Câmara encerra ano com devolução de R$1,5 mi para Executivo

Valor é oriundo de economia feita com corte de diárias e vantagens. Em quatro anos mais de R$5 milhões foram economizados

Os últimos quatro anos de gestão da Câmara de Vereadores de Araranguá foram de muita economia e bom exemplo dado a população e a classe política. Tudo porque foram economizados mais de R$5 milhões com uma série de medidas implantadas para que o Legislativo operasse com o necessário e atendesse os interesses do município.


Só neste ano, foram devolvidos para o Poder Executivo um pouco mais de R$1,5 milhão. Além disso, garantidos mais R$200 mil para a reforma da Câmara que necessita de algumas reparações por conta das infiltrações. A obra será executada pela nova mesa diretora.


O vereador, Daniel Viriato Afonso, que presidiu a Câmara nos últimos anos, acredita que o exemplo deixado pela atual legislatura vai contribuir com o comportamento dos novos vereadores. “Eu desejo que a nova composição da Câmara mantenha o compromisso de fazer bom uso do dinheiro público e dar a verdadeira resposta que a população precisa”, disse.


Desde 2017 os vereadores abriram mão de receber diárias e vantagens. Também foram implantadas outras medidas para economizar como o corte de alguns contratos terceirizados, digitalização de todos os projetos para diminuir as impressões e uso de papel, bem como outras providências. A previsão era economizar em torno de R$1 milhão por ano, mas o valor foi superior a estimativa.


A Câmara Municipal conseguiu destaque em Santa Catarina como a única a não conceder diárias para vereadores e servidores neste período. Fato que possibilitou que viaturas fossem compradas para as polícias e Corpo de Bombeiros ao logo dos quatro últimos anos, e entidades recebessem recursos para manter suas operações solidárias e voluntárias.


 

Os últimos quatro anos de gestão da Câmara de Vereadores de Araranguá foram de muita economia e bom exemplo dado a população e a classe política. Tudo porque foram economizados mais de R$5 milhões com uma série de medidas implantadas para que o Legislativo operasse com o necessário e atendesse os interesses do município.

Só neste ano, foram devolvidos para o Poder Executivo um pouco mais de R$1,5 milhão. Além disso, garantidos mais R$200 mil para a reforma da Câmara que necessita de algumas reparações por conta das infiltrações. A obra será executada pela nova mesa diretora.

O vereador, Daniel Viriato Afonso, que presidiu a Câmara nos últimos anos, acredita que o exemplo deixado pela atual legislatura vai contribuir com o comportamento dos novos vereadores. “Eu desejo que a nova composição da Câmara mantenha o compromisso de fazer bom uso do dinheiro público e dar a verdadeira resposta que a população precisa”, disse.

Desde 2017 os vereadores abriram mão de receber diárias e vantagens. Também foram implantadas outras medidas para economizar como o corte de alguns contratos terceirizados, digitalização de todos os projetos para diminuir as impressões e uso de papel, bem como outras providências. A previsão era economizar em torno de R$1 milhão por ano, mas o valor foi superior a estimativa.

A Câmara Municipal conseguiu destaque em Santa Catarina como a única a não conceder diárias para vereadores e servidores neste período. Fato que possibilitou que viaturas fossem compradas para as polícias e Corpo de Bombeiros ao logo dos quatro últimos anos, e entidades recebessem recursos para manter suas operações solidárias e voluntárias.

 

Compartilhe

Voltar às notícias