Cobrador forja o próprio sequestro

Homem usou o dinheiro da firma para comprar drogas


Um falso sequestro foi comunicado as autoridades por volta da 01h37 da madrugada desta terça-feira, 10 em Araranguá. Um homem de 31 anos relatou aos familiares, por telefone, que ele e a motocicleta de trabalho haviam sido sequestrados. A Polícia Militar então começou as buscas pelo paradeiro da suposta vítima e a Polícia Civil também iniciou uma investigação sobre o caso.


Surgiu uma informação de que a vítima seria entregue no loteamento “Paiquerê” e a motocicleta estaria estacionada próximo da plataforma de pesca, o que acabou acontecendo. Ao ser interrogado pelos agentes da Policia Civil, a vítima começou a entrar em contradição e acabou confessando que forjou tudo.


“Ele acabou confessando que era tudo mentira. Que era usuário de drogas. Na última tarde ele usou a moto da empresa para cobrar clientes da firma e depois ficou com todo o montante. Após uma recaída usou todo dinheiro arrecadado na compra de drogas. Como não tinha como justificar, forjou o próprio sequestro”, detalhou o Delegado Lucas Fernandes da Rosa.


A falsa vítima de sequestro vai responder por apropriação indevida e falsa comunicação de crime. Ele assinou um termo circunstanciado e foi liberado

Um falso sequestro foi comunicado as autoridades por volta da 01h37 da madrugada desta terça-feira, 10 em Araranguá. Um homem de 31 anos relatou aos familiares, por telefone, que ele e a motocicleta de trabalho haviam sido sequestrados. A Polícia Militar então começou as buscas pelo paradeiro da suposta vítima e a Polícia Civil também iniciou uma investigação sobre o caso.

Surgiu uma informação de que a vítima seria entregue no loteamento “Paiquerê” e a motocicleta estaria estacionada próximo da plataforma de pesca, o que acabou acontecendo. Ao ser interrogado pelos agentes da Policia Civil, a vítima começou a entrar em contradição e acabou confessando que forjou tudo.

“Ele acabou confessando que era tudo mentira. Que era usuário de drogas. Na última tarde ele usou a moto da empresa para cobrar clientes da firma e depois ficou com todo o montante. Após uma recaída usou todo dinheiro arrecadado na compra de drogas. Como não tinha como justificar, forjou o próprio sequestro”, detalhou o Delegado Lucas Fernandes da Rosa.

A falsa vítima de sequestro vai responder por apropriação indevida e falsa comunicação de crime. Ele assinou um termo circunstanciado e foi liberado

Compartilhe

Voltar às notícias