte de uma sociedade que se move para um mundo cada vez mais tecnificado e digitalizado, bebem do mesmo cálice da sociedade: o gosto e sede da vontade social de evoluir em direção a um clima favorável, em que pensar inteligência e eficiência faz parte da estratégia integradora que nos levará a refundar a forma de administrar e cuidar da base da vida das pessoas, mudando profundamente o jeito de viver em cidades.

O municipalismo catarinense assume seu papel: “Cidades para pessoas, soluções para municípios”. Com este norte, a Fecam promove o maior evento municipalista de SC, o Congresso de Prefeitos, de 11 a 14 de junho. Estimamos dividir o pensamento com mais 1.500 gestores municipais, no CentroSul em Florianópolis, além de aguardar a sociedade para conhecer propostas e ideias. Um evento aberto, gratuito e cheio de soluções tecnológicas – esse é o futuro.

Compartilhe

Voltar às notícias