Blog Rolando Christian Coelho: MDB de Gaivota mais próximo da situação

Rolando Christian Coelho, 28/05/2020

Adversário histórico do Progressistas em nível local, o MDB de Balneário Gaivota está dando cada vez mais mostras de que estará aliado ao partido, como também ao PSD e ao PTB, no pleito eleitoral deste ano. Em princípio, a aliança passaria por uma dobradinha entre PSD e MDB na majoritária, com o apoio do Progressistas e do PTB. Se a articulação que vem sendo feita for levada adiante, o Progressistas, que atualmente comanda a prefeitura através de Ronaldo Pereira da Silva, teria o comando do legislativo na próxima gestão, caso a coligação eleja a maioria na Câmara. Isto é o que vem sendo montado, pelo menos na teoria.

De acordo com o presidente do MDB gaivotense, vereador Juliano Matias Supp, há 90% de chances de seu partido fazer parte desta composição. “Estamos nos reunindo internamente faz um bom tempo e conversado sobre este tema. Tudo se encaminha para isto”, comenta.

Do outro lado da moeda está a pré-candidatura do ex-vereador Everaldo dos Santos, o Kekinha (PSDB). Além de seu partido, ele conta com o apoio do PSL, PSB, PDT, Podemos e provavelmente do Democratas. É provável que Kekinha concorra com o PSL como seu vice, através da candidatura de Jonata Coelho dos Santos. No que diz respeito a dobradinha PSD/MDB, neste momento os encaminhamentos dão conta de que o atual vice-prefeito Evânio Machado, o Machadinho (PSD), concorrerá como prefeito e o vereador Guidi Matos (MDB) como seu vice.

Câmara de Maracajá quer ter prédio próprio e causa polêmica

Câmara Municipal de Vereadores de Maracajá deverá colocar em votação, na próxima semana, projeto de lei que trata da compra de um prédio próprio para o legislativo, de modo a evitar o pagamento de aluguel, como ocorre hoje. O assunto é polêmico, já que a época é de vacas magras, por conta da pandemia de covid-19. De todo modo, o presidente do legislativo, Geraldo Leandro (PSD), defende a ideia, ressaltando que, ao deixar de pagar um aluguel mensal de R$ 1.400,00, a Câmara estaria dando sua verdadeira contribuição para o corte de despesas do dinheiro público. O prédio em voga, prospectado para a compra, está avaliado em R$ 360 mil. Em princípio, cerca de R$ 200 mil seriam pagos à vista, e o restante do valor seria parcelado.

Várias prefeituras estão abandonando o CIS/Amesc

Por conta dos fatos que atingiram o CIS/Amesc, boa parte dos prefeitos da região diz que não têm mais interesse em fazer parte do Consórcio, cuja principal função é a de diminuir valores de remédios, consultas e exames, a serem utilizados pelas Secretarias Municipais de Saúde. Através de auditoria, Tribunal de Contas do Estado apontou desvios na condução do CIS/Amesc, o que acabou assustando os prefeitos. Muitos já estão em negociação com o Consórcio Intermunicipal de Saúde da região de Criciúma. Outros falam em comprar medicamentos por conta própria, direto pela prefeitura, até o final deste ano, quando os mandatos das atuais gestões se encerram. Em meio a tudo isto, os prefeitos também discutem a possibilidade de fazer com que o CIS/Amesc deixe de ser um órgão autônomo, e seja incorporado à própria Amesc. De acordo com o Tribunal de Contas, o rombo no CIS/Amesc em 2017 foi de cerca de R$ 4 milhões.

Dois ex-prefeitos devem se enfrentar em Maracajá

Dois ex-prefeitos podem se enfrentar nas urnas, este ano, em Maracajá. Antenor Rocha, o popular Táta, filiado ao Progressistas, é um deles. O outro é o Wagner da Rosa, do MDB. Os dois já estiveram em palanques distintos, como também já atuaram em conjunto no cenário eleitoral local. Em princípio eles fariam campanhas meramente propositivas, já que o atual prefeito Arlindo Rocha, deixou o PSDB e se diz fora do jogo político. Diz que vai encerrar seu mandato e ponto final. Em princípio, não tem a intenção de apoiar quem quer que seja. Paralelo a estas duas candidaturas, também é especulada a do ex-vice-prefeito Garibaldi Brambila (PSDB). Dentre todos, Wagner é o que demonstra maior interesse na disputa. Ele já foi prefeito duas vezes.

Cursos e assessorias na saúde podem ter sido fraudados

Cursos e assessorias na área da saúde, realizados para prefeituras da região, estão na mira das autoridades competentes. Há séria desconfiança de que em muitos casos estas situações simplesmente não aconteceram. Basicamente, era emitida uma nota fiscal de prestação de serviços, como se cursos e assessorias tivessem sido realizados, sem, no entanto, que isto fosse verdade. Muito provavelmente o Ministério Público será instigado a solicitar tais notas fiscais para as prefeituras. Nelas constarão os dados dos serviços prestados. Depois, basta investigar para ver se isto de fato aconteceu. De acordo com uma fonte, “é provável que tenham sido desviados valores significativos através deste esquema de corrupção”. Conversei com um prefeito da região e ele me disse que o referido serviço lhe foi ofertado. A empresa que ofereceu a nota ficaria com 25% do valor total. Os outros 75% ficaria com o prefeito. Ele recusou.

Adversário histórico do Progressistas em nível local, o MDB de Balneário Gaivota está dando cada vez mais mostras de que estará aliado ao partido, como também ao PSD e ao PTB, no pleito eleitoral deste ano. Em princípio, a aliança passaria por uma dobradinha entre PSD e MDB na majoritária, com o apoio do Progressistas e do PTB. Se a articulação que vem sendo feita for levada adiante, o Progressistas, que atualmente comanda a prefeitura através de Ronaldo Pereira da Silva, teria o comando do legislativo na próxima gestão, caso a coligação eleja a maioria na Câmara. Isto é o que vem sendo montado, pelo menos na teoria.

De acordo com o presidente do MDB gaivotense, vereador Juliano Matias Supp, há 90% de chances de seu partido fazer parte desta composição. “Estamos nos reunindo internamente faz um bom tempo e conversado sobre este tema. Tudo se encaminha para isto”, comenta.

Do outro lado da moeda está a pré-candidatura do ex-vereador Everaldo dos Santos, o Kekinha (PSDB). Além de seu partido, ele conta com o apoio do PSL, PSB, PDT, Podemos e provavelmente do Democratas. É provável que Kekinha concorra com o PSL como seu vice, através da candidatura de Jonata Coelho dos Santos. No que diz respeito a dobradinha PSD/MDB, neste momento os encaminhamentos dão conta de que o atual vice-prefeito Evânio Machado, o Machadinho (PSD), concorrerá como prefeito e o vereador Guidi Matos (MDB) como seu vice.

Câmara de Maracajá quer ter prédio próprio e causa polêmica

Câmara Municipal de Vereadores de Maracajá deverá colocar em votação, na próxima semana, projeto de lei que trata da compra de um prédio próprio para o legislativo, de modo a evitar o pagamento de aluguel, como ocorre hoje. O assunto é polêmico, já que a época é de vacas magras, por conta da pandemia de covid-19. De todo modo, o presidente do legislativo, Geraldo Leandro (PSD), defende a ideia, ressaltando que, ao deixar de pagar um aluguel mensal de R$ 1.400,00, a Câmara estaria dando sua verdadeira contribuição para o corte de despesas do dinheiro público. O prédio em voga, prospectado para a compra, está avaliado em R$ 360 mil. Em princípio, cerca de R$ 200 mil seriam pagos à vista, e o restante do valor seria parcelado.

Várias prefeituras estão abandonando o CIS/Amesc

Por conta dos fatos que atingiram o CIS/Amesc, boa parte dos prefeitos da região diz que não têm mais interesse em fazer parte do Consórcio, cuja principal função é a de diminuir valores de remédios, consultas e exames, a serem utilizados pelas Secretarias Municipais de Saúde. Através de auditoria, Tribunal de Contas do Estado apontou desvios na condução do CIS/Amesc, o que acabou assustando os prefeitos. Muitos já estão em negociação com o Consórcio Intermunicipal de Saúde da região de Criciúma. Outros falam em comprar medicamentos por conta própria, direto pela prefeitura, até o final deste ano, quando os mandatos das atuais gestões se encerram. Em meio a tudo isto, os prefeitos também discutem a possibilidade de fazer com que o CIS/Amesc deixe de ser um órgão autônomo, e seja incorporado à própria Amesc. De acordo com o Tribunal de Contas, o rombo no CIS/Amesc em 2017 foi de cerca de R$ 4 milhões.

Dois ex-prefeitos devem se enfrentar em Maracajá

Dois ex-prefeitos podem se enfrentar nas urnas, este ano, em Maracajá. Antenor Rocha, o popular Táta, filiado ao Progressistas, é um deles. O outro é o Wagner da Rosa, do MDB. Os dois já estiveram em palanques distintos, como também já atuaram em conjunto no cenário eleitoral local. Em princípio eles fariam campanhas meramente propositivas, já que o atual prefeito Arlindo Rocha, deixou o PSDB e se diz fora do jogo político. Diz que vai encerrar seu mandato e ponto final. Em princípio, não tem a intenção de apoiar quem quer que seja. Paralelo a estas duas candidaturas, também é especulada a do ex-vice-prefeito Garibaldi Brambila (PSDB). Dentre todos, Wagner é o que demonstra maior interesse na disputa. Ele já foi prefeito duas vezes.

Cursos e assessorias na saúde podem ter sido fraudados

Cursos e assessorias na área da saúde, realizados para prefeituras da região, estão na mira das autoridades competentes. Há séria desconfiança de que em muitos casos estas situações simplesmente não aconteceram. Basicamente, era emitida uma nota fiscal de prestação de serviços, como se cursos e assessorias tivessem sido realizados, sem, no entanto, que isto fosse verdade. Muito provavelmente o Ministério Público será instigado a solicitar tais notas fiscais para as prefeituras. Nelas constarão os dados dos serviços prestados. Depois, basta investigar para ver se isto de fato aconteceu. De acordo com uma fonte, “é provável que tenham sido desviados valores significativos através deste esquema de corrupção”. Conversei com um prefeito da região e ele me disse que o referido serviço lhe foi ofertado. A empresa que ofereceu a nota ficaria com 25% do valor total. Os outros 75% ficaria com o prefeito. Ele recusou.

Compartilhe

Voltar ao blog