Blog Tiago Almeida: A vida imita arte ou a arte imita a vida? 

Sim eu sei, o título é confuso, mas, é justamente para você pensar. Oscar Wilde, escritor e filósofo acha que é a vida que imita a arte, o que pra mim até faz sentido não fosse o caso que quero relacionar no post de hoje.


Nos últimos dias fomos bombardeados na mídia com o escândalo sexual envolvendo o diretor e ator Marcius Melhem e mais de 12 mulheres incluindo a atriz e humorista Dani Calabresa que viveu momentos tensos de assédio moral e sexual quando trabalhava com Marcius no Zorra Total da Rede Globo e teve que se calar por medo de represália, já que na época Melhem  era um dos diretores da emissora e teria poder o suficiente para acabar com a oportunidade de Dani de trabalhar para uma das maiores redes de televisão do mundo.


Isso tem total semelhança com o roteiro da série “The Morning Show” da Apple TV+ protagonizado por Jennifer Aniston, Steve Carell e Reese Whiterspoon. Na trama, o programa “The Morning Show” é o programa matinal de mais audiência da América – Algo como uma mistura de Bom dia Brasil e Mais Você - e é comandado há anos por Alex Levy (Aniston) e Mitch Kessler (Carell) – Que aqui se assemelhariam a colegas de bancada como William Bonner e Fátima Bernardes. Em um dia aparentemente comum, surge uma matéria bombástica relatando diversos casos de abusos ou de condutas sexuais impróprias partindo de Mitch que a princípio nega, mas com a pressão feita em cima do canal de televisão é demitido e depois de vários anos como um poderoso e influente âncora de TV perde tudo para os escândalos que causou.


A matéria da Revista Piauí, que lançou detalhadamente o caso de Melhem x Dani Calabresa, já nos pontua em diversos momentos as coincidências com o roteiro da série, um já mencionado, foi o medo de perder o emprego, tendo em vista que tanto Marcius e Mitch eram figuras poderosas dentro da TV e se denunciados estalariam os dedos para acabar com a carreira de suas vítimas.


Outro ponto parecido é o fato de Dani Calabresa ter ganhado um papel no quadro Se Joga e ainda ter renovado contrato com a emissora e mesmo assim ter continuado com as denúncias ao que Marcius teria respondido “Oque mais você quer, filha, para calar a boca?”, na série, Mitch e o alto escalão da emissora oferecem o cargo de produtora chefe á uma de suas vítimas que passa a abafar o caso até chegar ao ponto da vítima não aguentar mais a pressão psicológica que sentiu.


Um acontecimento que se assemelha bastante que também é trazido na matéria da Revista Piauí é o fato da Rede Globo afastar Marcius e não renovar seu contrato sem mencionar os assédios, o ator chegou a dizer que “saiu pela porta da frente” da emissora, isso teria indignado um grupo de profissionais do elenco de humor do canal, já na UBS, a emissora fictícia da série, já sabia dos crimes de Mitch e abafava o caso como pudesse para se safar de processos mais severos ou escândalos que prejudicariam a audiência do programa.


Na série, Mitch fica totalmente isolado, sem amigos, severamente julgado pela mídia e pelos telespectadores que exigem uma posição de repúdio por parte da emissora, no caso de Marcius não é diferente, todos os seus colegas de elenco, ou colegas de emissora se afastaram completamente e se pronunciaram sobre o caso prestando apoio a Dani e as outras vítimas bem como a pressão do público para que a Globo se retrate perante o escândalo.


Dito isso, eu quero aqui deixar meu pleno apoio a todas as mulheres vítimas do machismo enraizado na sociedade, de abusos sexuais e morais e prestar minha solidariedade para aquelas que se calam por medo, as que se calam por vergonha ou por não saber como reagir, saibam que o problema não é você, não precisa sentir vergonha, a vítima nunca tem culpa! Denuncie!


Juntando todos esses pontos, vou deixar o questionamento para vocês pensarem, é a vida que imita a arte, ou a arte que imita a vida?




 

Sim eu sei, o título é confuso, mas, é justamente para você pensar. Oscar Wilde, escritor e filósofo acha que é a vida que imita a arte, o que pra mim até faz sentido não fosse o caso que quero relacionar no post de hoje.

Nos últimos dias fomos bombardeados na mídia com o escândalo sexual envolvendo o diretor e ator Marcius Melhem e mais de 12 mulheres incluindo a atriz e humorista Dani Calabresa que viveu momentos tensos de assédio moral e sexual quando trabalhava com Marcius no Zorra Total da Rede Globo e teve que se calar por medo de represália, já que na época Melhem  era um dos diretores da emissora e teria poder o suficiente para acabar com a oportunidade de Dani de trabalhar para uma das maiores redes de televisão do mundo.

Isso tem total semelhança com o roteiro da série “The Morning Show” da Apple TV+ protagonizado por Jennifer Aniston, Steve Carell e Reese Whiterspoon. Na trama, o programa “The Morning Show” é o programa matinal de mais audiência da América – Algo como uma mistura de Bom dia Brasil e Mais Você – e é comandado há anos por Alex Levy (Aniston) e Mitch Kessler (Carell) – Que aqui se assemelhariam a colegas de bancada como William Bonner e Fátima Bernardes. Em um dia aparentemente comum, surge uma matéria bombástica relatando diversos casos de abusos ou de condutas sexuais impróprias partindo de Mitch que a princípio nega, mas com a pressão feita em cima do canal de televisão é demitido e depois de vários anos como um poderoso e influente âncora de TV perde tudo para os escândalos que causou.

A matéria da Revista Piauí, que lançou detalhadamente o caso de Melhem x Dani Calabresa, já nos pontua em diversos momentos as coincidências com o roteiro da série, um já mencionado, foi o medo de perder o emprego, tendo em vista que tanto Marcius e Mitch eram figuras poderosas dentro da TV e se denunciados estalariam os dedos para acabar com a carreira de suas vítimas.

Outro ponto parecido é o fato de Dani Calabresa ter ganhado um papel no quadro Se Joga e ainda ter renovado contrato com a emissora e mesmo assim ter continuado com as denúncias ao que Marcius teria respondido “Oque mais você quer, filha, para calar a boca?”, na série, Mitch e o alto escalão da emissora oferecem o cargo de produtora chefe á uma de suas vítimas que passa a abafar o caso até chegar ao ponto da vítima não aguentar mais a pressão psicológica que sentiu.

Um acontecimento que se assemelha bastante que também é trazido na matéria da Revista Piauí é o fato da Rede Globo afastar Marcius e não renovar seu contrato sem mencionar os assédios, o ator chegou a dizer que “saiu pela porta da frente” da emissora, isso teria indignado um grupo de profissionais do elenco de humor do canal, já na UBS, a emissora fictícia da série, já sabia dos crimes de Mitch e abafava o caso como pudesse para se safar de processos mais severos ou escândalos que prejudicariam a audiência do programa.

Na série, Mitch fica totalmente isolado, sem amigos, severamente julgado pela mídia e pelos telespectadores que exigem uma posição de repúdio por parte da emissora, no caso de Marcius não é diferente, todos os seus colegas de elenco, ou colegas de emissora se afastaram completamente e se pronunciaram sobre o caso prestando apoio a Dani e as outras vítimas bem como a pressão do público para que a Globo se retrate perante o escândalo.

Dito isso, eu quero aqui deixar meu pleno apoio a todas as mulheres vítimas do machismo enraizado na sociedade, de abusos sexuais e morais e prestar minha solidariedade para aquelas que se calam por medo, as que se calam por vergonha ou por não saber como reagir, saibam que o problema não é você, não precisa sentir vergonha, a vítima nunca tem culpa! Denuncie!

Juntando todos esses pontos, vou deixar o questionamento para vocês pensarem, é a vida que imita a arte, ou a arte que imita a vida?

 

Compartilhe

Voltar ao blog