Ex–deputado Boeira sugere tecnologia para respiradores artificiais

O ex-deputado federal, Jorge Boeira, que é engenheiro mecânico por formação utilizou as redes sociais neste final de semana para explicar o mecanismo de um respirador artificial. Esta foi uma forma encontrada por ele, que também é empresário do setor de bombas e motores hidráulicos, para colaborar com informações sobre o uso do equipamento no tratamento de pacientes com problemas respiratórios graves, e os infectados pelo Coronavírus.

O vídeo de um pouco mais de cinco minutos mostra o funcionamento detalhado de um respirador de fácil produção. “Esta é uma das melhores ideias que encontramos, já que tão logo que iniciou a crise, começamos a estudar com profundidade sobre os respiradores e vários deles precisam de projeto de fabricação, e estas peças não. Elas podem ser encontradas em qualquer loja de equipamentos pneumáticos e qualquer loja de automação”, conta.

O principal componente do circuito são duas válvulas que funcionam com o fluxo do ar com reguladores de pressão, que contam com um controlador eletrônico. “Aqueles que quiserem construir este circuito, deverão tomar o cuidado, de colocar na entrada filtros para a entrada de ar. Estas tubulações têm que ser atóxicas, e também com os componentes de vedação atóxicas”, explicou.

https://youtu.be/KMog4p1n3Zc

 

Falta de respiradores e EPI’s para atender a Saúde

Uma das principais queixas dos governos é a aquisição de equipamentos para atender a Saúde. Entre estes equipamentos está a produção necessária de respiradores artificiais para usar nos hospitais e postos de atendimento nos pacientes graves do Covid-19.

Ainda que o pico da doença está prevista no país para o final de abril, a preocupação com a falta deste produto para atender toda a demanda de infectados começou muito antes. Em recente pronunciamento, o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, afirma que existem tratativas para que estes insumos sejam produzidos internamente, mas ainda não existem informações conclusivas a respeito.

A reportagem entrou em contato com o ex-deputado, que disse que a sua empresa não produzirá o respirador que citou no vídeo, mas avaliou o custo aproximado de R$500 (quinhentos reais) por equipamento caso seja uma alternativa para produção em grande escala e que possa atender eventuais solicitações da rede de Saúde.

O ex-deputado federal, Jorge Boeira, que é engenheiro mecânico por formação utilizou as redes sociais neste final de semana para explicar o mecanismo de um respirador artificial. Esta foi uma forma encontrada por ele, que também é empresário do setor de bombas e motores hidráulicos, para colaborar com informações sobre o uso do equipamento no tratamento de pacientes com problemas respiratórios graves, e os infectados pelo Coronavírus.

O vídeo de um pouco mais de cinco minutos mostra o funcionamento detalhado de um respirador de fácil produção. “Esta é uma das melhores ideias que encontramos, já que tão logo que iniciou a crise, começamos a estudar com profundidade sobre os respiradores e vários deles precisam de projeto de fabricação, e estas peças não. Elas podem ser encontradas em qualquer loja de equipamentos pneumáticos e qualquer loja de automação”, conta.

O principal componente do circuito são duas válvulas que funcionam com o fluxo do ar com reguladores de pressão, que contam com um controlador eletrônico. “Aqueles que quiserem construir este circuito, deverão tomar o cuidado, de colocar na entrada filtros para a entrada de ar. Estas tubulações têm que ser atóxicas, e também com os componentes de vedação atóxicas”, explicou.

 

Falta de respiradores e EPI’s para atender a Saúde

Uma das principais queixas dos governos é a aquisição de equipamentos para atender a Saúde. Entre estes equipamentos está a produção necessária de respiradores artificiais para usar nos hospitais e postos de atendimento nos pacientes graves do Covid-19.

Ainda que o pico da doença está prevista no país para o final de abril, a preocupação com a falta deste produto para atender toda a demanda de infectados começou muito antes. Em recente pronunciamento, o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, afirma que existem tratativas para que estes insumos sejam produzidos internamente, mas ainda não existem informações conclusivas a respeito.

A reportagem entrou em contato com o ex-deputado, que disse que a sua empresa não produzirá o respirador que citou no vídeo, mas avaliou o custo aproximado de R$500 (quinhentos reais) por equipamento caso seja uma alternativa para produção em grande escala e que possa atender eventuais solicitações da rede de Saúde.

Compartilhe

Voltar às notícias