Blog Rolando Christian Coelho: Dívida da Prefeitura de Gaivota é milionária

Foto: Prefeitura de Balneário Gaivota

Prefeito eleito de Balneário Gaivota, Kekinha dos Santos (PSDB), diz que irá assumir o executivo municipal com um ferrenho regime de contenção de despesas. Somente em financiamentos, dívidas com o INSS e precatórios já transitados em julgado, a prefeitura tem que pagar mais de R$ 2 milhões por ano. Um dos financiamentos contraídos pelo atual prefeito Ronaldo Pereira da Silva (PP) custará aos cofres públicos, até 2029, nada menos do que R$ 58.322,83 por mês. Outro financiamento, que irá até o ano de 2040, custará mensalmente R$ 44.986,29. Trata-se de uma situação lastimável, se levarmos em conta que a absoluta maioria dos bairros do município, assim como o interior, permanecem numa situação lastimável, em função da falta de obras de infraestrutura.


Transições estão bastante trancadas  


 Em linhas gerais, prefeitos eleitos por partidos de oposição têm reclamado da falta de colaboração dos prefeitos que foram derrotados no pleito eleitoral deste ano. O motivo é a falta de uma colaboração mais condizente, no que diz respeito ao processo de transição. Não que esteja havendo obstrução, quanto o assunto é o repasse de informações, por exemplo. Todavia, pesa no ar uma sensação de má vontade bastante aflorada.


Por óbvio que ninguém gosta de perder uma eleição, mas, vale lembrar, que muito acima de qualquer interesse pessoal, há de prevalecer os interesses da coletividade. Neste sentido, é fundamental que mesmo as gestões municipais que foram derrotadas em seus projetos, no pleito eleitoral deste ano, precisam facilitar a vida daqueles que assumirão o poder, para que não haja prejuízo a população de seus respectivos municípios. No mais, daqui a quatro anos tem nova eleição. Quanto mais hombridade e sensatez for demonstrada pelos derrotados, maiores serão as chances reconhecimento social para o próximo pleito.


Ponte de Ilhas já pode começar a ser construída  


Governador Carlos Moisés da Silva (PSL) assinou, ontem, no fim do dia, ordem de serviço para o início das obras de construção da ponte sobre o rio Araranguá, no Distrito de Hercílio Luiz, popularmente denominada de Ponte de Ilhas. O valor o convênio com a Prefeitura de Araranguá é de R$ 15,8 milhões, com contrapartida do executivo municipal de R$ 2,7 milhões, valor este a ser investido, principalmente, nos acessos a obra. Vale ressaltar que a ponte irá fomentar os esforços para que seja retomado o projeto de pavimentação asfáltica da Rodovia Interpraias, entre Passo de Torres e o rio Araranguá. A falta da ponte era um dos entreves que contribuíam para que o discurso em defesa da Interpraias ficasse esvaziado. Com a assinatura da ordem de serviço, as obras podem ser iniciadas de imediato.


Disputa pela Ceprag já começou a movimentar bastidores 


Prefeito de São João do Sul, Moacir Teixeira (MDB), já declarou que irá apoiar o projeto de eleição de Patrique Alencar Homem para a presidência da Ceprag, a Cooperativa de Eletrificação Praia Grande Ltda. Além de Praia Grande, a Ceprag também atende os municípios de São João do Sul e Passo de Torres. A eleição deverá ser realizada no próximo dia 16 de janeiro e, tradicionalmente, é encarada como uma disputa equivalente a uma embate eleitoral municipal. Patrique é o candidato apoiado pela atual diretoria da Cooperativa, que é comandada por Olívio Nichele, o Gringo. A oposição deverá se articular em torno de um nome apoiado pelo mesmo grupo que trabalhou pela candidatura de Adelírio Monteiro (MDB), na disputa pela Prefeitura de Praia Grande, neste ano.


Democratas de Sombrio emplacou muito bem em 2020 


Democratas de Sombrio emplacou bem no pleito eleitoral deste ano. A sigla, que ressurgiu no município de forma mais robusta, depois do pleito eleitoral de 2016, conquistou mais de 1.600 votos para seus candidatos a vereador, elegendo Gean  Albino, que, de quebra, comandará a Mesa Diretora da Câmara Municipal em 2021. O partido é composto por uma junção de esforços de vários líderes que saíram de outras siglas, depois da eleição municipal de quatro anos atrás, dentre elas PP, PSDB, PDT e PT. Basicamente, sem espaço em seus partidos de origem, estes líderes se abrigaram no Democratas, construindo um projeto autoral com vistas a eleição de 2020. Em princípio, o resultado não poderia ter sido melhor. Vale lembrar que a eleição de Gean Albino também assegurou maioria na Câmara para a prefeita eleita Gislaine Cunha (MDB).


Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Prefeito eleito de Balneário Gaivota, Kekinha dos Santos (PSDB), diz que irá assumir o executivo municipal com um ferrenho regime de contenção de despesas. Somente em financiamentos, dívidas com o INSS e precatórios já transitados em julgado, a prefeitura tem que pagar mais de R$ 2 milhões por ano. Um dos financiamentos contraídos pelo atual prefeito Ronaldo Pereira da Silva (PP) custará aos cofres públicos, até 2029, nada menos do que R$ 58.322,83 por mês. Outro financiamento, que irá até o ano de 2040, custará mensalmente R$ 44.986,29. Trata-se de uma situação lastimável, se levarmos em conta que a absoluta maioria dos bairros do município, assim como o interior, permanecem numa situação lastimável, em função da falta de obras de infraestrutura.

Transições estão bastante trancadas  

 Em linhas gerais, prefeitos eleitos por partidos de oposição têm reclamado da falta de colaboração dos prefeitos que foram derrotados no pleito eleitoral deste ano. O motivo é a falta de uma colaboração mais condizente, no que diz respeito ao processo de transição. Não que esteja havendo obstrução, quanto o assunto é o repasse de informações, por exemplo. Todavia, pesa no ar uma sensação de má vontade bastante aflorada.

Por óbvio que ninguém gosta de perder uma eleição, mas, vale lembrar, que muito acima de qualquer interesse pessoal, há de prevalecer os interesses da coletividade. Neste sentido, é fundamental que mesmo as gestões municipais que foram derrotadas em seus projetos, no pleito eleitoral deste ano, precisam facilitar a vida daqueles que assumirão o poder, para que não haja prejuízo a população de seus respectivos municípios. No mais, daqui a quatro anos tem nova eleição. Quanto mais hombridade e sensatez for demonstrada pelos derrotados, maiores serão as chances reconhecimento social para o próximo pleito.

Ponte de Ilhas já pode começar a ser construída  

Governador Carlos Moisés da Silva (PSL) assinou, ontem, no fim do dia, ordem de serviço para o início das obras de construção da ponte sobre o rio Araranguá, no Distrito de Hercílio Luiz, popularmente denominada de Ponte de Ilhas. O valor o convênio com a Prefeitura de Araranguá é de R$ 15,8 milhões, com contrapartida do executivo municipal de R$ 2,7 milhões, valor este a ser investido, principalmente, nos acessos a obra. Vale ressaltar que a ponte irá fomentar os esforços para que seja retomado o projeto de pavimentação asfáltica da Rodovia Interpraias, entre Passo de Torres e o rio Araranguá. A falta da ponte era um dos entreves que contribuíam para que o discurso em defesa da Interpraias ficasse esvaziado. Com a assinatura da ordem de serviço, as obras podem ser iniciadas de imediato.

Disputa pela Ceprag já começou a movimentar bastidores 

Prefeito de São João do Sul, Moacir Teixeira (MDB), já declarou que irá apoiar o projeto de eleição de Patrique Alencar Homem para a presidência da Ceprag, a Cooperativa de Eletrificação Praia Grande Ltda. Além de Praia Grande, a Ceprag também atende os municípios de São João do Sul e Passo de Torres. A eleição deverá ser realizada no próximo dia 16 de janeiro e, tradicionalmente, é encarada como uma disputa equivalente a uma embate eleitoral municipal. Patrique é o candidato apoiado pela atual diretoria da Cooperativa, que é comandada por Olívio Nichele, o Gringo. A oposição deverá se articular em torno de um nome apoiado pelo mesmo grupo que trabalhou pela candidatura de Adelírio Monteiro (MDB), na disputa pela Prefeitura de Praia Grande, neste ano.

Democratas de Sombrio emplacou muito bem em 2020 

Democratas de Sombrio emplacou bem no pleito eleitoral deste ano. A sigla, que ressurgiu no município de forma mais robusta, depois do pleito eleitoral de 2016, conquistou mais de 1.600 votos para seus candidatos a vereador, elegendo Gean  Albino, que, de quebra, comandará a Mesa Diretora da Câmara Municipal em 2021. O partido é composto por uma junção de esforços de vários líderes que saíram de outras siglas, depois da eleição municipal de quatro anos atrás, dentre elas PP, PSDB, PDT e PT. Basicamente, sem espaço em seus partidos de origem, estes líderes se abrigaram no Democratas, construindo um projeto autoral com vistas a eleição de 2020. Em princípio, o resultado não poderia ter sido melhor. Vale lembrar que a eleição de Gean Albino também assegurou maioria na Câmara para a prefeita eleita Gislaine Cunha (MDB).

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Clique aqui

Compartilhe

Voltar às notícias