Farmacêutica afirma desenvolver vacina com 95% de eficácia contra à COVID-19

Farmacêutica Pfizer é norte-americana e tem realizado testes no Brasil

A farmacêutica norte-americana Pfizer e o laboratório alemão BioNTech anunciaram nesta quarta-feira, 18, a conclusão dos testes da fase 3 de uma das potenciais vacina contra Covid-19, a BNT162b2, testada no Brasil.

Os dados ainda não foram publicados em qualquer revista científica, mas a farmacêutica divulgou que os resultados são positivos e mostraram uma eficácia alcançada de 95% na prevenção à doença. A desenvolvedora da vacina também afirmou que até o momento a imunização não causou nenhum efeito colateral grave nos voluntários.

Eficácia em idosos

Os idosos pertencem ao grupo de risco em relação à COVID-19 e causam grande preocupação nos especialistas. De acordo com o comunicado da Pfizer, os estudos da vacina analisaram 170 casos confirmados do novo coronavírus. Os testes realizados em pessoas de 65 anos ou mais, mostraram uma eficácia superior a 94%.

A farmacêutica destacou que todos os dados de segurança exigidos pela agência americana de saúde, a Food and Drug Administration (FDA), para a Autorização de Uso de Emergencial foram alcançados. Com isso, a Pfizer informou que pretende entrar com o pedido de uso emergencial da sua vacina "em poucos dias", sem dar uma data específica.

A empresa também informou ainda que pretende produzir globalmente até 50 milhões de doses de vacina em 2020 e 1,3 bilhão de doses até o final de 2021.

Principais pontos do anúncio

  • A Pfizer analisou os dados depois de 170 participantes terem Covid-19

  • Dessas 170 pessoas, 8 tomaram a vacina experimental e 162 receberam o placebo (uma substância inativa)

  • Os testes envolveram 43.661 voluntários distribuídos entre Estados Unidos, Brasil, Argentina, Alemanha, Turquia e África do Sul

  • A eficácia observada em adultos entre 65 e 85 anos foi superior a 94%

  • A eficácia começa após 28 dias da aplicação da primeira dose da vacina

  • Entre os efeitos colaterais, 3,8% apresentaram fadiga e 2% tiveram dor de cabeça

  • Os dados que a farmacêutica anunciou ainda não foram publicados em revista científica

  • A vacina da Pfizer é aplicada em duas doses


Governo recebeu executivos da Pfizer

A vacina da Pfizer e da BioNTech é a primeira a ter anúncio de conclusão dos testes na fase 3 - a última etapa de desenvolvimento de uma vacina.

No Brasil, o Ministério da Saúde informou na terça-feira, 17, que recebeu executivos da Pfizer, mas não foram anunciadas ainda compras do imunizante pelo governo brasileiro.

A farmacêutica norte-americana Pfizer e o laboratório alemão BioNTech anunciaram nesta quarta-feira, 18, a conclusão dos testes da fase 3 de uma das potenciais vacina contra Covid-19, a BNT162b2, testada no Brasil.

Os dados ainda não foram publicados em qualquer revista científica, mas a farmacêutica divulgou que os resultados são positivos e mostraram uma eficácia alcançada de 95% na prevenção à doença. A desenvolvedora da vacina também afirmou que até o momento a imunização não causou nenhum efeito colateral grave nos voluntários.

Eficácia em idosos

Os idosos pertencem ao grupo de risco em relação à COVID-19 e causam grande preocupação nos especialistas. De acordo com o comunicado da Pfizer, os estudos da vacina analisaram 170 casos confirmados do novo coronavírus. Os testes realizados em pessoas de 65 anos ou mais, mostraram uma eficácia superior a 94%.

A farmacêutica destacou que todos os dados de segurança exigidos pela agência americana de saúde, a Food and Drug Administration (FDA), para a Autorização de Uso de Emergencial foram alcançados. Com isso, a Pfizer informou que pretende entrar com o pedido de uso emergencial da sua vacina “em poucos dias”, sem dar uma data específica.

A empresa também informou ainda que pretende produzir globalmente até 50 milhões de doses de vacina em 2020 e 1,3 bilhão de doses até o final de 2021.

Principais pontos do anúncio

  • A Pfizer analisou os dados depois de 170 participantes terem Covid-19
  • Dessas 170 pessoas, 8 tomaram a vacina experimental e 162 receberam o placebo (uma substância inativa)
  • Os testes envolveram 43.661 voluntários distribuídos entre Estados Unidos, Brasil, Argentina, Alemanha, Turquia e África do Sul
  • A eficácia observada em adultos entre 65 e 85 anos foi superior a 94%
  • A eficácia começa após 28 dias da aplicação da primeira dose da vacina
  • Entre os efeitos colaterais, 3,8% apresentaram fadiga e 2% tiveram dor de cabeça
  • Os dados que a farmacêutica anunciou ainda não foram publicados em revista científica
  • A vacina da Pfizer é aplicada em duas doses

Governo recebeu executivos da Pfizer

A vacina da Pfizer e da BioNTech é a primeira a ter anúncio de conclusão dos testes na fase 3 – a última etapa de desenvolvimento de uma vacina.

No Brasil, o Ministério da Saúde informou na terça-feira, 17, que recebeu executivos da Pfizer, mas não foram anunciadas ainda compras do imunizante pelo governo brasileiro.

Compartilhe

Voltar às notícias