CPI para apurar compras fraudulentas de medicamentos no Arroio chega ao fim

Câmara de Vereadores deve encaminhar relatório ao Tribunal de Contas e MP pedindo que ex-prefeito, Evandro Scaini seja investigado

Na tarde desta quinta-feira, 4, uma coletiva de imprensa foi convocada para a Comissão Parlamentar de Inquérito - que apura fraudes na compra de medicamentos na gestão municipal entre os anos de 2010 e 2015, apresentar o resultado das investigações realizadas nos últimos meses. O encontro aconteceu no plenário da Câmara de Vereadores de Balneário Arroio do Silva.

Além de advogados, o presidente da CPI, vereador Sérgio Policarpo e o relator, vereador, Marcio Macan, defendeu o resultado das investigações que aponta em um extenso documento que o ex-prefeito, Evandro Scaini, fraudou em seis anos de gestão, procedimentos licitatórios para beneficiar uma empresa farmacêutica de Araranguá de propriedade de um sobrinho para fornecer medicamentos para a secretaria de Saúde.



De acordo com os representantes da comissão, as provas entres os anos de 2011 e 2012 ficaram prejudicados, porque os documentos necessários foram extraviados da prefeitura. “Nos períodos que conseguimos comprovar, os medicamentos eram comprados de 40 a 50% mais caros que o mercado. Foram forjados orçamentos até das farmácias que supostamente estavam concorrendo a licitação”, contou o relator.

O relatório ainda descreve outras fraudes. “Foi tudo armado para prejudicar o nosso município. Existe a CPI do ginásio de esportes que está em andamento e mais outras três investigações de outras irregularidades do ex-prefeito em suas gestões”, acrescentou, Macan.

Agora, o documento deverá ser encaminhado pelo Legislativo municipal para o Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina recomendado que faça uma auditoria nas contas da época para aprofundar as investigações, e também ao Ministério Público, para ingressar com as ações civis e penais contra Scaini e os possíveis responsáveis pela fraude.

 

Na tarde desta quinta-feira, 4, uma coletiva de imprensa foi convocada para a Comissão Parlamentar de Inquérito – que apura fraudes na compra de medicamentos na gestão municipal entre os anos de 2010 e 2015, apresentar o resultado das investigações realizadas nos últimos meses. O encontro aconteceu no plenário da Câmara de Vereadores de Balneário Arroio do Silva.

Além de advogados, o presidente da CPI, vereador Sérgio Policarpo e o relator, vereador, Marcio Macan, defendeu o resultado das investigações que aponta em um extenso documento que o ex-prefeito, Evandro Scaini, fraudou em seis anos de gestão, procedimentos licitatórios para beneficiar uma empresa farmacêutica de Araranguá de propriedade de um sobrinho para fornecer medicamentos para a secretaria de Saúde.

De acordo com os representantes da comissão, as provas entres os anos de 2011 e 2012 ficaram prejudicados, porque os documentos necessários foram extraviados da prefeitura. “Nos períodos que conseguimos comprovar, os medicamentos eram comprados de 40 a 50% mais caros que o mercado. Foram forjados orçamentos até das farmácias que supostamente estavam concorrendo a licitação”, contou o relator.

O relatório ainda descreve outras fraudes. “Foi tudo armado para prejudicar o nosso município. Existe a CPI do ginásio de esportes que está em andamento e mais outras três investigações de outras irregularidades do ex-prefeito em suas gestões”, acrescentou, Macan.

Agora, o documento deverá ser encaminhado pelo Legislativo municipal para o Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina recomendado que faça uma auditoria nas contas da época para aprofundar as investigações, e também ao Ministério Público, para ingressar com as ações civis e penais contra Scaini e os possíveis responsáveis pela fraude.

 

Compartilhe

Voltar às notícias