“Eu aprendo rápido” diz mãe desempregada que sustenta família com R$ 300

Gisele procura por uma oportunidade de emprego em meio a pandemia

Gisele dos Reis Silveira, 29 anos, mãe solteira de dois filhos, uma menina de 9 e um menino de 12. Desempregada, mora de favor com a mãe na conhecida “Favela do Ucca” - uma das áreas mais carentes de Araranguá.

Com uma renda de apenas R$300 conquistada entre faxinas e o auxílio Bolsa Família, ela sustenta seus filhos e se vira como pode em condições preocupantes numa casa com estrutura subumana. Com o pai das crianças preso e sem pagar pensão alimentícia, a mulher procura por emprego para tentar mudar esta situação. “Sou mandada embora quase todos os dias daqui e não aguento mais ser humilhada. Tenho que pedir para meu filho dormir na casa de amigos porque aqui não tem espaço. Também estamos sem comida e leite”.

Gisele pede por uma oportunidade de emprego. Além de faxinas, ela já trabalhou com reciclagem e já foi atendente em um café. “Eu sou muito boa em aprender as coisas. Se eu não sei, eu aprendo rápido”.

O número para ajudar a família é (48) 99942-7846. O endereço pode ser pedido através do WhatsApp.







 

Gisele dos Reis Silveira, 29 anos, mãe solteira de dois filhos, uma menina de 9 e um menino de 12. Desempregada, mora de favor com a mãe na conhecida “Favela do Ucca” – uma das áreas mais carentes de Araranguá.

Com uma renda de apenas R$300 conquistada entre faxinas e o auxílio Bolsa Família, ela sustenta seus filhos e se vira como pode em condições preocupantes numa casa com estrutura subumana. Com o pai das crianças preso e sem pagar pensão alimentícia, a mulher procura por emprego para tentar mudar esta situação. “Sou mandada embora quase todos os dias daqui e não aguento mais ser humilhada. Tenho que pedir para meu filho dormir na casa de amigos porque aqui não tem espaço. Também estamos sem comida e leite”.

Gisele pede por uma oportunidade de emprego. Além de faxinas, ela já trabalhou com reciclagem e já foi atendente em um café. “Eu sou muito boa em aprender as coisas. Se eu não sei, eu aprendo rápido”.

O número para ajudar a família é (48) 99942-7846. O endereço pode ser pedido através do WhatsApp.

 

Compartilhe

Voltar às notícias