Blog Rolando Christian Coelho: Governador está agindo muito tarde

Rolando Christian Coelho, 14/05/2020

Tentando reverter uma situação francamente desfavorável, no que diz respeito a sua relação com a Assembleia Legislativa, governador Carlos Moisés da Silva (PSL) mandou repassar o número de um celular, exclusivamente, para os 40 deputados estaduais catarinenses. Por incrível que possa parecer, Carlos Moisés não atendia ligações de deputados diretamente. Tudo tinha que passar pelo ex-secretário da Casa Civil, Douglas Borba, apontado como o cabeça de uma suposta quadrilha que teria desviado recursos destinados a compra de 200 respiradores, para tratamento da covid-19, ao custo de R$ 33 milhões para o Governo do Estado.

A linha direta com o parlamento estadual está vindo tarde de mais. Neste momento, nada menos do que três pedidos de impeachment, e uma CPI que objetiva investigar a suposta compra fraudulenta dos respiradores, já tramitam na Assembleia. Crescido em meio ao clima das Diretas Já, testemunha ocular dos pormenores da Constituição de 88, eleitor dos primeiros candidatos presidenciais pós-ditadura, Carlos Moisés parece não ter compreendido como funciona o sistema democrático. Agora, pagará um preço alto por isto.

A CPI que investigará sua gestão tem dois caminhos possíveis a seguir: sua absolvição, mediante o argumento de que ele não pode ser responsabilizado pelas supostas falcatruas de um agente comissionado isolado; ou a condenação, sob o pretexto de que, como chefe do executivo estadual, sua responsabilidade é ampla e irrestrita. A opção por uma ou outra sentença está presa meramente a sua relação com a Assembleia, que, diga-se de passagem, é péssima.

A grande verdade é que o governador já caiu. Só resta saber que os deputados irão tirá-lo neste ano; no ano que vem, ou se deixarão ele concluir seu mandato de forma esquelética.

PRTB pode concorrer com chapa pura em Sombrio

Pré-candidato à Prefeitura de Sombrio, Clodoado Patrício, que deixou o PSL e se filiou ao PRTB, do vice-presidente da República, general Amilton Mourão, diz que são grandes as possibilidades de que seu partido concorra com chapa pura ao executivo municipal. A cúpula do PRTB já conversou com outras siglas de centro-direita, objetivando uma composição para a disputa majoritária deste ano, mas, de acordo com Clodoaldo, há uma franca tendência de uma candidatura totalmente autoral por parte do partido. De acordo com ele, em princípio, três filiados do PRTB já teriam se disposto a concorrer como seu vice.

PT de Araranguá terá que se decidir entre aliança com PP ou MDB

PT de Araranguá parece nitidamente dividido em relação ao destino do partido na eleição municipal deste ano. Líderes da sigla já se reuniram com MDB, deixando um projeto de aliança praticamente certo, como também com o PDT, que está de casamento marcado com o Progressistas. Como o Progressistas, o Podemos e o PDT já parecem totalmente sintonizados para 2020, haverá um momento em que o PT terá que decidir entre este grupo, ou uma aliança com o MDB, partido que deverá ter o PSD como seu vice. Em sua história, a única vez em que o PT se aliou a uma grande sigla no município foi em 2008, quando Sandro Maciel (PT) concorreu como candidato a vice de Mariano Mazzuco (PP).

Ricardo Ghellere diz que seu partido anunciará surpresa em breve

Pré-candidato do PRTB à Prefeitura de Araranguá, Ricardo Ghellere, diz que em breve cenário político da Cidade das Avenidas terá uma surpresa. Deixa a entender que o suspense se refere a filiação de alguma figura proeminente da política local a seu partido. Por ora, Ricardo vem mantendo uma estreita relação com Avante, PSC e Democratas, objetivando a consolidação de sua candidatura ao executivo. Ressalta que a vaga de vice permanece totalmente em aberto, e que a escolha sobre quem fará dobradinha com ele “se dará mais adiante, depois de um amplo processo de discussão e avaliação dentro da coligação”.

Delegado que investiga governo já atuou em nossa região

Delegado Rodrigo Schneider, que está a frente da Diretoria Estadual de Investigações Criminais, a Deic, começou sua carreira na Delegacia de Polícia de Sombrio, há quase 20 anos. Ele é o responsável pelas investigações da Deic no caso que envolve a compra dos 200 respiradores, ao custo de R$ 33 milhões, por parte do Governo do Estado. De acordo com ele, há fortes indícios de que a compra dos respiradores tenha sido, de fato, feita por meio fraudulento, tese corroborada pelo Ministério Público. Em meio a história toda, como consolo, surge a notícia que a empresa Veigamed, que recebeu os R$ 33 milhões, irá entregar 50 respiradores ao governo catarinense nos próximos dias. Os equipamentos já estariam sendo encaminhados para Santa Catarina.

Tentando reverter uma situação francamente desfavorável, no que diz respeito a sua relação com a Assembleia Legislativa, governador Carlos Moisés da Silva (PSL) mandou repassar o número de um celular, exclusivamente, para os 40 deputados estaduais catarinenses. Por incrível que possa parecer, Carlos Moisés não atendia ligações de deputados diretamente. Tudo tinha que passar pelo ex-secretário da Casa Civil, Douglas Borba, apontado como o cabeça de uma suposta quadrilha que teria desviado recursos destinados a compra de 200 respiradores, para tratamento da covid-19, ao custo de R$ 33 milhões para o Governo do Estado.

A linha direta com o parlamento estadual está vindo tarde de mais. Neste momento, nada menos do que três pedidos de impeachment, e uma CPI que objetiva investigar a suposta compra fraudulenta dos respiradores, já tramitam na Assembleia. Crescido em meio ao clima das Diretas Já, testemunha ocular dos pormenores da Constituição de 88, eleitor dos primeiros candidatos presidenciais pós-ditadura, Carlos Moisés parece não ter compreendido como funciona o sistema democrático. Agora, pagará um preço alto por isto.

A CPI que investigará sua gestão tem dois caminhos possíveis a seguir: sua absolvição, mediante o argumento de que ele não pode ser responsabilizado pelas supostas falcatruas de um agente comissionado isolado; ou a condenação, sob o pretexto de que, como chefe do executivo estadual, sua responsabilidade é ampla e irrestrita. A opção por uma ou outra sentença está presa meramente a sua relação com a Assembleia, que, diga-se de passagem, é péssima.

A grande verdade é que o governador já caiu. Só resta saber que os deputados irão tirá-lo neste ano; no ano que vem, ou se deixarão ele concluir seu mandato de forma esquelética.

PRTB pode concorrer com chapa pura em Sombrio

Pré-candidato à Prefeitura de Sombrio, Clodoado Patrício, que deixou o PSL e se filiou ao PRTB, do vice-presidente da República, general Amilton Mourão, diz que são grandes as possibilidades de que seu partido concorra com chapa pura ao executivo municipal. A cúpula do PRTB já conversou com outras siglas de centro-direita, objetivando uma composição para a disputa majoritária deste ano, mas, de acordo com Clodoaldo, há uma franca tendência de uma candidatura totalmente autoral por parte do partido. De acordo com ele, em princípio, três filiados do PRTB já teriam se disposto a concorrer como seu vice.

PT de Araranguá terá que se decidir entre aliança com PP ou MDB

PT de Araranguá parece nitidamente dividido em relação ao destino do partido na eleição municipal deste ano. Líderes da sigla já se reuniram com MDB, deixando um projeto de aliança praticamente certo, como também com o PDT, que está de casamento marcado com o Progressistas. Como o Progressistas, o Podemos e o PDT já parecem totalmente sintonizados para 2020, haverá um momento em que o PT terá que decidir entre este grupo, ou uma aliança com o MDB, partido que deverá ter o PSD como seu vice. Em sua história, a única vez em que o PT se aliou a uma grande sigla no município foi em 2008, quando Sandro Maciel (PT) concorreu como candidato a vice de Mariano Mazzuco (PP).

Ricardo Ghellere diz que seu partido anunciará surpresa em breve

Pré-candidato do PRTB à Prefeitura de Araranguá, Ricardo Ghellere, diz que em breve cenário político da Cidade das Avenidas terá uma surpresa. Deixa a entender que o suspense se refere a filiação de alguma figura proeminente da política local a seu partido. Por ora, Ricardo vem mantendo uma estreita relação com Avante, PSC e Democratas, objetivando a consolidação de sua candidatura ao executivo. Ressalta que a vaga de vice permanece totalmente em aberto, e que a escolha sobre quem fará dobradinha com ele “se dará mais adiante, depois de um amplo processo de discussão e avaliação dentro da coligação”.

Delegado que investiga governo já atuou em nossa região

Delegado Rodrigo Schneider, que está a frente da Diretoria Estadual de Investigações Criminais, a Deic, começou sua carreira na Delegacia de Polícia de Sombrio, há quase 20 anos. Ele é o responsável pelas investigações da Deic no caso que envolve a compra dos 200 respiradores, ao custo de R$ 33 milhões, por parte do Governo do Estado. De acordo com ele, há fortes indícios de que a compra dos respiradores tenha sido, de fato, feita por meio fraudulento, tese corroborada pelo Ministério Público. Em meio a história toda, como consolo, surge a notícia que a empresa Veigamed, que recebeu os R$ 33 milhões, irá entregar 50 respiradores ao governo catarinense nos próximos dias. Os equipamentos já estariam sendo encaminhados para Santa Catarina.

Compartilhe

Voltar ao blog