Deputada defende retomada da vacinação de gestantes contra a Covid-19

Geovania de Sá (PSDB) protocolou requerimento ao Ministro da Saúde para inclusão no grupo prioritário

Nem uma semana depois de sugerir ao Ministro da Saúde que inclua as lactantes no plano nacional de vacinação, a deputada federal Geovania de Sá (PSDB) protocola novo requerimento de indicação a Marcelo Queiroga.

Desta vez, a deputada solicita o retorno da vacinação das gestantes brasileiras. Ela lembra que estas mulheres já estavam incluídas no grupo prioritário, mas devido à ocorrência de um evento adverso grave, com possível associação com a vacina AstraZeneca/Fiocruz, em uma gestante, optou-se pela interrupção temporária na vacinação das gestantes e puérperas com ou sem comorbidades.

Para a deputada, esta decisão, embora bem- intencionada, deve ser repensada. “Porque a ciência aponta que gestantes e puérperas estão em risco aumentado de formas graves da Covid-19, bem como complicações obstétricas, tais como parto prematuro e mortalidade materna”, alerta.

“Evidente que, para decidirem sobre aceitar a vacinação, as gestantes devem ser informadas de que a segurança e a eficácia das vacinas ainda não foram avaliadas nesse grupo”, esclarece a deputada, acrescentando que não há registros de malformações fetais.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Nem uma semana depois de sugerir ao Ministro da Saúde que inclua as lactantes no plano nacional de vacinação, a deputada federal Geovania de Sá (PSDB) protocola novo requerimento de indicação a Marcelo Queiroga.

Desta vez, a deputada solicita o retorno da vacinação das gestantes brasileiras. Ela lembra que estas mulheres já estavam incluídas no grupo prioritário, mas devido à ocorrência de um evento adverso grave, com possível associação com a vacina AstraZeneca/Fiocruz, em uma gestante, optou-se pela interrupção temporária na vacinação das gestantes e puérperas com ou sem comorbidades.

Para a deputada, esta decisão, embora bem- intencionada, deve ser repensada. “Porque a ciência aponta que gestantes e puérperas estão em risco aumentado de formas graves da Covid-19, bem como complicações obstétricas, tais como parto prematuro e mortalidade materna”, alerta.

“Evidente que, para decidirem sobre aceitar a vacinação, as gestantes devem ser informadas de que a segurança e a eficácia das vacinas ainda não foram avaliadas nesse grupo”, esclarece a deputada, acrescentando que não há registros de malformações fetais.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias