Decreto prorroga estado de calamidade pública em Santa Catarina até o final do ano

Extremo Sul se mantém em estado Grave (laranja) para Matriz de Avaliação de Risco Potencial para Covid-19

Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

Por Dyessica Abadi

O Governo do Estado de Santa Catarina decretou estado de calamidade pública até 31 de dezembro de 2020 em decorrência da pandemia de Covid-19. A decisão foi publicada na última quarta-feira, 14, no Diário Oficial do Estado (DOE) e já está em vigor. Também nesta quinta-feira, 15, a Matriz de Avaliação de Risco Potencial para Covid-19 foi atualizada e segue com 12 das 16 regiões em situação Grave (laranja), inclusive Extremo Sul Catarinense.

> Leia a avaliação de Risco Potencial da semana passada clicando aqui.

Conforme segue o estado de calamidade pública, seguem obrigatórias as medidas de combate à pandemia, como isolamento, quarentena, exames médicos e laboratoriais, entre outros. Também será mantida a estrutura de leitos de UTI. Segundo o governador Carlos Moisés, a medida continuará vigente por questão de segurança.

“O Estado agiu rapidamente em março e hoje está entre os que apresentaram melhores resultados no país. Mesmo assim, não podemos ainda nos dar por vencidos, por isso, manteremos os regramentos sanitários e a estrutura na rede hospitalar vigentes até o final deste ano para dar mais garantias de saúde aos catarinenses”, declara.

Extremo Sul se mantém em estado Grave (laranja)


Os dados da Matriz de Avaliação de Risco Potencial para Covid-19 foram atualizados nesta quinta-feira, 15, e indicam que 12 das 16 regiões de saúde ainda continuam estado Grave (laranja)para disseminação do vírus. O Extremo Sul Catarinense segue pela sétima semana consecutiva nesse estado.

Apenas 4 regiões estão em risco Alto (cor amarela): Médio Vale do Itajaí, Alto Vale do Itajaí, Xanxerê e Oeste. A matriz ainda colocou em alerta, pelo aumento do número de casos, as regiões da Grande Florianópolis, Planalto Norte, Serra Catarinense e Extremo Sul. Nas regiões Carbonífera, Laguna e Alto Vale do Rio do Peixe, os dados apontam que a pandemia continua em expansão.

Fonte: Assessoria de Comunicação Casa Civil

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

Por Dyessica Abadi

O Governo do Estado de Santa Catarina decretou estado de calamidade pública até 31 de dezembro de 2020 em decorrência da pandemia de Covid-19. A decisão foi publicada na última quarta-feira, 14, no Diário Oficial do Estado (DOE) e já está em vigor. Também nesta quinta-feira, 15, a Matriz de Avaliação de Risco Potencial para Covid-19 foi atualizada e segue com 12 das 16 regiões em situação Grave (laranja), inclusive Extremo Sul Catarinense.

> Leia a avaliação de Risco Potencial da semana passada clicando aqui.

Conforme segue o estado de calamidade pública, seguem obrigatórias as medidas de combate à pandemia, como isolamento, quarentena, exames médicos e laboratoriais, entre outros. Também será mantida a estrutura de leitos de UTI. Segundo o governador Carlos Moisés, a medida continuará vigente por questão de segurança.

“O Estado agiu rapidamente em março e hoje está entre os que apresentaram melhores resultados no país. Mesmo assim, não podemos ainda nos dar por vencidos, por isso, manteremos os regramentos sanitários e a estrutura na rede hospitalar vigentes até o final deste ano para dar mais garantias de saúde aos catarinenses”, declara.

Extremo Sul se mantém em estado Grave (laranja)

Os dados da Matriz de Avaliação de Risco Potencial para Covid-19 foram atualizados nesta quinta-feira, 15, e indicam que 12 das 16 regiões de saúde ainda continuam estado Grave (laranja)para disseminação do vírus. O Extremo Sul Catarinense segue pela sétima semana consecutiva nesse estado.

Apenas 4 regiões estão em risco Alto (cor amarela): Médio Vale do Itajaí, Alto Vale do Itajaí, Xanxerê e Oeste. A matriz ainda colocou em alerta, pelo aumento do número de casos, as regiões da Grande Florianópolis, Planalto Norte, Serra Catarinense e Extremo Sul. Nas regiões Carbonífera, Laguna e Alto Vale do Rio do Peixe, os dados apontam que a pandemia continua em expansão.

Fonte: Assessoria de Comunicação Casa Civil

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias