Decreto autoriza prova de roupas, calçados e bijuterias em lojas

A prova de roupas, calçados e bijuterias em lojas foi liberada nesta quarta-feira, 18, pela Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina. A autorização foi publicada no Diário Oficial do Governo do Estado.

A prova de roupa em todo o território catarinense havia sido suspensa em abril deste ano, mas em setembro ela foi autorizada apenas nas regiões classificadas como nível alto de risco.

Com o decreto divulgado nesta quarta, todas as regiões, mesmo as que estão em nível grave e gravíssimo, estão liberadas para realizar a prova dos itens. Mas para realizar as provas, os estabelecimentos terão de seguir as medidas sanitárias. Veja as regras:

 Para prova de roupas:

  • Colocar cartazes nos provadores orientando acerca da obrigatoriedade do uso da máscara durante toda a prova de roupas;

  • Disponibilizar álcool 70% ou preparações antissépticas/sanitizantes de efeito similar para a higienização das mãos dos clientes ao ingresso e na saída dos provadores;

  • Controlar o acesso aos provadores a fim de evitar aglomerações e assegurar o distanciamento mínimo entre as pessoas, de 1,5m (um metro e cinquenta centímetros), e respeitar o tempo necessário à limpeza e desinfecção;

  • Realizar a limpeza e a desinfecção dos provadores com álcool 70% ou outro desinfetante indicado para este fim após cada uso, dando foco especial às maçanetas e outras superfícies de contato frequente; caso dotado de cortina, realizar a limpeza e desinfecção da mesma para novo uso;

  • Permitir o uso de provadores alternados (provador sim, provador não) visando reduzir o número de pessoas nessa área;

  • Evitar a entrega de placas para o cliente com o número de itens que estão sendo provados; Se não for possível, as placas devem ser higienizadas a cada uso;

  • Não permitir a entrada de acompanhantes no provador;

  • Limitar o contato entre clientes e atendente durante a prova, por exemplo, suspendendo ajuda e ajustes;

  • Realizar a higienização das roupas após a prova ou a devolução pelo cliente, com a utilização de passadeira a vapor, ou assegurar o período mínimo de aeração de 48 a 72 horas.


 

Para prova de calçados:

  • Colocar cartazes no local de prova orientando acerca da obrigatoriedade do uso da máscara durante toda a prova de calçados pelo cliente e atendente;

  • Fornecer sapatilha descartável, tipo propé, aos clientes e/ou utilizar plástico filme no calçado sendo retirado após cada prova e/ou higienizado;

  • Os clientes devem higienizar as mãos com álcool gel 70%, antes e após cada prova.

  • Não é permitido o empréstimo de meias para a prova de calçados;

  • Limitar o contato entre clientes e atendente durante a prova, por exemplo, suspendendo ajuda e ajustes.


Para prova de acessórios e bijuterias:

  • Colocar cartazes no local de prova orientando acerca da obrigatoriedade do uso da máscara durante toda a prova de acessórios e bijuterias pelo cliente e atendente;

  • Higienizar os acessórios e as bijuterias, antes e após o contato com os clientes;

  • Os clientes devem higienizar as mãos com álcool gel 70%, antes e após cada prova;

  • Não é permitida a prova de acessórios e bijuterias que não são passíveis de higienização; V. Limitar o contato entre clientes e atendente durante a prova, por exemplo, suspendendo ajuda e ajustes.

A prova de roupas, calçados e bijuterias em lojas foi liberada nesta quarta-feira, 18, pela Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina. A autorização foi publicada no Diário Oficial do Governo do Estado.

A prova de roupa em todo o território catarinense havia sido suspensa em abril deste ano, mas em setembro ela foi autorizada apenas nas regiões classificadas como nível alto de risco.

Com o decreto divulgado nesta quarta, todas as regiões, mesmo as que estão em nível grave e gravíssimo, estão liberadas para realizar a prova dos itens. Mas para realizar as provas, os estabelecimentos terão de seguir as medidas sanitárias. Veja as regras:

 Para prova de roupas:

  • Colocar cartazes nos provadores orientando acerca da obrigatoriedade do uso da máscara durante toda a prova de roupas;
  • Disponibilizar álcool 70% ou preparações antissépticas/sanitizantes de efeito similar para a higienização das mãos dos clientes ao ingresso e na saída dos provadores;
  • Controlar o acesso aos provadores a fim de evitar aglomerações e assegurar o distanciamento mínimo entre as pessoas, de 1,5m (um metro e cinquenta centímetros), e respeitar o tempo necessário à limpeza e desinfecção;
  • Realizar a limpeza e a desinfecção dos provadores com álcool 70% ou outro desinfetante indicado para este fim após cada uso, dando foco especial às maçanetas e outras superfícies de contato frequente; caso dotado de cortina, realizar a limpeza e desinfecção da mesma para novo uso;
  • Permitir o uso de provadores alternados (provador sim, provador não) visando reduzir o número de pessoas nessa área;
  • Evitar a entrega de placas para o cliente com o número de itens que estão sendo provados; Se não for possível, as placas devem ser higienizadas a cada uso;
  • Não permitir a entrada de acompanhantes no provador;
  • Limitar o contato entre clientes e atendente durante a prova, por exemplo, suspendendo ajuda e ajustes;
  • Realizar a higienização das roupas após a prova ou a devolução pelo cliente, com a utilização de passadeira a vapor, ou assegurar o período mínimo de aeração de 48 a 72 horas.

 

Para prova de calçados:

  • Colocar cartazes no local de prova orientando acerca da obrigatoriedade do uso da máscara durante toda a prova de calçados pelo cliente e atendente;
  • Fornecer sapatilha descartável, tipo propé, aos clientes e/ou utilizar plástico filme no calçado sendo retirado após cada prova e/ou higienizado;
  • Os clientes devem higienizar as mãos com álcool gel 70%, antes e após cada prova.
  • Não é permitido o empréstimo de meias para a prova de calçados;
  • Limitar o contato entre clientes e atendente durante a prova, por exemplo, suspendendo ajuda e ajustes.

Para prova de acessórios e bijuterias:

  • Colocar cartazes no local de prova orientando acerca da obrigatoriedade do uso da máscara durante toda a prova de acessórios e bijuterias pelo cliente e atendente;
  • Higienizar os acessórios e as bijuterias, antes e após o contato com os clientes;
  • Os clientes devem higienizar as mãos com álcool gel 70%, antes e após cada prova;
  • Não é permitida a prova de acessórios e bijuterias que não são passíveis de higienização; V. Limitar o contato entre clientes e atendente durante a prova, por exemplo, suspendendo ajuda e ajustes.

Compartilhe

Voltar às notícias