Como estão se manifestando os julgadores na sessão do impeachment de Carlos Moisés

Primeiros desembargadores e deputados mostram tendências de seus votos

O desembargador presidente da sessão do Tribunal Misto, Ricardo Roesler, depois de ouvir os advogados de defesa e acusação abriu espaço para a manifestação dos julgadores . Até às 13 horas desta sexta, 07, sete dos dez julgadores deram seus pareceres. A manifestação não é o voto, mas indica como eles seguirão na sequência. A maioria já manifestou sua decisão. São necessários sete votos a faor do impeachment para que o governador, Carlos Moisés, tenha seus direitos políticos cassados.

Acompanhe um trecho dos argumentos usados pelos julgadores:

  • Desembargadora Sônia Maria Schmidt – Antecipou que votará a favor. manifestou pela condenação pela prática do crime de responsabilidade.


 

  • Marcos Vieira (PSDB) – disse que votará pela absolvição. Disse que não pode ir contra os órgãos investigativos. “No meu entendimento a culpa não foi provada. Será que esse suposto crime de omissão é tão grrave que tenha que cassar um governador. Estamos vivendo uma crise sanitária tão grave que não podemos trocar um ggovernador desta forma”, disse.


 

  • Desembargador Roberto Lucas Pacheco – Manifestou que votará a favor. Agradeceu o apoio durante o período de julgamento e se reservou em explicar diferença entre crime culposo e omissivo


 

  • José Milton Scheffer (PP)Votará contra - “As investigações devem continuar e os culpados encontrados. Nosso Estado está fragilizado. Banalizar o impeachment é gerar mais insegurança como neste caso.”, disse.


 

  • Desembargador Luiz ZaneltoVotará a favor a favor do impeachment - “Não está afirmando que o chefe do Executivo é responsável por todos os atos ilegais, mas sua função está atrelada a evitar ato danoso e responsabilizar seus subordinados


 

  • Deputado Valdir Cobalchini (MDB)Manifestou que votará contra. “Sigo minha posição da sessão de admissibidade em março. Entendo que a presente ação carece de alicerces mínimos para a justa causa. Vou me ater as provas para julgar. Se não tem, meu voto segue”.


 

  • Desembargadora Rosane Portela Wollf – mantem a tendência a favor do impeachment. Se manifesta neste momento.


Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

O desembargador presidente da sessão do Tribunal Misto, Ricardo Roesler, depois de ouvir os advogados de defesa e acusação abriu espaço para a manifestação dos julgadores . Até às 13 horas desta sexta, 07, sete dos dez julgadores deram seus pareceres. A manifestação não é o voto, mas indica como eles seguirão na sequência. A maioria já manifestou sua decisão. São necessários sete votos a faor do impeachment para que o governador, Carlos Moisés, tenha seus direitos políticos cassados.

Acompanhe um trecho dos argumentos usados pelos julgadores:

  • Desembargadora Sônia Maria Schmidt – Antecipou que votará a favor. manifestou pela condenação pela prática do crime de responsabilidade.

 

  • Marcos Vieira (PSDB) – disse que votará pela absolvição. Disse que não pode ir contra os órgãos investigativos. “No meu entendimento a culpa não foi provada. Será que esse suposto crime de omissão é tão grrave que tenha que cassar um governador. Estamos vivendo uma crise sanitária tão grave que não podemos trocar um ggovernador desta forma”, disse.

 

  • Desembargador Roberto Lucas Pacheco – Manifestou que votará a favor. Agradeceu o apoio durante o período de julgamento e se reservou em explicar diferença entre crime culposo e omissivo

 

  • José Milton Scheffer (PP)Votará contra“As investigações devem continuar e os culpados encontrados. Nosso Estado está fragilizado. Banalizar o impeachment é gerar mais insegurança como neste caso.”, disse.

 

  • Desembargador Luiz ZaneltoVotará a favor a favor do impeachment“Não está afirmando que o chefe do Executivo é responsável por todos os atos ilegais, mas sua função está atrelada a evitar ato danoso e responsabilizar seus subordinados

 

  • Deputado Valdir Cobalchini (MDB)Manifestou que votará contra. “Sigo minha posição da sessão de admissibidade em março. Entendo que a presente ação carece de alicerces mínimos para a justa causa. Vou me ater as provas para julgar. Se não tem, meu voto segue”.

 

  • Desembargadora Rosane Portela Wollf – mantem a tendência a favor do impeachment. Se manifesta neste momento.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias