Clientes de banco reclamam da falta de atendimento preferencial para grupos de risco

A reclamação é de que nesta segunda, 03, pessoas chegaram a passar mal na fila do Bradesco

Clientes do Banco Bradesco, no Calçadão de Araranguá, reclamam das dificuldades no atendimento nesta segunda, 03. Segundo uma leitora do Portal W3 que prefere não ser identificada, os clientes considerados de grupo de risco e preferencial não foram tratados como sugere a lei. “Passei no banco e tem uma fila enorme. Os deficientes e idosos não tiveram preferência pra ir nem nos caixas eletrônicos. Também não receberam ajuda. Eles falavam que não tinha o que fazer e que não tem ninguém para ajudar quem não sabe mexer nas máquinas. Nem cadeira deram para os idosos sentar”, reclamou.



Em contato com a gerência da agência, nossa equipe foi informada que a reclamação não procede. “Estamos atendendo com 45% do contingente em razão da pandemia e não registramos problema algum, inclusive, colocamos os clientes presenciais para dentro da agência”, contestou o gerente, Lenilson Amorim.

 

Clientes do Banco Bradesco, no Calçadão de Araranguá, reclamam das dificuldades no atendimento nesta segunda, 03. Segundo uma leitora do Portal W3 que prefere não ser identificada, os clientes considerados de grupo de risco e preferencial não foram tratados como sugere a lei. “Passei no banco e tem uma fila enorme. Os deficientes e idosos não tiveram preferência pra ir nem nos caixas eletrônicos. Também não receberam ajuda. Eles falavam que não tinha o que fazer e que não tem ninguém para ajudar quem não sabe mexer nas máquinas. Nem cadeira deram para os idosos sentar”, reclamou.

Em contato com a gerência da agência, nossa equipe foi informada que a reclamação não procede. “Estamos atendendo com 45% do contingente em razão da pandemia e não registramos problema algum, inclusive, colocamos os clientes presenciais para dentro da agência”, contestou o gerente, Lenilson Amorim.

 

Compartilhe

Voltar às notícias