Crueldade: Cão é enterrado vivo no Arroio do Silva

Será que a crueldade humana tem limite? Bom, isso não temos como responder, mas podemos avaliar a capacidade de uma pessoa quando ela mostra o seu desrespeito por qualquer ser vivo. Estamos constantemente presenciando notícias de maus-tratos com animais, principalmente os domésticos, o que nos faz refletir sobre uma questão importante: a responsabilidade. Só tem capacidade de amar e ser do bem quem tem responsabilidade pelo outro, seja alguém próximo ou mesmo o seu animalzinho de estimação.

E falta de amor e desrespeito foi o que aconteceu com o Duque, um cãozinho da raça Boder Collie, de aproximadamente seis meses, encontrado no Balnéario Arroio do Silva, no último sábado, 20, enterrado vivo. Uma mulher encontrou Duque e anunciou a situação nas redes sociais, quando a protetora de animais, Bruna Souza Cidade, o resgatou e levou para tratamento veterinário.

A suspeita, segundo Bruna, é que o cãozinho estivesse com cinomose (uma doença grave e contagiosa), mas após alguns exames o resultado deu negativo para a doença. “Provavelmente o dono viu que ele estava doente e preferiu matar a dar o tratamento. As veterinárias que estão cuidando disseram que ele deve ter contraído cinomose, mas que se curou e neste momento não está doente. Triste de tudo isso é que existe vacina pra proteger contra a cinomose, mas muitas pessoas não dão importância, aí acaba gerando surtos pela cidade”.

Bruna relata que deram o nome de Duque para o cãozinho porque ele é muito comportado, inteligente e dócil. Além disso, ela conta que as sequelas deixadas foram graves, ele tem apresentado espasmos. “Quando resgatamos não deu de perceber, porque estava coberto de areia e sujeira. Ele recebeu os primeiros tratamentos e ficamos monitorando a situação, mas dias depois quando estava mais fortinho, vimos uma ferida grave na cabeça. É possível que deram uma porrada para matá-lo por isso o ferimento. Isso deve causar alguns problemas daqui pra frente”.

O registro do Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia para relatar a situação ficou prejudicado porque ninguém tem provas e informações sobre o fato, mas a família da protetora está cuidando de Duque e espera que esta situação não se repita com outros animais.

 

Em menos de 48 horas vaquinha atingiu meta para ajudar no tratamento do Duque

 O lado bom da história do Duque é que em meio a tantos traumas, muitas pessoas se sensibilizaram em ajudar. Uma vaquinha online promovida pela protetora, Bruna, (https://www.vakinha.com.br/vaquinha/unidos-pelo-duque) conseguiu arrecadar o valor esperado para custear o tratamento, que contou com o atendimento emergencial quando o cão foi resgatado, a medicação e os cuidados que terá para tratar das sequelas deixadas. O objetivo era arrecadar R$1 mil, mas em menos de 48 horas, vinte e quatro apoiadores reuniram R$1.145,00. “Nós somos protetoras independentes, mas fazemos sempre tudo que está ao nosso alcance, geralmente damos um jeito sozinhas de pagar as despesas, mas agora como esse caso tivemos que recorrer à vakinha e estamos imensamente gratas e felizes com o retorno positivo das pessoas”, agradeceu, Bruna.

 

Em busca de um lar para Duque

Os desafios para Duque ainda são muitos. Além de continuar em tratamento veterinário, o cãozinho está à procura de um lar com donos responsáveis e dispostos a dar muito amor. Bruna e a mãe, Andrializ Souza Cidade, não poderão ficar com o cachorrinho, mas estão a busca de um tutor responsável e disposto a dar o tratamento merecido. “Nós temos 5 cachorros e 6 gatos em casa, que pegamos ou encontramos na rua para dar lar temporário, mas nem todos conseguimos doar, então ficamos com eles então fique difícil ter mais um. Vamos cuidar do Duque até alguém adotar”.

 

Para informações, ajudar ou se candidatar para a adoção de Duque entre em contato com a Bruna no (48) 9 9934-3955.

Será que a crueldade humana tem limite? Bom, isso não temos como responder, mas podemos avaliar a capacidade de uma pessoa quando ela mostra o seu desrespeito por qualquer ser vivo. Estamos constantemente presenciando notícias de maus-tratos com animais, principalmente os domésticos, o que nos faz refletir sobre uma questão importante: a responsabilidade. Só tem capacidade de amar e ser do bem quem tem responsabilidade pelo outro, seja alguém próximo ou mesmo o seu animalzinho de estimação.

E falta de amor e desrespeito foi o que aconteceu com o Duque, um cãozinho da raça Boder Collie, de aproximadamente seis meses, encontrado no Balnéario Arroio do Silva, no último sábado, 20, enterrado vivo. Uma mulher encontrou Duque e anunciou a situação nas redes sociais, quando a protetora de animais, Bruna Souza Cidade, o resgatou e levou para tratamento veterinário.

A suspeita, segundo Bruna, é que o cãozinho estivesse com cinomose (uma doença grave e contagiosa), mas após alguns exames o resultado deu negativo para a doença. “Provavelmente o dono viu que ele estava doente e preferiu matar a dar o tratamento. As veterinárias que estão cuidando disseram que ele deve ter contraído cinomose, mas que se curou e neste momento não está doente. Triste de tudo isso é que existe vacina pra proteger contra a cinomose, mas muitas pessoas não dão importância, aí acaba gerando surtos pela cidade”.

Bruna relata que deram o nome de Duque para o cãozinho porque ele é muito comportado, inteligente e dócil. Além disso, ela conta que as sequelas deixadas foram graves, ele tem apresentado espasmos. “Quando resgatamos não deu de perceber, porque estava coberto de areia e sujeira. Ele recebeu os primeiros tratamentos e ficamos monitorando a situação, mas dias depois quando estava mais fortinho, vimos uma ferida grave na cabeça. É possível que deram uma porrada para matá-lo por isso o ferimento. Isso deve causar alguns problemas daqui pra frente”.

O registro do Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia para relatar a situação ficou prejudicado porque ninguém tem provas e informações sobre o fato, mas a família da protetora está cuidando de Duque e espera que esta situação não se repita com outros animais.

 

Em menos de 48 horas vaquinha atingiu meta para ajudar no tratamento do Duque

 O lado bom da história do Duque é que em meio a tantos traumas, muitas pessoas se sensibilizaram em ajudar. Uma vaquinha online promovida pela protetora, Bruna, (https://www.vakinha.com.br/vaquinha/unidos-pelo-duque) conseguiu arrecadar o valor esperado para custear o tratamento, que contou com o atendimento emergencial quando o cão foi resgatado, a medicação e os cuidados que terá para tratar das sequelas deixadas. O objetivo era arrecadar R$1 mil, mas em menos de 48 horas, vinte e quatro apoiadores reuniram R$1.145,00. “Nós somos protetoras independentes, mas fazemos sempre tudo que está ao nosso alcance, geralmente damos um jeito sozinhas de pagar as despesas, mas agora como esse caso tivemos que recorrer à vakinha e estamos imensamente gratas e felizes com o retorno positivo das pessoas”, agradeceu, Bruna.

 

Em busca de um lar para Duque

Os desafios para Duque ainda são muitos. Além de continuar em tratamento veterinário, o cãozinho está à procura de um lar com donos responsáveis e dispostos a dar muito amor. Bruna e a mãe, Andrializ Souza Cidade, não poderão ficar com o cachorrinho, mas estão a busca de um tutor responsável e disposto a dar o tratamento merecido. “Nós temos 5 cachorros e 6 gatos em casa, que pegamos ou encontramos na rua para dar lar temporário, mas nem todos conseguimos doar, então ficamos com eles então fique difícil ter mais um. Vamos cuidar do Duque até alguém adotar”.

 

Para informações, ajudar ou se candidatar para a adoção de Duque entre em contato com a Bruna no (48) 9 9934-3955.

Compartilhe

Voltar às notícias