Família que sobrevive com R$ 260 pede ajuda

Desempregados, casal pede por emprego

Greice Cardoso, 36 anos, Marcio Darolt, 40, a última refeição do casal foi ontem à noite. Ambos desempregados, sustentam três filhos, uma menina de 11 meses, outra de 4 anos e um adolescente de 14, com R$ 260 garantidos pelo programa Bolsa Família.

De Porto Alegre, há 12 anos o casal escolheu Araranguá para morar, por acreditar ser uma cidade mais segura, fácil de se locomover e com o custo de vida muito mais barato se comparado a capital gaúcha. Marcos é servente de obras, ganha em média R$ 60 por dia quando tem trabalho. Já Greice tem experiência como faxineira, última proposta de emprego foi como babá, mas teve que ser negada, pois não tinha com quem deixar as crianças e nem vaga na creche.

Greice, o marido e os três filhos moram de aluguel. Atrasado há três meses, a dívida já soma R$ 1,2 mil. A situação fica ainda mais complicada se somar a conta de energia, que segundo Greice “não foi cortada ainda porque Deus nos protege”. Além da comida, o casal se preocupa com a alimentação especial para caçula. A menina consome uma lata de fórmula no valor de R$ 30 em quatro dias, o que chega a custar R$ 225 mensalmente.

Para a janta, Greice disse que tem o que comer graças ao vizinho que doou um frango. Já para o almoço de amanhã, a família não sabe o que terá na mesa.

Para quem quiser ajudar a família de Greice, o contato é: (51) 9 8409-8426.
`Sobras do almoço desta segunda-feira, 20
Caption

Fórmula consumida pela menina de 11 meses

 

Quer receber notícias pelo Whatsapp? Clique aqui

Greice Cardoso, 36 anos, Marcio Darolt, 40, a última refeição do casal foi ontem à noite. Ambos desempregados, sustentam três filhos, uma menina de 11 meses, outra de 4 anos e um adolescente de 14, com R$ 260 garantidos pelo programa Bolsa Família.

De Porto Alegre, há 12 anos o casal escolheu Araranguá para morar, por acreditar ser uma cidade mais segura, fácil de se locomover e com o custo de vida muito mais barato se comparado a capital gaúcha. Marcos é servente de obras, ganha em média R$ 60 por dia quando tem trabalho. Já Greice tem experiência como faxineira, última proposta de emprego foi como babá, mas teve que ser negada, pois não tinha com quem deixar as crianças e nem vaga na creche.

Greice, o marido e os três filhos moram de aluguel. Atrasado há três meses, a dívida já soma R$ 1,2 mil. A situação fica ainda mais complicada se somar a conta de energia, que segundo Greice “não foi cortada ainda porque Deus nos protege”. Além da comida, o casal se preocupa com a alimentação especial para caçula. A menina consome uma lata de fórmula no valor de R$ 30 em quatro dias, o que chega a custar R$ 225 mensalmente.

Para a janta, Greice disse que tem o que comer graças ao vizinho que doou um frango. Já para o almoço de amanhã, a família não sabe o que terá na mesa.

Para quem quiser ajudar a família de Greice, o contato é: (51) 9 8409-8426.

`Sobras do almoço desta segunda-feira, 20
Caption
Fórmula consumida pela menina de 11 meses

 

Quer receber notícias pelo Whatsapp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias